História

“A visibilidade é uma armadilha”

Salve, turma esperta! Hoje em dia, em praticamente todas as áreas de atuação da vida humana e em quase todos os lugares e organizações sociais, os sistemas computacionais tem sido utilizados como ferramenta para registrar e tratar dados, operacionalizar atividades e facilitar o acesso à informação, comunicação e compartilhamento de conteúdos. Os ambientes digitais, que compõem o chamado ciberespaço, possibilitam a construção de novas formas de interação e sociabilidade, sobretudo através da rapidez – quase instantaneidade – com que esse fluxo se realiza. Não podemos perder de vista, contudo, que tão importante quanto a velocidade é a forma com que nos expomos e/ou somos expostos(as) a esta enorme quantidade diária de estímulos. O surgimento da internet está historicamente ligado à[…]

Como tornar público o Arquivo Público?

A partir desse questionamento, a curadora-chefe da 3ª Bienal da Bahia, Ana Pato, promove o projeto Quinta na Quinta, que vai acontecer no Arquivo Público do Estado da Bahia, localizado na Baixa de Quintas, nº 50, a partir do dia 17 de julho. O objetivo é tornar o Arquivo Público um espaço de visitação para professores e alunos. O projeto conta com uma equipe de artistas que irão expor seus trabalhos no entorno do Arquivo, compondo um mosaico de intervenções artísticas. Também será aberto ao público o acervo do antigo museu Estácio de Lima, conhecido como museu Nina Rodrigues. O acervo desse museu contém seções para estudos antropológicos, como objetos de rituais litúrgicos do candomblé que foram apreendidos pela polícia. Também[…]

Cine PW: Pajerama

Salve, salve, galera! Neste mês de abril, focamos nossas conversas nas questões que envolvem os povos indígenas, suas histórias, culturas e lutas. Foi um mês em que também compartilhamos conteúdos de autoria dos próprios indígenas, como textos, filmes e músicas. Além disso, contamos com o site temático “Culturas Indígenas”, que está disponível para consulta. Hoje, vamos indicar um curta-metragem em 3D chamado “Pajerama”. Trata-se da obra do diretor e criador Leonardo Cardaval, cuja história ilustra o contraste do encontro entre a realidade de sociedades industriais com as culturas indígenas. Na trama, que dispensa diálogos, o protagonista é um jovem indígena que vivencia experiências atemporais, descontínuas e entrelaçadas. O jovem encontra em sua caminhada elementos que revelam o quanto o homologaolvimento[…]

Radiola PW – Somos Tupinambá

Olá, galera esperta! O Radiola PW indica hoje a música “Somos Tupinambá”. A canção, vencedora do FACE (Festival Anual da Canção Estudantil) de 2012, foi escrita por Lucas Santos Nascimento e Carlos Alberto Pereira de Araújo Júnior, de 13 e 12 anos, respectivamente. Oriundos do Colégio Estadual Indígena Tupinambá de Olivença – Ilhéus/Ba, esses dois jovens compositores reiteram em “Somos Tupinambá” a etnia indígena a qual pertencem. Uma letra que dialoga com a atual situação dos povos indígenas e os conflitos que os circundam. O videoclipe da música foi produzido pelo coletivo Oca Digital, através de uma oficina ministrada pelo videodocumentarista Glauber Xavier. As culturas indígenas estão há mais de cinco séculos lutando contra hegemonias que já passaram pelas monarquias[…]

Mês temático – Povos Indígenas

Oi, turma! Tudo bem? Neste mês, todo o conteúdo do Blog PW vai priorizar o diálogo sobre as nossas culturas indígenas. Nosso principal objetivo é o de aprender e compartilhar informações sobre a história e cultura dos povos indígenas, de uma forma respeitosa e sem estereótipos. Levando em consideração, sobretudo, as opiniões e vivências dessas culturas. Mais do que comemorar o Dia do “Índio”, a nossa intenção é propor um diálogo voltado para a Lei 11.645/08, em que debateremos a relação das culturas indígenas com as questões dos valores, identidade e diversidade cultural. E, para que isso aconteça de forma eficaz, contamos com a sua participação nas nossas mídias, para partilharmos as experiências e aprofundarmos mais o conhecimento.

