poesia

Poesia em Movimento

Poesia em Movimento

Fala galera! Como vai? Quem foi que disse que jogador de futebol não gosta de estudar? Que não gosta de poesia?  Que não curte cultura? Para nós, professores do Colégio Estadual Pedro Calmon, isso não é verdade. Pois é, lá temos um aluno, chamado Lucas, que adora declamar poesias (de sua autoria ou não), ler seus textos em voz alta e clara, “repleta de toda satisfação”,  como diz a canção do Lulu Santos. Deixando todos orgulhosos, envaidecidos e vidrados no seu potencial artístico, visual e cultural; pois quando declama gesticula, faz caras e bocas, aumenta e diminui a voz, olhando para tudo e para todos, colocando sempre temas atuais e de renomada importância.   E para surpresa de muitos, ele[…]

Duas faces de uma mesma prática

Duas faces de uma mesma prática

“A leitura é muito mais do que decifrar palavras. Quem quiser parar pra ver pode até se surpreender: vai ler nas folhas do chão, se é outono ou se é verão; nas ondas soltas do mar, se é hora de navegar; e no jeito da pessoa, se trabalha ou se é à-toa…” O trecho acima, do poema Aula de Leitura, do escritor, ilustrador e pesquisador paulista Ricardo Azevedo, mostra como a leitura é uma prática que nos enche de possibilidades de ver o mundo. Através dela, a gente decifra tudo, até as coisas consideradas mais difíceis. Por mais clichê que pareça, para quem lê, a vida tem outra face e várias facetas. Quem lê, de fato, se torna possível e[…]

Como nascem os poetas?

Não existe fórmula. Mas não requer dons especiais, apesar de já ter sido considerado no passado como algo divino. Uma vez, na aula de português, a professora nos incentivou a escrever um poema. E lembro que um colega que nunca tinha feito um poema, escreveu com muito lirismo, rimando. Eu tinha 12 anos na época e não foi a primeira vez que escrevi alguma coisa sem preocupação com métrica e coisas afins, já que poesia não precisa de tantas técnicas. Mas precisa de inspiração! Que pode vir de uma gama de situações, posturas políticas, emoções e sentimentos, dentre outras motivações. Você conhece algum poeta? Desses famosos, porém de outro século, temos por exemplo o Castro Alves. Está eternizado numa estátua[…]

O Olhar Digital

O Olhar Digital

E aí, galera! Será que estamos a sós na internet? “…Pois, em algum lugar, Há sempre alguém a nos observar com atenção Mesmo sem a gente saber Ou sequer perceber, querer Ou notar, Diante de alguma tela indiscreta de observação! Porque somos todos deuses e seus filhos E independentes de escuridão ou brilhos, Estamos todos numerados, rastreados, Cadastrados, fotografados…” (trecho da poesia “Olhares Vigilantes do Sisttema” – Patrício Franco) A poesia de Patrício Franco serve de alerta para as pessoas que utilizam a internet no seu cotidiano, de que “Há sempre alguém a nos observar com atenção, mesmo sem sequer perceber, ou notar” para no mostrar que, a cada link clicado, página acessada e conteúdo compartilhado, sem sequer notarmos, estamos[…]

Cine PW – A Febre do Rato

  Olá, cinéfilos! Hoje, iniciaremos a Semana da Poesia aqui no nosso blog. Já pensaram se o cinema pode ser considerado poesia? Claro que, metaforicamente, teríamos a liberdade de concluir isso, mas podemos ir um pouco mais além. No filme, “A Febre do Rato”, dirigido por Cláudio Assis e lançado em 2012, o cinema e a poesia se mesclam de forma muito interessante. Como exemplo disso, podemos apreciar belos poemas que Zizo, poeta e personagem principal da obra, declama várias vezes durante a película. Isso nos faz pensar que é possível consumir uma determinada arte ainda que ela não esteja na plataforma que lhe foi categorizada, nesse caso, a literatura. Falando sobre a obra, “A Febre do Rato” é a[…]

Poeta e Poetisa, encantos de rimas!

