resistência

A crítica e a resistência na arte do Bando de Teatro Olodum

O Bando de Teatro Olodum foi fundado em outubro de 1990; o espetáculo Cabaré da RRRRRaça esteve envolvido numa polêmica mesmo antes de estrear;  hoje em dia, não existe nenhum vínculo entre  a banda Olodum e o Bando. Essas e outras informações estão presentes na estimulante biografia O Teatro do Bando: negro, baiano e popular, escrita pelo jornalista soteropolitano Marcos Uzel. Nela, Marcos convida o leitor a fazer um passeio por toda a trajetória do grupo criado por Márcio Meirelles e Chica Carelli. “A intenção é que sirva como um documento para a memória do teatro baiano”, é o que afirma Uzel, numas das páginas da obra, lançada em 2003. O Bando de Teatro Olodum nasceu de uma inquietação da[…]

Ser negro no Brasil hoje

O livro Ser negro no Brasil hoje, da antropóloga Ana Lúcia Valente, é uma obra interessante, que traz questionamentos contundentes para o debate em torno da situação dos negros brasileiros. Lançado em 1987, o livro discute com propriedade aspectos da cultura negra e faz com que o leitor reflita sobre a temática. Logo na introdução, Ana Lúcia provoca: “Você já pensou sobre o que é ser negro no Brasil?”. E você que está lendo este texto, já pensou? O 1º capítulo, Contextualizando a questão, traz um apanhado sobre o que é ser negro no Brasil, retoma o passado e fala do falso mito da democracia racial brasileira. Para desfazer tal ideia, Ana Lúcia propõe que o preconceito e a discriminação[…]

Repente "Ditadura Militar: História/Memória/Resistência"

Olá, galera! Você sabia que o golpe militar de 1964 derrubou o governo civil e instalou no Brasil a Ditadura Militar? Que o período mais repressivo da Ditadura ficou conhecido como Anos de Chumbo? Que o povo brasileiro, mesmo oprimido, torturado, lutou e fez resistência ao poder dos militares? Que houve censura aos meios de comunicação, à arte e à cultura? E que os militares, através de Atos Inconstitucionais, governaram o país praticamente por duas décadas? Pois é! A Secretaria da Educação do Estado da Bahia (SEC-BA), através do projeto “Ditadura Militar direito à memória: 50 anos do golpe militar”, cria a possibilidade de conhecermos com detalhes um dos momentos mais marcantes de nossa história.  Abaixo, segue um repente que[…]

Comunidades Quilombolas: a identidade de um povoado isolado

Fala, galerinha! Quando falamos em quilombo logo remetemos a ideia ao Quilombo dos Palmares, um local isolado, composto por negros(as) refugiados(as) em resistência contra um sistema escravocrata imposto naquele período, tendo como líder mais conhecido Zumbi. Mas o que são comunidades quilombolas? As comunidades quilombolas são grupos cuja formação e identidade afirmam as suas raízes históricas e socioculturais africanas, tendo a sua organização politica, ideológica e social voltadas para o homologaolvimento e a renovação no seu modo de viver, cultuando sempre os seus ancestrais e atualizando o nosso legado afro-brasileiro. Nos territórios das comunidades quilombolas é assegurado o direito que regulamenta o seu processo de identificação, reconhecimento, delimitação, demarcação e a titulação das terras ocupadas, de acordo com o Decreto[…]

Mestre Pastinha – Uma vida dedicada à Capoeira

Alô, galera esperta! Estou aqui hoje para lembrar o nosso grande Vicente Ferreira Pastinha ou como era conhecido por todos: Mestre Pastinha, que estaria comemorando mais um aniversário, se estivesse aqui. Segundo ele mesmo contava, aprendeu a arte da capoeira com a sorte – quando ainda era um garotinho, vivia brigando com outro menino da sua rua e saía sempre perdendo na disputa. Foi quando um velho africano de nome Benedito, que observava suas brigas, lhe chamou para aprender o verdadeiro jogo da capoeira. A partir daquele momento a vida Pastinha ganhou um outro sentido, através dos ensinamentos do seu mestre Benedito, ele aprendeu muitas coisas acerca da vida, sobretudo os valores imprescindíveis para se tornar o grande disseminador desse[…]

Nossos Colaboradores