Autor: Raulino Júnior

II Seminário de Educação e Tecnologia: como foi o primeiro dia

O II Seminário de Educação e Tecnologia reuniu gente da Bahia e de outros cantos do Brasil. O evento uniu vários sotaques e culturas com um importante propósito: discutir e pensar o uso e a produção de mídias e tecnologias livres nas escolas. Durante os dois dias, debates, discussões e questionamentos protagonizaram a atenção dos participantes. No dia 14 de maio, a primeira temática discutida falou sobre mídias e tecnologias educacionais livres, abordando os conceitos e as políticas públicas relacionadas. Mônica Franco, da Diretoria de Formulação de Conteúdos Educacionais do Ministério da Educação e Yuri Wanderley, colaborador da Rede Anísio Teixeira, participaram da mesa. Em sua fala, entre outras coisas, Mônica chamou a atenção para as transformações que ocorreram na[…]

II Seminário de Educação e Tecnologia – 1º Dia do Seminário

[youtube=http://www.youtube.com/watch?v=GhBIos1_icM&w=560&h=315] Educadores, estudantes e interessadas/os na temática de educação e tecnologia digital vão poder ampliar ainda mais os seus conhecimentos. A razão disso é o II Seminário de Educação e Tecnologia, que terá como ênfase o uso e a produção de mídias e tecnologias livres na escola. O evento, que acontece no Instituto Anísio Teixeira (IAT), vai discutir assuntos como políticas públicas relacionadas às mídias e tecnologias livres, ética, inclusão digital, tecnologias assistivas e robótica. Na ocasião, as/os educadores da TV Anísio Teixeira vão lançar o mais novo programa do projeto, cujo nome é Intervalo. Apropriação crítica No início deste ano, numa entrevista para a Revista do AEW, Yuri Wanderley, coordenador da Rede Anísio Teixeira e um dos palestrantes do[…]

II Seminário de Educação e Tecnologia: uso e produção de mídias e tecnologias livres nas escolas

Oi, pessoal! Tudo bem? A produção de mídias e tecnologias livres nas escolas será a temática abordada no II Seminário de Educação e Tecnologia, uma ação da Secretaria da Educação do Estado da Bahia. O evento vai acontecer nos dias 14 e 15 de maio de 2014, no Instituto Anísio Teixeira, em Salvador. O seminário terá interação através de videoconferência e transmissão pela internet no Portal da Educação. O seu objetivo é o de contribuir para a qualificação dos processos de ensino-aprendizagem na formação de estudantes e professores, bem como estimular a apropriação crítica, contextualizada e colaborativa das mídias e tecnologias educacionais livres nas escolas da rede estadual. Além de palestras temáticas e mesas-redondas com a participação de representantes de[…]

Culturas indígenas em debate

“O Brasil não foi descoberto. O Brasil foi invadido”. Essas palavras, ditas pela índia Potyra Tê Tupinambá, na videoconferência Apropriações tecnológicas no ensino – aprendizagem da história e cultura dos Povos Indígenas, realizada na quarta-feira, 23 de abril, no Instituto Anísio Teixeira (IAT), revelam a forma como os povos indígenas querem ser representados: sem invasão. E invasão, aqui, não é só metáfora; é constatação. Além de trazer reflexões sobre a cultura indígena, o principal objetivo da videoconferência foi o de estimular a implantação da Lei 11.645/08, que trata da obrigatoriedade de incluir no currículo oficial da rede de ensino a temática “História e Cultura Afro-Brasileira e Indígena”. A mestre em educação pela Universidade do Estado da Bahia (UNEB), Rosilene Cataa[…]

Mês temático – Povos Indígenas

Oi, turma! Tudo bem? Neste mês, todo o conteúdo do Blog PW vai priorizar o diálogo sobre as nossas culturas indígenas. Nosso principal objetivo é o de aprender e compartilhar informações sobre a história e cultura dos povos indígenas, de uma forma respeitosa e sem estereótipos. Levando em consideração, sobretudo, as opiniões e vivências dessas culturas. Mais do que comemorar o Dia do “Índio”, a nossa intenção é propor um diálogo voltado para a Lei 11.645/08, em que debateremos a relação das culturas indígenas com as questões dos valores, identidade e diversidade cultural. E, para que isso aconteça de forma eficaz, contamos com a sua participação nas nossas mídias, para partilharmos as experiências e aprofundarmos mais o conhecimento.

