História

A "música de preto" e o carnaval da Bahia

A "música de preto" e o carnaval da Bahia

Os compositores Djavan e Caetano Veloso escreveram versos de uma canção chamada Linha do Equador em que dizem “gosto de filha música de preto / gosto tanto dela assim…”Esse modo de dizer “música de preto” bem poderia ser associado à maneira pejorativa como a palavra “preto” surge para designar os negros no Brasil. Neste caso, trata-se de uma constatação feita na poesia de Caetano da força imensa da cultura negra na música popular mundial. Essa força se apresenta também na Bahia – território com grande número de pessoas descendentes de africanos da diáspora forçada pelo processo escravista desde o século XVI até o século XIX d.C. A cada início de ano, culminando com o carnaval de Salvador, a música que[…]

O Carnaval: da Saturnália aos Camarotes

É fevereiro, aproxima-se o carnaval, uma das festas mais populares do país. Em Salvador, a cada ano, a festa se transforma, metamorfoseando-se em duas: na avenida, o folião pipoca, se aglomera, pulando atrás do trio, numa região fronteiriça e insalubre, que insiste em existir, espremida entre a corda dos blocos e suntuosos camarotes. Ao lado dessa cena pitoresca, há outro carnaval que transcorre do alto. Ali estão os “vips”,  as pessoas que têm uma visão e situação social privilegiadas, que contemplam a avenida, instaladas com conforto e segurança. Nesses clubes sociais ambulantes, acontecem  shows de artistas de axé, funk e sertanejo, em paralelo ao circuito da folia. Como se vê na foto abaixo: É possível ver, com bastante evidência, a[…]

O Poder da Mídia, Ontem e Hoje!

O Poder da Mídia, Ontem e Hoje!

Estamos na era das mensagens instantâneas, com piadas e charges facilmente identificáveis como fictícias, mas com muitas outras mensagens de teor ficcional tomadas como verdadeiras. Mas por que levamos a sério essas mensagens? Simplesmente pelo fato de serem construídas nos moldes utilizados pelos meios de comunicação, que conferem credibilidade ao que está sendo compartilhado nas redes sociais. E desde sempre as coisas são assim. Exemplificando e começando pelas coisas mais simples, nós mesmos recorremos ao testemunho de uma outra pessoa para confirmar alguma história que estamos contando a alguém. Não é assim? Dizemos: pergunte a fulano. E se esse fulano for uma pessoa idônea, nossa história terá o devido respaldo. Infelizmente, muitos desses fulanos tendem a confirmar nossas histórias, mesmo[…]

Dezembro em Festa!

Dezembro em Festa!

As festas religiosas da Bahia são um patrimônio cultural do povo baiano, que resistiu bravamente ao processo de “modernização” do Brasil, no qual a Igreja Católica e os poderes públicos tentaram, a todo custo, controlar a religiosidade popular, retirando das festas de rua tudo àquilo que chamavam de “profano”. Mas esses esforços não surtiram efeito, e os “devotos continuaram transitando sem culpa entre os rituais católicos e os afro-brasileiros”[1]. No mês de dezembro celebramos Santa Bárbara, Nossa Senhora da Conceição da Praia e Santa Luzia. As festas populares, em dezembro, transformam as ruas de Salvador, estas se enchem de cores e gente! O calendário festivo religioso deste mês se inicia com a festa de Santa Bárbara, no dia 4 de[…]

GREENpense

GREENpense

  Hi there! “We will move ahead!” Essa foi a frase que ambientalistas de vários países apresentaram com o término da COP 22. Do inglês Conference of the Parties, (Conferência das Partes – COP22) corresponde a 22ª Conferência da ONU sobre o Clima, em Marraquexe, no Marrocos, ocorrida em novembro com 196 países, inclusive, o Brasil. A presença de líderes mundiais definiram particularidades do regulamento que regerá o Acordo de Paris, que definirá as diretrizes universais para seguir em frente no combate ao aquecimento global. Fig.1 Luciano Albuquerque. Frase exposta por ambientalistas na COP 22 “Nós seguiremos adiante.” O Brasil também promove ações e políticas voltadas às questões ambientais. Da árvore que o nomeou, foi inaugurado o Parque Nacional do[…]

