Educação

Oxe! Forró é For all?

Fig. 1: Ilustração feita por Josymar Alves Oxente! É São João! Vou aquecer essa indagação no calor de uma fogueira, ao som da zabumba do Rei do Baião! Aliás, assim ele já cantava a composição de José Batista e Antônio Barros: “ Reinado, coroa Tudo isso o baião me deu Estrelas de ouro No meu chapéu Roupa de couro e gibão Como um milagre caído do céu…” Fig.2 Selo produzido pelos Correios em homanagem a Luiz Gonzaga no ano de 2012 Mas, a propósito! De onde vem a expressão for all? Bem… muitos tentam explicá-la, até mesmo Geraldo Azevedo em sua canção “For All Para Todos”, mas a verdade é que, segundo a pseudoetimologia a palavra forró resultaria da expressão[…]

Instituto Anísio Teixeira abre inscrições para Oficina de Produção de Mídias Estudantis

Instituto Anísio Teixeira abre inscrições para Oficina de Produção de Mídias Estudantis

O Instituto Anísio Teixeira, por meio do Programa de Difusão de Mídias e Tecnologias Educacionais Livres da Rede Pública Estadual de Ensino, Rede Anísio Teixeira – Rede AT, abre inscrições para a Oficina de Produção de Mídias Estudantis. O objetivo da oficina é formar estudantes e professores da rede pública de ensino para atuarem como produtores e gestores multimídia, além de estimular o uso de softwares livres nas unidades escolares. Inscrição Professores e estudantes do ensino médio da rede pública de ensino da Bahia têm até o dia 01 de julho para se inscrever na atividade de formação. O curso tem carga horária de 56 horas e disponibilizará 20 vagas, sendo 4 para professores e 16 para estudantes. Para participar[…]

“O Cordel Tem Tudo a Ver com a Educação”

“O Cordel Tem Tudo a Ver com a Educação”

Chegou ao Brasil no século XVI e, de lá pra cá, ainda reclama mais visibilidade e lugar de importância entre os textos literários. Trata-se do Cordel, narrativas em versos impressas em papel simples, ilustradas com xilogravuras e que era, geralmente, exposto em barbantes ou cordas. Com nomes distintos desde o seu nascimento, andou na Espanha como “pliegos suelitos”, em Portugal como “folhas sueltos” ou “volantes”. Foi trazido pelos portugueses, instalou-se na Bahia e estabeleceu-se no Nordeste, região bastante retratada em histórias ricas em dramas e comicidade. Com uma linguagem coloquial e rimas simples para tratar de temas populares do povo nordestino, o Cordel foi muito estigmatizado, especialmente entre os intelectuais. Por outro lado, apesar disso, há registros de que escritores[…]

Sobre hortas e hábitos 

Houve um tempo em que a alimentação da população era muito rica em vegetais e era comum ter horta e pomar em casa. Hoje em dia, com as facilidades da vida moderna, diminuição dos espaços para moradia e migração para os grandes centos urbanos, dentre outros fatores,  esse panorama mudou muito! Fig. 1 – Dia de feira. Fonte: Rede Anísio Teixeira As feiras livres ainda existem, mas é no supermercado que encontramos de tudo! E lá existe um ambiente com frutas e verduras frescas, mas a variedade e disponibilidade de alimentos congelados e industrializados é extremamente maior. Nem os bebês escapam dos terríveis “potinhos” que podem durar anos nas prateleiras até chegarem ao dia do consumo. Uma simples sopinha, um[…]

O CEL (Um exemplo a ser seguido – Cidadania e Acessibilidade)

O Centro de Estudos da Leitura – CEL tornou-se a sede do Programa de Pesquisa, Ensino e Extensão Estação da Leitura – Estale em 2005. O  Estação da Leitura, por sua vez, nasceu como projeto de pesquisa e extensão do Laboratório e Memória DCHL/UESB, em 1991. Nessa ocasião, foram lançadas, em terreno fértil, as primeiras sementes de um desejo: colocar à prova nossas próprias teorias sobre leitura e prazer no espaço escolar. O que germinou daí teve um alcance jamais imaginado de início, quando as primeiras letras do projeto se desenharam numa folha de papel, povoando-a de sonhos e de loucura. Como que no aconchego de uma estufa de ideias e sentimentos, brotaram, em viço e vida, oficinas, palestras, participação em congressos, publicações, monografias, vídeos,[…]

Labor or Labour?

