Pluralidade Cultural

Baianidades e educação no 17º Simpósio Internacional Processos Civilizadores

Baianidades e educação no 17º Simpósio Internacional Processos Civilizadores

Norbert Elias foi um sociólogo e filósofo alemão, que viveu entre os anos de 1897 e 1990. De família judaica, foi perseguido pelo regime nazifascista e se exilou na França, em 1933. Sua obra traz contribuições importantes para o estudo das sociedades em seus aspectos teóricos e práticos. No Brasil, seu trabalho começou a ter mais destaque a partir dos anos setenta e assim segue até hoje. Os livros escritos por ele são fontes para muitas abordagens sobre a vida social e a história do Ocidente. Entre os dias 16 e 19 de outubro de 2018, realizou-se em Londrina – estado do Paraná, Brasil – o 17º Simpósio Internacional Processos Civilizadores (SIPC). O evento traz uma série pesquisas em diversas[…]

Photo(grafia) na escola

Photo(grafia) na escola

Fala comunidade, Será que a fotografia pode ser um recurso didático? A fotografia pode ser uma estratégia metodológica de ensino e aprendizagens? Uma imagem é o mesmo que uma fotografia? Hoje, com o advento das tecnologias da informação e da comunicação, em especial os dispositivos móveis como instrumento de captura e as redes sociais como suporte de difusão e compartilhamento, a imagem pode ser uma forma mais dinâmica e um poderoso instrumento de aprendizagem e diálogo no mundo globalizado, já que a escrita visual independe de entendimento direto, no que se refere à linguística, amplificando o modo de se expressar, por meio da interpretação imagética. Uma fotografia se difere de uma imagem, porque necessita sempre de uma intenção! A fotografia[…]

“A música serve para unir diferentes tribos e diferentes costumes”, diz o cantor e compositor Netto Galdino

“A música serve para unir diferentes tribos e diferentes costumes”, diz o cantor e compositor Netto Galdino

Desde os seis anos de idade, Roberto Clarisseau Marcial Neto, o Netto Galdino, tem a música como a sua companheira. Nascido e criado em Caravelas, cidade do sul da Bahia, o cantor e compositor começou a carreira participando de projetos de educação e arte, em instituições como a Casa da Música, a Filarmônica Lira Santo Antônio e o Movimento Cultural Arte Manha. Aos 12, iniciou os estudos de violão, voz e coral, no projeto social Dona Flora, em Alcobaça. Tendo a sua formação educacional toda feita em instituições públicas (ele passou pela Escola Municipal Claudionora Nobre de Melo (Caravelas), pelo Centro Educacional de Alcobaça -CEA, pelo Colégio Estadual Eraldo Tinoco (Alcobaça) e pelo Colégio Polivalente de Caravelas), Netto acredita no potencial do[…]

CEEP Newton Sucupira incentiva empreendedorismo no atual cenário de crise

CEEP Newton Sucupira incentiva empreendedorismo no atual cenário de crise

O Centro Estadual de Educação Profissional em Controle e Processos Industriais Newton Sucupira (CEEP Newton Sucupira), localizado no bairro de Mussurunga, em Salvador, promoveu, entre os dias 27 e 28 de novembro, uma Feira de Ciências que movimentou toda a comunidade escolar. Com temática Da crise à oportunidade: reflexos na Ciência e na Tecnologia, o evento teve como objetivo mostrar alternativas criativas e viáveis para enfrentar a crise econômica que assola o país. “A nossa feira tem o objetivo de integrar o conhecimento teórico, técnico e prático que o aluno tem na escola, no nosso dia a dia, nas nossas atividades acadêmicas, com a realidade dele, do mercado de trabalho. Com relação à temática deste ano, o que a gente[…]

Com a palavra, Ninfa Cunha

Com a palavra, Ninfa Cunha

Em conversa com o Blog da Rede, gestora do Espaço Xisto Bahia fala de acessibilidade, educação e cultura O Blog da Rede bateu um papo muito interessante com Ninfa Cunha, produtora cultural, relações públicas, dançarina-intérprete e, atualmente, gestora do Espaço Xisto Bahia; função que exerce desde dezembro de 2015. Na conversa, Ninfa levantou questões importantes para a convivência em sociedade. A temática da acessibilidade esteve na pauta e ela, assertiva como sempre, pontuou que é preciso dar um passo a cada dia, mas que, pelo menos, a questão já é debatida. Assista ao vídeo abaixo e veja a opinião da gestora.   Em outro momento, Ninfa falou de toda a discussão gerada a partir do tema da prova de Redação[…]

