Pluralidade Cultural

Sertão na Tela Grande

Em seu retorno em abril, programa Circuito Popular de Cinema e Vídeo da Secretaria de Cultura do Estado traz o sertão como tema central de seus filmes A produção cinematográfica baiana contemplou, por vários momentos, as belezas, histórias e tradições do estado, e o sertão não ficou de fora. Um bom exemplo disso é a obra “O dragão da maldade contra o santo guerreiro”, lançada no ano de 1969 e dirigida por Glauber Rocha. Em abril, como prévia da Celebração das Culturas dos Sertões, este e outros filmes sob a temática sertaneja serão exibidos para a alegria dos cinéfilos de plantão, com a retomada do Circuito Popular de Cinema e Vídeo (CPCV), considerado o maior circuito público de exibição nacional.[…]

Visite o Parque Castro Alves

Você sabia que existe um rico museu esperando por você no interior da Bahia? É o museu biográfico Parque Castro Alves, que homenageia o poeta baiano Castro Alves, nascido na cidade de Cabaceiras do Paraguaçu, em14 de março de 1847. O poeta difundia ideais abolicionistas em suas obras, escrevendo livros como Espumas Flutuantes, Vozes D’África e O Navio Negreiro. O museu foi inaugurado em março de 1971, em comemoração ao centenário do poeta baiano, que este ano completou seu 165º aniversário. A data foi comemorada com o Festival de Declamação de Poemas Castro Alves, missa, feira cultural, shows musicais e ainda a entrega de comendas, uma homenagem a vários cidadãos da cidade. Mas não acaba por aí! O museu conta[…]

2 de fevereiro: fé, tradição e consciência ambiental

Oi, Pessoal! Hoje, é dia dois fevereiro, e como em todos os anos, acontece a festa em homenagem a Iemanjá, orixá das águas do mar e seu ecossistema. O festejos se concentram na colônia de pescadores, na igreja e no mar do Rio Vermelho. Neste dia muitos presentes são levados nas dezenas de barcos ao som de muitos fogos e saudações até o alto mar, enquanto outros são deixados ali mesmo na chegada. O mais importante para os devotos é que a ‘rainha do mar’ aceite suas ofertas. Ainda é madrugada quando começam a chegar os primeiros grupos de pessoas vindas de várias partes da cidade em direção ao bairro levando suas oferendas para a Colônia de Pescadores e mais[…]

Tradições e costumes – A Quadrilha

A quadrilha brasileira tem o seu nome de uma dança de salão francesa para quatro pares, a “quadrille”, em voga na França entre o início do século XIX e a Primeira Guerra Mundial. A “quadrille” francesa, por sua parte, já era um homologaolvimento da “contredanse”, popular nos meios aristocráticos franceses do século XVIII. A “contredanse” se homologaolveu a partir de uma dança inglesa de origem campesina, surgida provavelmente por volta do século XIII, e que se popularizara em toda a Europa na primeira metade do século XVIII. Quadrilha Junina da Festa do São Pedro de Belém (Paraíba) A “quadrille” veio para o Brasil seguindo o interesse da classe média e das elites portuguesas e brasileiras do século XIX por tudo[…]

Tradições e costumes – O uso de balões

O uso de balões e fogos de artifício durante o São João no Brasil, está relacionado com o tradicional uso da fogueira junina e seus efeitos visuais. Este costume foi trazido pelos portugueses para o Brasil, e ele se mantém em ambos lados do Atlântico, sendo que é na cidade do Porto, em Portugal, onde mais se evidência. Fogos de artifício manuseados por pessoas privadas e espetáculos pirotécnicos organizados por associações ou municipalidades tornaram-se uma parte essencial da festa no Nordeste, em outras partes do Brasil e em Portugal. Os fogos de artifício, segundo a tradição popular, servem para despertar São João Batista. Em Portugal, pequenos papéis são atados no balão com desejos e pedidos. Os balões serviam para avisar[…]

Tradições e costumes- Origem da fogueira

De origem europeia, as fogueiras juninas fazem parte da antiga tradição pagã de celebrar o solstício de verão. Assim como a cristianização da árvore pagã “sempre verde” em árvore de natal, a fogueira do dia de “Midsummer” (25 de dezembro) tornou-se, pouco a pouco na Idade Média, um atributo da festa de São João Batista, o santo celebrado nesse mesmo dia. Ainda hoje, a fogueira de São João é o traço comum que une todas as festas de São João europeias (da Estônia a Portugal, da Finlândia à França). Uma lenda católica cristianizando a fogueira pagã estival afirma que o antigo costume de acender fogueiras no começo do verão europeu tinha suas raízes em um acordo feito pelas primas Maria[…]

Festas juninas, festa de São João ou festas dos santos populares?

Festas juninas, festa de São João ou festas dos santos populares são celebrações que acontecem em vários países historicamente relacionadas com a festa pagã do solstício de verão, que era celebrada no dia 25 de dezembro, segundo o calendário juliano (pré-gregoriano) e cristianizada na Idade Média como “festa de São João”. Essas celebrações são particularmente importantes no Norte da Europa — Dinamarca, Estónia, Finlândia, Letônia, Lituânia, Noruega e Suécia —, mas são encontrados também na Irlanda, na Galiza, partes do Reino Unido (especialmente na Cornualha), França, Itália, Malta, Portugal, Espanha, Ucrânia, outras partes da Europa, e em outros países como Canadá, Estados Unidos, Porto Rico, Brasil e Austrália. Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Festa_junina

Nossos Colaboradores