Ciências da Natureza, Matemática e suas Tecnologias

Vai uma tapioca aí?

Falar de tapioca é lembrar de mandioca, é falar de Nordeste, é falar um pouco da nossa alimentação. Se existe um ingrediente muito utilizado, esse certamente é a mandioca, presente em muitos pratos típicos do Nordeste . Ela possui uma importância cultural e histórica muito grande, podendo ser classificada pela quantidade de ácido cianídrico – mansa (macaxeira ou aipim) ou brava (venenosa), uma raiz nativa da Amazônia brasileira e, segundo a Embrapa, existem quase 250 variedades de mandioca. O cultivo da mandioca começou na bacia do amazonas por diversas tribos indígenas. Se espalhou aos poucos pela América do Sul (Venezuela e as Guianas) e, em seguida, na América Central e do Norte. Conta a lenda que, nos tempos indígenas, existia uma indiazinha chamada[…]

Sobre hortas e hábitos 

Houve um tempo em que a alimentação da população era muito rica em vegetais e era comum ter horta e pomar em casa. Hoje em dia, com as facilidades da vida moderna, diminuição dos espaços para moradia e migração para os grandes centos urbanos, dentre outros fatores,  esse panorama mudou muito! Fig. 1 – Dia de feira. Fonte: Rede Anísio Teixeira As feiras livres ainda existem, mas é no supermercado que encontramos de tudo! E lá existe um ambiente com frutas e verduras frescas, mas a variedade e disponibilidade de alimentos congelados e industrializados é extremamente maior. Nem os bebês escapam dos terríveis “potinhos” que podem durar anos nas prateleiras até chegarem ao dia do consumo. Uma simples sopinha, um[…]

Muito Além do 5 de Junho

Olá,  turma! Vocês sabem o porquê de 5 de junho ser o Dia Mundial do Meio Ambiente? Foi nesse dia que ocorreu, em Estocolmo, capital da Suécia, a Conferência das Nações Unidas sobre o Meio Ambiente Humano, há 44 anos. A partir daí, a  Organização das Nações Unidas – ONU instituiu o dia 5 de junho como uma oportunidade para que todas as pessoas, mundialmente, reflitam sobre os problemas ambientais e a importância da preservação dos recursos naturais.   As conferências ambientais internacionais, além da Conferência de  Estocolmo, em 1972, foram: Conferência de Toronto (Canadá, 1988), Conferência de Genebra (Suíça, 1990), Conferência no Brasil (Rio de Janeiro, 1992), Conferência de Berlim (Alemanha, 1995),  Conferência de Genebra (Suíça, 1996), Conferência de Kyoto (Japão,[…]

Catadores de Material Reciclável: Por um Planeta Sustentável

Quantos de nós não já vimos pessoas vasculhando tonéis de “lixo” à procura de materiais recicláveis? O que esses homens e mulheres buscam? Seriam essas pessoas catadoras de lixo? Em primeiro lugar, o que é lixo? É considerado lixo apenas o que não se pode reaproveitar. Por isso, a partir de agora, sempre que virmos catadores nas ruas, devemos saber que eles formam um verdadeiro exército do bem, pois coletam materiais recicláveis, separando do rejeito tudo o que pode ser reutilizado. Infelizmente, muitas vezes, em nossas casas, juntamos o rejeito ao material reciclável para descarte. Esse tipo de ação dificulta a reciclagem e o trabalho dos catadores, que vasculham nas portas das casas e dos edifícios das grandes cidades um[…]

Ecologia, Produção e Consumo: Como Conciliar Essas Ideias?

“A satisfação das necessidades humanas é o objetivo máximo do homologaolvimento… O homologaolvimento sustentável requer que as necessidades básicas de todos sejam atendidas e que sejam estendidas a todos a oportunidade de satisfazer suas aspirações por uma vida melhor.” (CMMD, 1987, p. 43-4). Fonte: https://commons.wikimedia.org/wiki/File:Desarrollo_sostenible.svg A ideia de homologaolvimento sustentável atualmente é usada em vários sentidos. Do ponto de vista das inter-relações entre o sistema econômico e o meio ambiente, o enfoque inicial foi essencialmente biocêntrico – era a natureza que devia ser preservada. Em contraste a essa ideia, focaliza-se o funcionamento do sistema econômico. Mas a economia é vista como dependendo fundamentalmente de recursos naturais fornecidos pelo ecossistema global, bem como da capacidade deste de suportar a agressão promovida[…]

