Literatura

A Leitura e a 19.ª Edição da Flica – Festa Literária Internacional de Cachoeira

A Leitura e a 19.ª Edição da Flica –  Festa Literária Internacional de Cachoeira

A Flica – Festa Literária Internacional de Cachoeira é a nossa dica do momento! Considerada “a festa literária mais charmosa do Brasil”. Foi lançada, oficialmente, no último dia 19 do mês em curso, no Salão de Atos na Governadoria, no Centro Administrativo da Bahia. O evento acontecerá em Cachoeira – Ba, do dia 24 até 27 de outubro/2019.

Começa a Feira Literária em Mucugê

Começa a Feira Literária em Mucugê

A histórica cidade de Mucugê está em festa, com a 4a edição da Fligê – Feira Literária de Mucugê, que vai até o próximo domingo, dia 18 de agosto.

Prêmio Jorge Amado de Literatura

Prêmio Jorge Amado de Literatura

  O prêmio Jorge Amado tem por objetivo incentivar a produção literária desde cedo, com utilização de atividades lúdicas, de forma a enriquecer ainda mais o aprendizado de crianças e adolescentes. Esta é a proposta da Secretaria Municipal da Educação com o Prêmio Jorge Amado de Literatura. A iniciativa homenageia o autor de clássicos como Gabriela Cravo e Canela e Capitães da Areia. O objetivo é estimular os alunos da rede municipal de ensino a desenvolverem ações ligadas à leitura. Também pretende estimular a produção estudantil de textos, seja sob a forma de poesia, conto, romance, e utilizando-os ainda em outras mídias, como as histórias em quadrinhos e o videoclipe – este último integrado pela primeira vez à edição de 2017[…]

“Vou subindo a ladeira do Pelô”

“Vou subindo a ladeira do Pelô”

O verso que intitula este texto está presente na música Ladeira do Pelô, do compositor Betão, lançada pela Banda Mel, em 1987, no disco Força Interior, que trazia também o sucesso Faraó, Divindade do Egito (Luciano Gomes). Na semana de 9 a 13 de agosto, certamente, muita gente terá motivo para dizer: “Vou subindo a ladeira do Pelô”. Isso porque o famoso ponto turístico do Centro Histórico de Salvador será palco da  primeira Festa Literária Internacional do Pelourinho (FLIPELÔ). O saudoso escritor Jorge Amado será o homenageado, além de Zélia Gattai e Myriam Fraga, importantes personalidades ligadas à vida do autor de Tieta do Agreste, Capitães da Areia, A Morte e a Morte de Quincas Berro D’Água e tantas outras[…]

Duas faces de uma mesma prática

Duas faces de uma mesma prática

“A leitura é muito mais do que decifrar palavras. Quem quiser parar pra ver pode até se surpreender: vai ler nas folhas do chão, se é outono ou se é verão; nas ondas soltas do mar, se é hora de navegar; e no jeito da pessoa, se trabalha ou se é à-toa…” O trecho acima, do poema Aula de Leitura, do escritor, ilustrador e pesquisador paulista Ricardo Azevedo, mostra como a leitura é uma prática que nos enche de possibilidades de ver o mundo. Através dela, a gente decifra tudo, até as coisas consideradas mais difíceis. Por mais clichê que pareça, para quem lê, a vida tem outra face e várias facetas. Quem lê, de fato, se torna possível e[…]

Resenha PW ⇨ Riachão: o cronista do samba baiano

Resenha PW ⇨ Riachão: o cronista do samba baiano

Oi! Tudo bem? Ontem, 27 de novembro de 2016, completaram-se cem anos do registro do samba Pelo Telephone (assim mesmo, com “ph”, respeitando a grafia da época), no Departamento de Direitos Autorais da Biblioteca Nacional. A obra, de autoria de Ernesto Joaquim Maria dos Santos, o famoso Donga, é considerada o primeiro samba brasileiro. E, no ano em que o gênero completa cem anos de existência, que tal conhecer um pouco mais sobre a vida e a obra de Riachão, um de nossos sambistas contemporâneos mais festejados? Em 2009, a Assembleia Legislativa do Estado da Bahia (ALBA) publicou o livro Riachão: o cronista do samba baiano, escrito pela jornalista Janaína Wanderley da Silva. A biografia integra a coleção Gente da[…]

Radiola PW: Ilê Pérola Negra

Oi! Tudo bem? Estamos no mês de novembro e, neste período do ano, todas as nossas publicações abordam aspectos da História e Cultura Africana. Assim, fortalecemos as ações do Novembro Negro, que acontece em todo o estado e será aberto oficialmente amanhã. Na Radiola PW de hoje, o destaque vai para a música Ilê Pérola Negra, dos compositores Miltão, Renê Veneno e Guiguio. A canção foi gravada pela cantora e compositora Daniela Mercury, em 2000, no CD Sol da Liberdade. Ilê Pérola Negra traz no seu discurso uma forma evidente de exaltação. Exalta a cultura negra em todos os seus aspectos: sociais, artísticos e religiosos. Os versos carregam um alerta para que toda a população perceba que a cultura negra é[…]

Literatura no Mapa

Literatura no Mapa

Oi! Tudo bem? Você quer colocar mais literatura na sua vida? Se respondeu “sim” à pergunta, uma ótima dica é conferir a revista CartoGRAFIAS, publicada pelo projeto Mapa da Palavra.BA, uma ação da Coordenação de Literatura e da Diretoria das Artes da Fundação Cultural do Estado da Bahia (FUNCEB). O projeto é resultado de um levantamento de dados sobre a literatura produzida na Bahia e tem como objetivo servir de base para o planejamento de programas e ações que incentivem o homologaolvimento das letras no estado. A revista é composta por quatro volumes e reúne textos de autores contemporâneos da Bahia. Tais autores contemplam os 27 territórios de identidades do estado. O projeto teve a participação de mais de cinquenta[…]

Radiola PW: Do Brasil

Radiola PW: Do Brasil

Oi! Tudo bem? Hoje, a dica da Radiola PW é a música Do Brasil, composta por Vander Lee, cantor e compositor mineiro. A canção foi gravada no CD Pensei Que Fosse o Céu – Ao Vivo, lançado pelo artista em 2006. Nela, Vander Lee faz uma homenagem ao nosso sertão, evidenciando as qualidades e mostrando que a raiz do Brasil está fincada lá. Já na primeira estrofe, o autor deixa claro que é impossível fazer referência ao Brasil sem falar do sertão. Para isso, usa a comparação, uma figura de linguagem bem comum em textos de música: Falar do Brasil sem ouvir o sertão É como estar cego em pleno clarão Olhar o Brasil e não ver o sertão É[…]

Radiola PW: Acorde, Brasil

Oi, turma! Tudo bem? A dica de hoje da Radiola PW é a música Acorde, Brasil, do cantor e compositor Julinho Marassi. Embora tenha sido composta no ano 2000, a música continua atual, principalmente quando fala da nossa realidade política e expõe práticas comuns do universo artístico do país. A obra foi gravada, pela primeira vez, em 2002, no CD Julinho Marassi e Gutemberg Ao Vivo. A dupla é oriunda de Barra Mansa, Rio de Janeiro. Logo no início da letra, o eu lírico mostra toda a sua revolta diante das coisas que vê. As três primeiras estrofes já trazem um tom crítico e mostram que o personagem não quer continuar aceitando ser “marionete” para o “sistema”: Resolvi abrir o[…]

Nossos Colaboradores