Tecnologias Educacionais e o Antirracismo

  No mês dedicado à Consciência Negra, o Instituto Federal de Brasília (IFB) organizou a Semana de Reflexões Sobre Negritude, Gênero e Raça – SERNEGRA. Diz respeito a um evento técnico-científico, idealizado e organizado pelo Grupo de Pesquisa Estudos Culturais Sobre Classe, Gênero e Raça. Neste ano (2016), aconteceu a quinta edição do SERNEGRA, trazendo reflexões sobre a luta antirracista no Brasil, a teoria e a práxis decolonial, abordando os eixos: a colonialidade do poder, do saber e fazer ser, debruçada sobre questões como a Geopolítica do Poder e a possibilidade de uma arte e de uma pedagogia decolonial. A interculturalidade é o ponto forte desse Seminário, que contou com apresentações artísticas, oficinas, debates, filmes, palestra, simpósios temáticos com algumas[…]

Raça Humana?

Qual a sua cor ou raça? Essa pergunta faz parte do Censo, dos questionários para acesso às universidades e pode ser motivo de controvérsias e até mesmo dúvidas. O Censo 2010 detectou mudanças na composição da cor ou raça declarada no Brasil, visto que “dos 191 milhões de brasileiros, 91 milhões se classificaram como brancos, 15 milhões como pretos, 82 milhões como pardos, 2 milhões como amarelos e 817 mil como indígenas. Registrou-se uma redução da proporção de brancos, que em 2000 era 53,7% e em 2010 passou para 47,7%, e um crescimento de pretos (de 6,2% para 7,6%) e pardos (de 38,5% para 43,1%). Sendo assim, a população preta e parda passou a ser considerada maioria no Brasil (50,7%).”[…]

O Lado Azul do Novembro Negro

Desde o ano de 2003, a lei 10.639, em seu artigo 79-B, inclui o dia 20 de novembro no calendário escolar como dia Nacional da Consciência Negra, haja vista, que foi na data de 20 de novembro de 1695 que morreu Zumbi dos Palmares. Novembro é, então, um mês dedicado a reflexões, debates e ações em torno da consciência sobre esse país ser também negro, uma realidade que costuma ser negada, muitas vezes. A vigilância comemorativa não é sem razão, porque a memória social é um aporte importante da nossa identidade enquanto nação, que foi formada a partir de três matrizes étnicas, a luta é para que negros brancos e índios sejam representados igualmente em nossa história.  Atualmente, o mês[…]

A África e o Comércio de Tecidos na Modernidade

Aprendemos nas escolas que no século XVIII houve profundas mudanças na estrutura de organização do trabalho. O trabalhador artesão foi substituído pelo operário na produção de manufaturas.  Este último, ao contrário do primeiro, foi destituído do conhecimento global do processo produtivo, bem como dos meios de produção, para tornar-se mão de obra subjugada ao “patrão”. Esse modelo foi exportado para diversas regiões do mundo, fazendo da Inglaterra o grande centro difusor de transformações econômicas e sociais. O objetivo era potencializar a produção, aumentando o quantitativo de tecidos para atender ao mercado externo. A indústria têxtil tornou-se, então, o carro chefe de todo esse processo. E para entendermos o porque da demanda por tecidos ter impactado tão profundamente o mercado mundial,[…]

A Luta dos Movimentos Negros na Tela do Cinema

A Luta dos Movimentos Negros na Tela do Cinema

Olá, galerinha do PW! No mês de novembro, celebramos o Dia Nacional da Consciência Negra, e não posso deixar de recomendar dois filmes que me inspiraram a escrever este texto: “Até o Fim” e “Selma”. Esses dois filmes são fascinantes e abordam, dentro de um contexto histórico, a luta dos negros afro-americanos pelos direitos civis nos Estados Unidos. Sei que muitos  leitores devem achar irrelevante falar sobre a história de outro país, enquanto poderíamos exaltar a nossa, no entanto, esses filmes tratam, dentro de um contexto social e político, a vida de  Martin Luther King. Conhecendo um pouco da sua trajetória, vejo a influência de seus ideais no movimento negro no Brasil e no mundo. Os negros americanos foram escravizados[…]

Nossos Colaboradores