Lavagem do Bonfim: tradição, fé e história

Êa, turma esperta!       A tradicional Lavagem do Bonfim, uma das manifestações culturais e populares mais significativas para o povo baiano, é celebrado na segunda quinta-feira do ano. O cortejo das baianas e a procissão dos fiéis católicos percorre um circuito de 8 quilômetros, partindo da Basílica de Nossa Senhora da Conceição da Praia, no bairro do Comércio até a Colina Sagrada, no Bonfim onde acontece a lavagem das escadarias da igreja.       Os festejos têm início por volta das oito horas da manhã, com a realização do Ato Ecumênico área externa da Basílica de Nossa Senhora da Conceição da Praia, que além de contar com a presença de autoridades políticas locais, recebe líderes e representantes de diversas correntes religiosas,[…]

CINE PW: Invictus

“Uma boa cabeça e um bom coração formam sempre uma combinação formidável“ Nelson Mandela Salve, salve, galera! Hoje o  Cine PW entra no clima de homenagem a Nelson Mandela, falecido no ultimo dia cinco, trazendo a obra ‘Invictus’. O filme mostra a África do Sul no período pós Apartheid (1948 -1994); quando Nelson Mandela, presidente-eleito, reconhecendo que seu país permanece dividido racial e economicamente, resolve apoiar o time da África do Sul na Copa Mundial de Rúgbi de 1995. Acreditando ser esta uma ação capaz de unificar a população por meio da linguagem universal do esporte, levando o time a fazer uma incrível campanha até as finais da competição. [youtube=http://www.youtube.com/watch?v=211tsGoram8&w=560&h=315] Rolihlahla Madiba Mandela, foi o representante do movimento antiapartheid, considerado pelo[…]

Cine PW: Raça Humana

Salve, salve, galera! Estamos de volta com mais uma indicação de cine para vocês! E mesmo já tendo encerrado nosso Novembro Negro, as discussões continuam a todo vapor. Hoje trazemos o documentário da TV Câmara “Raça Humana”. A obra problematiza os dramas enfrentados no início da aplicação das políticas de cotas, quando, em 2004, um ano depois da sanção da Lei 10.639, a Universidade de Brasília (UnB), adotou o sistema de cotas em seu vestibular, onde reservava vinte por cento das vagas para candidatos que se declaravam afrodescendentes. A decisão da UnB gerou divergências internas e o caso precisou da intervenção do STF (Supremo Tribunal Regional). [youtube=http://www.youtube.com/watch?v=ovZVqvkyBbo&w=420&h=315] O documentário apresenta diversas opiniões de pessoas envolvidas com a proposta, argumentado a[…]

Relembrando nosso Novembro Negro

Olá, turma esperta.  Iniciaremos dezembro fazendo um breve histórico dos diálogos construídos ao longo do Novembro Negro aqui no blog. Durante esse período, discutimos a trajetória dos povos negros que contribuíram com a construção da cultura e com as características de nossa população, bem como compartilhamos conteúdos referentes à história de luta, resistência e conquista obtidas por estes povos que, ainda hoje, são vítimas de preconceitos, mas seguem se fazendo participantes e atuantes na história oficial brasileira. Em muitos dos nossos textos você encontra conteúdos das diversas áreas do conhecimento e com inúmeras referencias históricas. Vejamos um resumo do que rolou… Categorizamos nossas publicações em sessões para facilitar sua busca, como o Cine PW, que trouxe dicas de filmes e[…]

Um conto para fazer o pensamento ir além

 O livro Nas asas da liberdade, do escritor Rogério Andrade Barbosa, apresenta uma narrativa comovente, ao contar a história de uma comunidade africana denominada “Gullah”, na qual a população tinha o poder de voar. Os negros da Gullah, que recebiam esse nome por serem oriundos da Angola,  tinham conhecimentos sobrenaturais e asas da cor do ébano. A história une fantasia e traços da realidade, principalmente quando fala de sofrimento e de escravidão. O conto de Rogério Andrade Barbosa emociona quando coloca o leitor em contato com a história de um negro idoso Gullah, que era sábio e ensinava aos mais novos uma estratégia infalível para eles se livrarem do mal (no caso, a repressão e a subserviência): voar. Invocando a[…]

Nossos Colaboradores