Ser-tão: Núcleo de Estudos e Pesquisas em Gênero e Sexualidade da Universidade Federal de Goiás

Oi, pessoal! Tudo bem? Como já foi divulgado aqui em outra ocasião, neste mês escolhemos a temática de gêneros e sexualidades para guiar as nossas postagens e fomentar o debate na sociedade, principalmente no ambiente escolar. Nesse sentido, hoje, a nossa dica é o site do Ser-tão, o Núcleo de Estudos e Pesquisas em Gênero e Sexualidade da Universidade Federal de Goiás (UFG). O núcleo é vinculado à Faculdade de Ciências Sociais da instituição. O que é que o Ser-tão tem O Ser-tão foi criado no final de 2006 e tem como principal objetivo promover a equidade de gênero e garantir os direitos sexuais. No site, professores, estudantes e pesquisadores vão encontrar resultados de pesquisas (e o andamento das que[…]

Tenda Digital: você viu?

Oi, pessoal! Tudo bem? Na semana passada, durante o 2º Encontro Estudantil Todos pela Escola, o Professor Web (PW) interagiu com professores e estudantes na Tenda Digital, um espaço que unia arte, ciência e tecnologia. Na Tenda Digital a interação com os estudantes foi intensa e muito dinâmica, com computadores disponíveis para a equipe da Rede Anísio Teixeira apresentar diversas mídias e tecnologias livres, oficinas de produção audiovisual e o espaço mais agitado da Tenda, o Palco Livre, em que estudantes, professores e artistas das mais diversas áreas se apresentaram cantando suas músicas de preferência, recitando poesias, cordéis e até mesmo improvisando um rap ou beat box. O rap do Professor Web também teve seus momentos no Palco Livre, e[…]

Um conto para fazer o pensamento ir além

 O livro Nas asas da liberdade, do escritor Rogério Andrade Barbosa, apresenta uma narrativa comovente, ao contar a história de uma comunidade africana denominada “Gullah”, na qual a população tinha o poder de voar. Os negros da Gullah, que recebiam esse nome por serem oriundos da Angola,  tinham conhecimentos sobrenaturais e asas da cor do ébano. A história une fantasia e traços da realidade, principalmente quando fala de sofrimento e de escravidão. O conto de Rogério Andrade Barbosa emociona quando coloca o leitor em contato com a história de um negro idoso Gullah, que era sábio e ensinava aos mais novos uma estratégia infalível para eles se livrarem do mal (no caso, a repressão e a subserviência): voar. Invocando a[…]

A crítica e a resistência na arte do Bando de Teatro Olodum

O Bando de Teatro Olodum foi fundado em outubro de 1990; o espetáculo Cabaré da RRRRRaça esteve envolvido numa polêmica mesmo antes de estrear;  hoje em dia, não existe nenhum vínculo entre  a banda Olodum e o Bando. Essas e outras informações estão presentes na estimulante biografia O Teatro do Bando: negro, baiano e popular, escrita pelo jornalista soteropolitano Marcos Uzel. Nela, Marcos convida o leitor a fazer um passeio por toda a trajetória do grupo criado por Márcio Meirelles e Chica Carelli. “A intenção é que sirva como um documento para a memória do teatro baiano”, é o que afirma Uzel, numas das páginas da obra, lançada em 2003. O Bando de Teatro Olodum nasceu de uma inquietação da[…]

Luiz Gama, um baiano cheio de ideais

 A breve biografia de Luiz Gama, escrita por Myriam Fraga, em 2005, dentro da coleção “A luta de cada um”, da Biblioteca Afro-Brasileira, da editora Pallas, é um convite saboroso para conhecer um dos homens mais importantes da nossa história, sobretudo quando se fala da luta abolicionista. Filho da quitandeira Luiza Mahin, africana de origem nagô, e de um fidalgo português, Luiz Gonzaga Pinto da Gama nasceu em Salvador, em 21 de junho de 1830. Luiza, embora fosse livre, participava ativamente de levante de escravos na cidade e nos arredores. Dentre as rebeliões de que participou, a mais famosa foi a Revolta dos Malês. Os malês eram escravos muçulmanos que não se conformavam com o cativeiro e sempre tentavam fugir[…]

Nossos Colaboradores