Rede em Movimento

Disciplina na UFBA discute ruptura democrática e o Golpe de 2016

Disciplina na UFBA discute ruptura democrática e o Golpe de 2016

No ano de 2016, o Brasil passou por um processo de ruptura traumático de sua democracia, com o impeachment que destituiu a Presidenta Dilma Rousseff, eleita com  54.501.118 votos . Esse é um tema que desperta interesse de uma grande parte da sociedade, tendo em vista que há controvérsias em relação a legitimidade sobre o modo como tudo aconteceu. Segundo pesquisa do Instituto da Democracia e da Democratização da Comunicação, 47,9% dos brasileiros e brasileiras dizem que houve um golpe no país em 2016. Portanto, persiste, entre muitas pessoas,  o sentimento de que  o processo de impeachment não tenha sido legítimo. Esse contexto  abriu  possibilidade para  que as universidades pudessem criar disciplinas cujo objetivo é discutir as características da ruptura na[…]

Com a palavra, Ninfa Cunha

Com a palavra, Ninfa Cunha

Em conversa com o Blog da Rede, gestora do Espaço Xisto Bahia fala de acessibilidade, educação e cultura O Blog da Rede bateu um papo muito interessante com Ninfa Cunha, produtora cultural, relações públicas, dançarina-intérprete e, atualmente, gestora do Espaço Xisto Bahia; função que exerce desde dezembro de 2015. Na conversa, Ninfa levantou questões importantes para a convivência em sociedade. A temática da acessibilidade esteve na pauta e ela, assertiva como sempre, pontuou que é preciso dar um passo a cada dia, mas que, pelo menos, a questão já é debatida. Assista ao vídeo abaixo e veja a opinião da gestora.   Em outro momento, Ninfa falou de toda a discussão gerada a partir do tema da prova de Redação[…]

Cultura Indígena Projetada

Cultura Indígena Projetada

Uma sala de projeção, escura. Sinal de que uma sessão de cinema está prestes a começar. Contudo, não se trata de uma sessão comum, bem que poderia ser. Em poucos instantes, o público vai se deparar com produções audiovisuais realizadas e protagonizadas por povos indígenas. A situação narrada pode até parecer ficção, principalmente quando a gente pensa na realidade desses povos no nosso país, mas não é. A cena descrita aconteceu durante o Cine Kurumin, em Salvador, no último dia 13, quando o Palacete das Artes recebeu parte da programação do evento. Tendo a frase “Da minha aldeia vejo o mundo” como uma forma de provocar, a mostra chegou à 6ª edição com status de festival, promovendo bate-papos após as[…]

Nossos Colaboradores