Olá, galera! Hoje é o Dia do Poeta! Aqui no Brasil, no dia 20 de outubro, celebra-se o Dia Nacional do Poeta! O Dia Mundial da Poesia é comemorado no dia 21 de março. São duas datas distintas, porém o seus objetos de celebração estão imbricados: a primeira data celebra o autor da obra- O Poeta! A segunda, a obra do autor – A Poesia ! Fernando Pessoa: o Poeta definindo o Poeta! Pura poesia! A poesia é a “arte de escrever em versos”,também considerada uma das sete artes tradicionais. Traz sentimentos, pensamentos e ideias que brotam da sensibilidade do poeta e nos inundam, fazendo-nos transbordar de emoções ! Surpresa! A poesia e o ENEM! Não deixe que o ENEM[…]

Luiz Gama, um baiano cheio de ideais

 A breve biografia de Luiz Gama, escrita por Myriam Fraga, em 2005, dentro da coleção “A luta de cada um”, da Biblioteca Afro-Brasileira, da editora Pallas, é um convite saboroso para conhecer um dos homens mais importantes da nossa história, sobretudo quando se fala da luta abolicionista. Filho da quitandeira Luiza Mahin, africana de origem nagô, e de um fidalgo português, Luiz Gonzaga Pinto da Gama nasceu em Salvador, em 21 de junho de 1830. Luiza, embora fosse livre, participava ativamente de levante de escravos na cidade e nos arredores. Dentre as rebeliões de que participou, a mais famosa foi a Revolta dos Malês. Os malês eram escravos muçulmanos que não se conformavam com o cativeiro e sempre tentavam fugir[…]

Radiola PW: Zumbi

Olá colegas, tudo bem? Hoje, vamos iniciar mais uma semana do mês da consciência negra com música. Para isso, escolhemos uma canção que possui uma representatividade bastante relevante quanto ao contexto dessa época. A música dessa semana é “Zumbi”, escrita por Jorge Ben Jor, e apresentada pela primeira vez no álbum “A tábua de esmeralda” de 1972. Confira a letra: [youtube=http://www.youtube.com/watch?v=XLNnUPG2_WE] ZUMBI Angola Congo Benguela Monjolo Cabinda Mina Quiloa Rebolo Aqui onde estão os homens Há um grande leilão Dizem que nele há Uma princesa à venda Que veio junto com seus súditos Acorrentados num carro de boi Eu quero ver Eu quero ver Eu quero ver Angola Congo Benguela Monjolo Cabinda Mina Quiloa Rebolo Aqui onde estão os homens[…]

Radiola PW: Respeitem meus cabelos, brancos

 Oi, pessoal! Tudo bem? Dentro de nossa programação do Novembro Negro, vamos falar de aspectos da arte e da cultura que dialogam com nossa identidade negra. Como novidade, estamos estreando a seção Radiola PW, em que analisaremos letras de músicas que trazem temáticas e assuntos interessantes. Hoje, vamos destacar uma canção que foi composta pelo cantor paraibano Chico César. A música Respeitem meus cabelos, brancos foi lançada no álbum homônimo, em 2002. Nela, Chico entoa um grito de liberdade e de respeito aos vários povos negros. Confira a letra: Respeitem meus cabelos, brancos (Chico César) Respeitem meus cabelos, brancos Chegou a hora de falar Vamos ser francos Pois quando um preto fala O branco cala ou deixa a sala Com[…]

No Caminho de Drummond

Salve, salve, turma! “No meio do caminho tinha uma pedra, tinha um pedra no meio do caminho.” Quem nunca ouviu ou recitou estes versos? Foi através desta poesia – No meio do caminho – e de tantas outras como Poema das Sete Faces, José, As sem-razões do amor, Verbo Ser, que Carlos Drummond de Andrade se imortalizou e tornou-se um dos maiores poetas do Brasil. Drummond escreveu poemas sobre as mais diversas temáticas: política, amor, erotismo, sociedade, infância. Mas sem dúvida o maior talento de Drummond era transformar eventos simples e óbvios do cotidiano em pura poesia, como no poema Quadrilha: Quadrilha Carlos Drummond de Andrade João amava Teresa que amava Raimundo que amava Maria que amava Joaquim que amava[…]

Nossos Colaboradores

%d blogueiros gostam disto: