Não categorizado

Seminário em Direitos Humanos lembra 117 anos de Anísio Teixeira

Seminário em Direitos Humanos lembra 117 anos de Anísio Teixeira

O Instituto Anísio Teixeira (IAT), em parceria com o Ministério Público da Bahia (MP-BA), realiza, a partir de hoje, o II Seminário de Educação, Direitos Humanos, Políticas Públicas Educacionais e Sociais, encontro destinado a professores, promotores de justiça, juízes, defensores públicos, pesquisadores, estudantes, gestores da Educação Básica e demais profissionais interessados no debate sobre esta temática. A programação deste evento, cujo tema é “117 anos de Anísio Teixeira: Uma Vida de História e Defesa pela Educação, e os 27 anos do Estatuto da Criança e do Adolescente”, traz uma homenagem ao intelectual baiano que difundiu o papel transformador da educação para a construção de uma sociedade democrática. Nesta ocasião, entre diversas atividades e debates, será apresentado o projeto do Memorial[…]

Praças da Ciência

Praças da Ciência

Olá, pessoal. Tudo bem! Vocês já visitaram uma ‘Praça da Ciência’? Hoje vamos falar sobre esse importante equipamento montado em vários municípios baianos, inclusive em Salvador. O ‘Praças da Ciência’ é um projeto implantado pela Secretaria de Ciência Tecnologia e Inovação do Estado da Bahia com o intuito de incentivar a popularização da ciência. Para potencializar a construção de novos saberes pelos visitantes das praças, o projeto conta com a parceria do Programa de Ciência, Empreendedorismo e Inovação da Bahia, da Secretaria da Educação do Estado e com as prefeituras dos municípios onde foram implantadas. A proposta das Praças da Ciência é implantar experimentos em praças públicas de 40 municípios, contendo oito brinquedos lúdicos (balanços de comprimentos diferentes, alavanca, cadeira[…]

Raios!

Raios!

Chuva forte, ventos, raios e trovões compõem um cenário que inquieta muita gente! Antigamente, e ainda hoje, não é raro deparar-se com pessoas que, durante a ocorrência de tempestades, cobrem todos os espelhos com toalhas e lençóis, guardam todas as tesouras e facas da casa, de forma a evitar a sua exposição. Isso porque, segundo o conhecimento popular, esses utensílios têm a propriedade de atrair raios. Os mitos acerca dos raios e trovões não são de hoje, datam de períodos muito antigos. Os babilônicos, por exemplo, acreditavam que o deus Adad carregava um bumerangue em uma das mãos, que quando lançado, provocava o trovão. E, na outra mão, empunhava uma lança, que, quando arremessada, produzia os raios. Já os gregos[…]

(Des)Sustentabilidades ambientais

(Des)Sustentabilidades ambientais

Olá, comunidade! A cada ano, chegamos ao mês de Junho com a possibilidade de rediscutirmos mais intensamente sobre os caminhos que devemos escolher para vivermos com mais harmonia, respeitando as culturas, identidades e o meio ambiente. Ou seja, discutir a melhor estratégia de nos relacionarmos com o meio ambiente de maneira sustentável. Será que estamos conseguindo, ao menos, discutir estas questões democraticamente? Será que os rumos dessas discussões podem, efetivamente (ações de políticas públicas), transformar nosso comportamento desenvolvimentista? Será que realmente respeitamos a diversidade étnica? Uma coisa temos em mente: caminhar é preciso… Fig. 1: Caminhar é preciso. Imagem: Peterson Azevedo É pensando nessas questões, que devemos refletir sobre qual Brasil queremos construir para a nossa e as futuras gerações,[…]

Ping-pong com Mary Garcia Castro: Violências contra a mulher

Ping-pong com Mary Garcia Castro: Violências contra a mulher

A violência contra a mulher é uma temática que mexe com todos nós que buscamos uma sociedade melhor. Superar os estados de agressividade que atingem as mulheres é uma meta dos que querem um mundo menos hostil. Pensando no debate em que está inserida essa questão, a equipe da Rádio Anísio Teixeira conversou a professora Mary Garcia Castro sobre o assunto, tendo como inspiração o quadro Filmei! – Tapas na Alma, da TV Anísio Teixeira / Rede Anísio Teixeira. Mary é uma atuante socióloga, graduada pela Universidade Federal da Bahia e doutora pela Universidade da Flórida, além de pesquisadora da A Faculdade Latino-Americana de Ciências Sociais- Flacso e bolsista da CNPQ. Autora do livro Juventude e sexualidade no Brasil, juntamente com Miriam[…]