Hey everyone! Vamos bater um papo meio portuglês? Por sermos espertos, sabemos que existem diferentes formas de se expressar e de dizer as coisas em inglês e em português. Bem, estamos no mês temático do trabalho e,diferentemente, do Brasil o Labor Day é comemorado em outra data em alguns países que têm o inglês como idioma oficial. Para abordar a temática,vamos aprender algumas expressões do universo laboral e ampliar o nosso vocabulário, tão necessário para a aquisição de um novo idioma. Mas, à propósito, o correto é labor ou labour ? Em verdade, ambos estão corretos, pois a primeira forma trata-se da grafia do inglês americano enquanto que a segunda trata-se do inglês britânico. Para aquecer a nossa discussão sobre[…]

Consumo e Meio Ambiente

Consumo e Meio Ambiente

Olá, pessoal! Muitos desejam trocar o celular por um de última geração, aquela TV digital com 1001 funções ou até mesmo, aquele carro do ano. Mas depois que trocamos, para onde vão as coisas antigas? Será que precisamos mesmo substituí-las? As coisas se deslocam através de um sistema, que vai desde a extração, produção, distribuição, consumo e teoricamente o tratamento de lixo. O conjunto de tais etapas se chama Economia de Materiais. Trata-se de um sistema linear em um planeta de recursos finitos, que interage com as pessoas que vivem e trabalham nesse sistema, onde algumas são mais importantes de que outras, ou que têm maior poder de decisão dentre elas: o governo e as grandes corporações. Onde a primeira[…]

Mães de Outdoors

Mães de Outdoors

Tarefa delicada para o(a) professor(a) é olhar o mundo como um legítimo portador de conteúdos para o trabalho com seus pares e com seus estudantes. Reconhecer a relação dinâmica entre o mundo e a educação é o primeiro passo porque “toda vez que dou (damos) um passo o mundo sai do lugar”, já diz Siba, cantor pernambucano. Vale então se perguntar o que pensam os professores sobre o fato de costumeiramente pararem suas atividades didáticas e entrarem em campanha para o Dia das Mães, em maio; ou Dia dos Pais, em agosto. Será que – para além do aspecto comercial destas datas – as escolas já problematizam o lugar da mulher no mundo atual?  E a mulher no papel de[…]

Etnomatemática

Olá pessoal! Tudo Beleza? Espero que sim! Para abrirmos as discussões do mês de maio, falaremos sobre a etnomatemática, sob o ponto de vista dos povos e da cultura indígena. Durante muito tempo, essa etnia teve sua cultura, língua, ciência e conhecimento matemático renegados pelos povos colonizadores e pelo Ocidente. No entanto, sabemos que cada etnia  possui a sua própria forma de produzir ciência e de representá-la.  Assim como ocorre nas ciências, cada etnia  também produz seu conhecimento matemático, no qual esse saber também é representado de diversas formas  e surge a partir das necessidades de cada grupo étnico. A etnia Guarani-Kaiowá por exemplo, não atribui o valor três  quando estão diante de três folhas de uma mesma planta. Os[…]

Línguas, Pra Que Te Quero?

Olá! Você conhece os benefícios de aprender outros idiomas? Você sabia que as línguas, além de  facilitarem a comunicação com pessoas de diferentes nacionalidades e suas culturas, contribuem também para o crescimento do cérebro? Segundo estudos neurológicos mais recentes, estudar línguas deixa o cérebro em forma, além de atrasar os sintomas de Alzheimer! Do ponto de vista pedagógico, por acessar muitas outras culturas,  podemos aprender mais sobre nós mesmos, enquanto povo, devendo ser este, também, o foco da aprendizagem. Além do código linguístico, devemos também atentar para o discurso que vem embutido nos livros, vídeos, excertos, etc. São modos de viver, de ser e de pensar próprios de cada cultura, que podem ser absorvidos, muitas vezes, sem a devida reflexão.[…]

Nossos Colaboradores