Autor: Telma Santos

Dezembro em Festa!

Dezembro em Festa!

As festas religiosas da Bahia são um patrimônio cultural do povo baiano, que resistiu bravamente ao processo de “modernização” do Brasil, no qual a Igreja Católica e os poderes públicos tentaram, a todo custo, controlar a religiosidade popular, retirando das festas de rua tudo àquilo que chamavam de “profano”. Mas esses esforços não surtiram efeito, e os “devotos continuaram transitando sem culpa entre os rituais católicos e os afro-brasileiros”[1]. No mês de dezembro celebramos Santa Bárbara, Nossa Senhora da Conceição da Praia e Santa Luzia. As festas populares, em dezembro, transformam as ruas de Salvador, estas se enchem de cores e gente! O calendário festivo religioso deste mês se inicia com a festa de Santa Bárbara, no dia 4 de[…]

A África e o Comércio de Tecidos na Modernidade

Aprendemos nas escolas que no século XVIII houve profundas mudanças na estrutura de organização do trabalho. O trabalhador artesão foi substituído pelo operário na produção de manufaturas.  Este último, ao contrário do primeiro, foi destituído do conhecimento global do processo produtivo, bem como dos meios de produção, para tornar-se mão de obra subjugada ao “patrão”. Esse modelo foi exportado para diversas regiões do mundo, fazendo da Inglaterra o grande centro difusor de transformações econômicas e sociais. O objetivo era potencializar a produção, aumentando o quantitativo de tecidos para atender ao mercado externo. A indústria têxtil tornou-se, então, o carro chefe de todo esse processo. E para entendermos o porque da demanda por tecidos ter impactado tão profundamente o mercado mundial,[…]

A Masculinidade que Afeta a Saúde do Homem

Homem que é homem não chora, não sente dor, não demonstra amor e não vai ao médico, pois homem que é homem é forte e é protetor. Homem que é homem não se cuida, não vai ao médico. É que cuidar da saúde é coisa de mulher. Esses pensamentos, tão próprios de nossa sociedade, são reflexo da construção de gênero, que polariza a percepção do feminino em relação ao masculino. Em outras palavras, as noções do feminino e do masculino foram construídas para serem antíteses uma da outra. Se o cuidado está no âmbito do feminino, a “falta de cuidado” com a própria saúde seria, em parte, constitutiva da imagem heteronormativa que se fez do masculino. Esse fator, associados à[…]

Culto a Nossa Senhora da Boa Morte, Resistência e Luta do Povo Negro Contra a Escravidão

  De que forma a fé e a devoção à Nossa Senhora da Boa Morte tem a ver com a luta e resistência do povo negro contra a escravidão na Bahia oitocentista? Para sabermos mais sobre esse assunto, é preciso viajarmos pela história, atravessando o oceano Atlântico, em direção a Portugal! As confrarias, dentre as quais situamos as irmandades e ordens terceiras, surgem em Portugal no século XIII. Tinham por objetivo primeiro assistir a seus membros e demais pessoas não associadas em tempos difíceis da vida, segundo o professor de história João José Reis. Formada por pessoas leigas, as irmandades necessariamente deveriam buscar abrigo em uma igreja, podendo também construir uma. A partir da expansão marítima, esta forma de “agremiação”[…]

A "Pronta Entrega" dos Negros Escravizados na Revolta dos Búzios

A Revolta dos Búzios, também conhecida como Conjuração Baiana, foi um movimento popular, motivado pelo descontentamento da população mestiça e pobre de Salvador, com  as desigualdades sociais e as dificuldades quase intransponíveis de ascensão na carreira militar, a qual a quase totalidades dos homens presos e condenados pertenciam. Entretanto, para além do protagonismo desses setores de base da sociedade, uma elite política e econômica, apelidada de “Corporação dos Enteados”, também tomou parte neste movimento. Os objetivos de um e outro grupo, entretanto, divergiam, resultando no rompimento desta “aliança” no  momento da deflagração da revolta, em 12 de agosto de 1978. Durante as investigações para se descobrir quais as pessoas envolvidas na conjuração Baiana, 11 negros escravizados foram entregues à justiça[…]