Cultura Indígena Projetada

Cultura Indígena Projetada

Uma sala de projeção, escura. Sinal de que uma sessão de cinema está prestes a começar. Contudo, não se trata de uma sessão comum, bem que poderia ser. Em poucos instantes, o público vai se deparar com produções audiovisuais realizadas e protagonizadas por povos indígenas. A situação narrada pode até parecer ficção, principalmente quando a gente pensa na realidade desses povos no nosso país, mas não é. A cena descrita aconteceu durante o Cine Kurumin, em Salvador, no último dia 13, quando o Palacete das Artes recebeu parte da programação do evento. Tendo a frase “Da minha aldeia vejo o mundo” como uma forma de provocar, a mostra chegou à 6ª edição com status de festival, promovendo bate-papos após as[…]

O baianês nosso de todo dia

O baianês nosso de todo dia

Colé de mermo! Tá tudo massa? Hoje, a gente vai trocar uma ideia sobre o baianês. Você tá ligado? Não precisa ficar agoniado, não. É de boa! Tá rebocado! Só não vamos entrar na molequeira, porque a coisa aqui é séria. Brincadeiras à parte, se você é baiano, já prestou atenção ao nosso modo de falar? Temos uma forma própria de nos expressar e, muitas vezes, a gente não atenta para isso. Essa forma, obviamente, não é homogênea, padronizada, mas faz parte dos nossos costumes. Repare como eu comecei este texto. Oxe! Olha o baianês aí de novo! O baianês é um dialeto do português brasileiro, cujo uso frequente se dá no estado da Bahia. Ele é formado por palavras e[…]

Duas faces de uma mesma prática

Duas faces de uma mesma prática

“A leitura é muito mais do que decifrar palavras. Quem quiser parar pra ver pode até se surpreender: vai ler nas folhas do chão, se é outono ou se é verão; nas ondas soltas do mar, se é hora de navegar; e no jeito da pessoa, se trabalha ou se é à-toa…” O trecho acima, do poema Aula de Leitura, do escritor, ilustrador e pesquisador paulista Ricardo Azevedo, mostra como a leitura é uma prática que nos enche de possibilidades de ver o mundo. Através dela, a gente decifra tudo, até as coisas consideradas mais difíceis. Por mais clichê que pareça, para quem lê, a vida tem outra face e várias facetas. Quem lê, de fato, se torna possível e[…]

Resenha PW ⇨ Riachão: o cronista do samba baiano

Resenha PW ⇨ Riachão: o cronista do samba baiano

Oi! Tudo bem? Ontem, 27 de novembro de 2016, completaram-se cem anos do registro do samba Pelo Telephone (assim mesmo, com “ph”, respeitando a grafia da época), no Departamento de Direitos Autorais da Biblioteca Nacional. A obra, de autoria de Ernesto Joaquim Maria dos Santos, o famoso Donga, é considerada o primeiro samba brasileiro. E, no ano em que o gênero completa cem anos de existência, que tal conhecer um pouco mais sobre a vida e a obra de Riachão, um de nossos sambistas contemporâneos mais festejados? Em 2009, a Assembleia Legislativa do Estado da Bahia (ALBA) publicou o livro Riachão: o cronista do samba baiano, escrito pela jornalista Janaína Wanderley da Silva. A biografia integra a coleção Gente da[…]

Resenha PW: Áfricas no Brasil

Resenha PW: Áfricas no Brasil

Oi! Tudo bem? Estamos no mês de novembro e, neste período do ano, todas as nossas publicações abordam aspectos da História e Cultura Africana. Assim, fortalecemos as ações do projeto Novembro Negro, que acontece em todo o estado. Em 2003, o então presidente Luiz Inácio Lula da Silva sancionou a Lei 10.639, que obriga a inclusão da temática da História e Cultura Afro-Brasileira no currículo oficial da Rede de Ensino. Na instituição em que você estuda, os professores já estão implementando a Lei? E você, educador, tem encontrado bons materiais para levar a discussão para a sala de aula? O livro Áfricas no Brasil, de Kelly Cristina Araujo, é um bom começo para isso. Publicada no mesmo ano de sanção da lei, a obra[…]

Nossos Colaboradores