Diversidade Ideológica e Educação Escolar

A palavra diversidade na versão dicionarizada de Abbaganano (2007), é tratada como alteridade, diferença ou dessemelhança. Ainda segundo esse autor, ideologia é entendida como um “conjunto de ideias, convicções e princípios filosóficos, sociais e políticos que caracterizam o pensamento de um indivíduo, grupo, movimento, época, sociedade”. Como se pode notar, compreender a diversidade ideológica é conceber que ideias, valores e crenças que circulam na sociedade são diferentes e até radicalmente opostas. Cada uma com a sua verdade, vai construindo o corpo de valores humanos com suas contradições e conflitos. Ao buscar despertar o interesse da comunidade escolar, este texto pretende provocar reflexões a respeito das posições políticas e ideológicas que, a priori, são denominadas de direita, de esquerda ou de[…]

Translúcida: transgeneridade em foco

Vamos refletir sobre ética, cidadania, direitos humanos, diversidade de gênero e sexual a partir de um filme realizado por estudantes e professores como vocês? O interessante curta Translúcida foi escrito e dirigido por Neto Asterio e com produção de Carlos Miguel Brandão da Silva e Paula Maiele Silva Oliveira, todos estudantes  3º ano do ensino médio do Colégio Profª Olgarina Pitangueira Pinheiro, situado em Conceição do Coité. Selecionado pela Mostra da Produção Visuais Estudantis (Prove), Translúcida aborda um tema atual, a transgeneridade. A personagem Vera, se sente humilhada por uma professora que insiste em lhe chamar pelo seu nome de registro , ao invés do nome social. Apesar do nome social ser utilizado há alguns anos em alguns estados brasileiros, a lei que o regulamenta em âmbito[…]

Dinheiro: da moeda ao bitcoin

Olá, pessoal! Escambo. A moeda, como hoje a conhecemos, é o resultado de uma longa evolução. No início, não havia moeda. As transações comerciais eram realizadas através de simples troca de mercadoria por outra, sem equivalência de valor. A esta transação se dá o nome de escambo. “Algumas mercadorias, pela sua utilidade, passaram a ser mais procuradas do que outras. Aceitas por todos, assumiram a função de moeda, circulando como elemento trocado por outros produtos e servindo para avaliar-lhes o valor”, segundo o site Banco Central do Brasil. Eram as moedas–mercadorias, como foi o caso do gado (do latim pecus) e do sal. Essa forma de comércio, porém, não permitia o acúmulo de riquezas. As primeiras moedas. Com a descoberta[…]

Profe Soul!

Caros, colegas! Esse texto é um convite para repensar ser professor. O Programa Intervalo é um conteúdo audiovisual que contém 12 episódios que oportuniza o professor revelar seu potencial em parceria com a comunidade escolar. Esse programa é inspirado no intervalo escolar, realizado por educadores e técnicos do audiovisual e protagonizado por educandos e artistas que colaboram com a TV Anísio Teixeira. O maior propósito é disseminar e debater conteúdos pedagógicos interdisciplinares, que dão lugar a arte, a ludicidade, ao entretenimento e ampliar os diálogos entre os sujeitos (educador e educando). Como fica evidente nas experiências pedagógicas dos professores que serão aqui citados, sem todavia, desprestigiar as experiências dos demais. A educadora Gilbene Esquivel, do Colégio Estadual Germano Machado Neto, localizado[…]

Por trás de uma grande mulher….

 Em 1948, morria sozinha e desconhecida em Zurique, Mileva Maric. Poucas histórias no mundo científico seriam tão dolorosas e injustas como a dela!  Uma mulher brilhante, com pensamentos e atitudes muito além do seu tempo!  Nascida num período em que as mulheres eram responsáveis pela criação dos seus filhos e pela manutenção da casa, Mileva, diferentemente das demais, tinha outros anseios. A sua vocação para os estudos, e seu interesse por temas relacionados à Física e à Matemática, levaram o seu pai a pleitear uma permissão especial para que ela estudasse numa Escola Secundária, que, na época, era apenas para homens. No Outono de 1896, ela ingressou no renomado Instituto Federal Suíço de Tecnologia -ETH, em Zurique, onde iniciou os seus[…]

Nossos Colaboradores