A “Pronta Entrega” dos Negros Escravizados na Revolta dos Búzios

A Revolta dos Búzios, também conhecida como Conjuração Baiana, foi um movimento popular, motivado pelo descontentamento da população mestiça e pobre de Salvador, com  as desigualdades sociais e as dificuldades quase intransponíveis de ascensão na carreira militar, a qual a quase totalidades dos homens presos e condenados pertenciam. Entretanto, para além do protagonismo desses setores de base da sociedade, uma elite política e econômica, apelidada de “Corporação dos Enteados”, também tomou parte neste movimento. Os objetivos de um e outro grupo, entretanto, divergiam, resultando no rompimento desta “aliança” no  momento da deflagração da revolta, em 12 de agosto de 1978. Durante as investigações para se descobrir quais as pessoas envolvidas na conjuração Baiana, 11 negros escravizados foram entregues à justiça[…]

Maria Quitéria: O Feminino nas Forças Armadas

Maria Quitéria: O Feminino nas Forças Armadas

Os ânimos em Salvador estavam exaltados no ano de 1821. O governo das armas, até então ocupado pelo brasileiro Manuel Pedro de Freitas Guimarães, por ordem da Coroa Portuguesa, passou a ser exercido pelo brigadeiro português Inácio Luís Madeira de Melo. Os oficiais brasileiros do 1º regimento se recusavam a aceitar a nomeação do dito brigadeiro. O conflito estava instaurado e muitos baianos não reconheciam o novo comandante português. O sentimento de Independência da Bahia do jugo português crescia nos corações dos baianos. Diante da ocupação portuguesa em Salvador, militares e civis brasileiros organizaram no Recôncavo a resistência contra as tropas portuguesas. Figura 1   Foi nesse contexto que um emissário do governo visitou a fazenda Rio de Peixe do[…]

Catadores de Material Reciclável: Por um Planeta Sustentável

Quantos de nós não já vimos pessoas vasculhando tonéis de “lixo” à procura de materiais recicláveis? O que esses homens e mulheres buscam? Seriam essas pessoas catadoras de lixo? Em primeiro lugar, o que é lixo? É considerado lixo apenas o que não se pode reaproveitar. Por isso, a partir de agora, sempre que virmos catadores nas ruas, devemos saber que eles formam um verdadeiro exército do bem, pois coletam materiais recicláveis, separando do rejeito tudo o que pode ser reutilizado. Infelizmente, muitas vezes, em nossas casas, juntamos o rejeito ao material reciclável para descarte. Esse tipo de ação dificulta a reciclagem e o trabalho dos catadores, que vasculham nas portas das casas e dos edifícios das grandes cidades um[…]

Consumo Consciente na “Terra dos Homens Íntegros”

Que tal viajarmos no tempo e no espaço para um país chamado Burkina Faso, localizado no Oeste Africano, para descobrirmos que o consumo consciente pode  nos levar a uma visão crítica da nossa realidade mais imediata, bem como do contexto mais amplo no qual estamos inseridos? O primeiro passo é localizarmos esse país no continente africano. No mapa abaixo, Burkina Faso está sinalizado de vermelho! Fig. 1 Mapa da África com destaque para Bukina Faso Até 1983, Burkina Faso se chamava República do Alto Volta. Esse pequeno país, localizado no Oeste africano e sem saída para o mar, vivia com grandes dificuldades econômicas. Parte da população não tinha o que comer. Desnutridos e sem acesso a um sistema de saúde[…]

Reformatório Krenak: O Purgatório dos Pataxó Durante a Ditadura Militar

Reformatório Krenak: O Purgatório dos Pataxó Durante a Ditadura Militar

No dia 17 de abril de 2016, o Brasil assistiu perplexo à cena grotesca protagonizada pelo deputado federal Jair Bolsonaro, durante o plenário de votação da admissibilidade do processo de impedimento da presidente Dilma Rousseff, ao dedicar o seu voto ao coronel Carlos Alberto Brilhante Ustra, chefe do DOI-CodI do Exército de São Paulo, órgão de repressão política do governo militar. O dito coronel foi responsável pelas sessões de tortura praticadas contra a então militante política Dilma Rousseff e muitos outros jovens que lutaram contra a opressão vivida no Brasil. Mas o que o ato infame do deputado Bolsonaro tem a ver com o reformatório de Krenak e com os índios Patoxó do sul da Bahia? Para entendermos esse elo[…]

Nossos Colaboradores