Etnomatemática

Olá pessoal! Tudo Beleza? Espero que sim! Para abrirmos as discussões do mês de maio, falaremos sobre a etnomatemática, sob o ponto de vista dos povos e da cultura indígena. Durante muito tempo, essa etnia teve sua cultura, língua, ciência e conhecimento matemático renegados pelos povos colonizadores e pelo Ocidente. No entanto, sabemos que cada etnia  possui a sua própria forma de produzir ciência e de representá-la.  Assim como ocorre nas ciências, cada etnia  também produz seu conhecimento matemático, no qual esse saber também é representado de diversas formas  e surge a partir das necessidades de cada grupo étnico. A etnia Guarani-Kaiowá por exemplo, não atribui o valor três  quando estão diante de três folhas de uma mesma planta. Os[…]

Lições Indígenas

Os povos indígenas manejam os recursos naturais de maneira sustentável. Eles procuram aplicar estratégias de uso dos recursos que, mesmo transformando seu ambiente, não alteram os princípios de funcionamento e nem colocam em risco as condições de reprodução deste meio. Trocando em miúdos, eles apenas consomem para sobreviver, utilizam apenas o necessário, sem excedentes! Tomemos como exemplo a visão destes povos como homens “naturais”, defensores da natureza. Os índígenas têm consciência da sua dependência – não apenas física, mas sobretudo cosmológica – em relação ao meio ambiente. O modo como evitam a sobrecarga dos recursos ambientais ao dividir a aldeia cada vez que a população se torna excessiva “é de uma enorme sabedoria”. Desta forma, evita-se o superpovoamento. “Temos que[…]

Os Aspectos da Interculturalidade da Saúde Indígena: Uma Questão de Participação e Interdisciplinaridade

Os Aspectos da Interculturalidade da Saúde Indígena: Uma Questão de Participação e Interdisciplinaridade

Vamos pensar na saúde dos povos indígenas? Abrimos o mês temático em homenagem aos povos indígenas fazendo uma problematização a respeito dos aspectos interculturais, participação e interdisciplinaridade na assistência à saúde pública das etnias indígenas. Nesse contexto, podemos entender quão importante se faz a compreensão da organização na prestação dos serviços de acesso à saúde. Então, de acordo com os dados do IBGE publicados em 2010, a presença de índios no Brasil, está mapeada e distribuída em área urbana e rural com 897 mil indivíduos em todas as unidades federativas do Brasil com variados aspectos de diversidade cultural exigindo especificidade e diferenciação de elaboração e implantação de políticas públicas. O Direito à Atenção Básica deve ser assegurado a todos os[…]

Agora diga quem é “zica”!

Vamos combater o Aedes aegypiti, artrópode vulgarmente conhecido como “mosquito da dengue”? Esse Vetor de transmissão de arbovírus, como o vírus da dengue, do chikungunya, da febre amarela e também do zika vírus, que são doenças do tipo arboviroses (infecções virais), se homologaolve em áreas tropicais e subtropicais e vem acometendo uma grande parte da população brasileira, principalmente nordestinos, indiscriminadamente. Atender ao alerta geral para que todos os brasileiros participem dessa luta contra o vetor das doenças, é muito importante. Clicando na imagem abaixo, você terá acesso às informações da Cartilha INIMIGO N.º1. Erradicar o mosquito é o que devemos fazer. Seja um monitor nesse processo! Seguem algumas dicas que vão auxiliar na erradicação: eliminar e ou tratar os criadouros;[…]

Cem anos de Relatividade Geral

Olá, galera do PW! Vocês já ouviram falar sobre a Teoria da Relatividade Geral? Pois bem, neste ano de 2015, ela completa 100 anos! Concebida  pelo  físico alemão Albert Einstein, ela revolucionou a Física e a forma como idealizamos a natureza e o Universo. A Relatividade pode ser pensada como uma interpretação da força da gravidade, até então, explicada pela Teoria da Gravitação Universal de Isaac Newton. Segundo este, duas partículas quaisquer do Universo se atraem por meio de uma força que é diretamente proporcional ao produto de suas massas e inversamente proporcional ao quadrado da distância. No entanto, a velha Física Clássica não explicava uma série de fenômenos associados a luz, incluindo aí, o desvio que ela sofre ao[…]

Nossos Colaboradores