Autor: Peterson Azevedo

Belo ou trágico?

Belo ou trágico?

Fala, comunidade! Água, do latim aqua, substância líquida e incolor, insípida e inodora, essencial para a vida da maior parte dos organismos vivos, cobre 70% da superfície terrestre, sob a forma de mares, lagos e rios. Mas será que sabemos administrá-la racionalmente de forma sustentável? Será que se faz necessária a devastação ambiental, a degradação econômica e social dos povos tradicionais e suas matrizes culturais, para o pleno desenvolvimento do Brasil? O papo de hoje é sobre a importância da água e suas políticas de sustentabilidades econômica, social e ambiental no Brasil. Segundo o Ministério do Meio Ambiente brasileiro, a matriz energética do país é considerada a matriz mais “limpa” e renovável do mundo, sendo que 45,3% é de matriz[…]

Salvador: da ocupação dos espaços à urgência de ocuparmos espaço

Salvador: da ocupação dos espaços à urgência de ocuparmos espaço

Fala, comunidade! Hoje, Salvador completa mais um aninho, são 469 anos de luta. Os desafios são enormes, principalmente no que se refere ao uso e ocupação de seu espaço geográfico (cartografia). Afinal de contas, existe uma cidade única ou uma cidade partida? Existe, na cidade do Salvador, espaços compartilhados, em que as estruturas de comércio e lazer são pensadas para usos comuns dos seus munícipes ou é possível pensarmos nesses espaços como áreas de exclusão? Depende. Devemos analisar, sobretudo, as estruturas que envolvem (historicamente) as relações sociais e econômicas nesses espaços, a mobilidade urbana em consonância a estas relações, a geografia urbana como metodologia de gestão pública, como epicentro dos fluxos e dinâmicas desta rede espacial. Nesse sentido é possível[…]

A Rede Anísio Teixeira lança o Manual Básico de Fotografia para Educação Básica.

A Rede Anísio Teixeira lança o Manual Básico de Fotografia para Educação Básica.

Fala comunidade, Na contemporaneidade, observa-se uma necessidade imediata na ampliação do que se refere às leituras de mundo. As novas tecnologias já consolidadas exigem, por parte dos sujeitos, apropriação, produção, a capacidade de interpretar e usar as mídias digitais com mais autonomia, profundidade, ética, colaboração, contextualização e criticidade.Pensando nessas questões O professor Peterson Azevedo (fotógrafo e professor da Rede Anísio Teixeira) propõem uma reflexão maior no que se refere ao entendimento e uso das mídias livres como instrumento na construção e compartilhamento de saberes, sobretudo através de discursos autorais. No que diz respeito a arte de olhar o mundo por meio da fotografia, não podemos negar seu valor dialógico, ainda mais no ciberespaço onde as diversas formas de leituras e[…]

Globalização ou Globalitarismo?

Globalização ou Globalitarismo?

Olá, galerinha! Continuamos com nossa série Mutirão para o ENEM. Hoje, vamos falar sobre um tema muito rico para a Geografia, mas muito complexo para o entendimento dos seus processos. Primeiro, devemos entender como se deu o processo de Globalização e internacionalização do capital no mundo. O início desse processo data do final do século XV, principalmente com fluxos advindos do continente Europeu, mais intensamente pelos países ibéricos, França e Inglaterra, avançando pelas terras dos continentes americano, africano e asiático. As grandes navegações foi um processo de intensificação dos processos de globalização econômica no mundo na Era Moderna. Mas que Globalização é essa? Existe mais de um processo de globalização no mundo? A  Globalização pode ser entendida em duas perspectivas analíticas: a[…]

A Escola Pública marcou presença na Campus Party

A Escola Pública marcou presença na Campus Party

No ínício deste mês, Salvador sediou, pela primeira vez, a Campus Party, um dos maiores eventos de tecnologias e inovação científica do mundo. A Campus surgiu na Espanha e, em 2008, ganhou o mundo. Além de inovação tecnológica, a feira apresentou palestras e competições ligadas às áreas de gamificação, robótica e entretenimento digital. O evento também marcou a apresentação da nova Plataforma Anísio Teixeira, espaço educacional das escolas públicas baianas, na qual estudantes e professores terão acesso a novas formas de aprender, ensinar, construir e compartilhar conhecimentos em rede. A plataforma é feita por professores e estudantes da rede pública de ensino, para professores e estudantes do Brasil. Pensando na valorização e formação dos nossos estudantes, a Rede Anísio Teixeira[…]

(Des)Sustentabilidades ambientais

(Des)Sustentabilidades ambientais

Olá, comunidade! A cada ano, chegamos ao mês de Junho com a possibilidade de rediscutirmos mais intensamente sobre os caminhos que devemos escolher para vivermos com mais harmonia, respeitando as culturas, identidades e o meio ambiente. Ou seja, discutir a melhor estratégia de nos relacionarmos com o meio ambiente de maneira sustentável. Será que estamos conseguindo, ao menos, discutir estas questões democraticamente? Será que os rumos dessas discussões podem, efetivamente (ações de políticas públicas), transformar nosso comportamento desenvolvimentista? Será que realmente respeitamos a diversidade étnica? Uma coisa temos em mente: caminhar é preciso… Fig. 1: Caminhar é preciso. Imagem: Peterson Azevedo É pensando nessas questões, que devemos refletir sobre qual Brasil queremos construir para a nossa e as futuras gerações,[…]

A Geografia e seus caminhos – contribuições na era da informação

A Geografia e seus caminhos – contribuições na era da informação

Fala, galera! Beleza? Hoje, nosso papo é sobre os caminhos trilhados pela geografia contemporânea ou como alguns autores costumam chamar: geografia crítica. O termo “geografia” é utilizado desde o período conhecido como Antiguidade Clássica, termo muito utilizado para descrever os “acidentes” geográficos, ou melhor, os aspectos fisiográficos do planeta, como: o relevo, os tipos de biomas, as funções hídricas e físicas do rio, dentre outras. Por ser filha da ciência filosófica, a observação foi o ponto de partida para essa área do conhecimento humanista. Apenas no início do século XIX, passou a ganhar pompas de uma ciência concreta e aceita nas academias da Europa. Duas escolas se destacaram nesse processo: a escola Alemã, com sua teoria do determinismo geográfico, que[…]

Compartilhando Saberes, Olhares e Fazeres…

Compartilhando Saberes, Olhares e Fazeres…

Fala, rede! No mês de agosto, foi finalizada a 2ª formação de Produção de Mídias Estudantis, realizada pela Rede Anísio Teixeira (Programa de Difusão de Mídias e Tecnologias Educacionais Livres da Rede Pública Estadual de Ensino). Fig. 1: Professor Raulindo em plena produção textual. Captura Rodrigo Maciel Essa formação é ofertada a estudantes e professores da rede pública estadual de ensino, o que possibilita uma vivência compartilhada entre esses atores, ampliando as relações professor-aluno. A formação em mídias estudantis é mais uma iniciativa de se discutir e problematizar as diversas metodologias educacionais mediadas pelas tecnologias, em especial a produção de  textos para blogs, a leitura e interpretação de imagens como novas formas de letramentos e a produção audiovisual como elemento[…]

Vamos contar um conto?

Vamos contar um conto?

O episódio em questão do quadro Ser professor, do programa Intervalo, fala sobre a arte de contar um conto. Neste episódio, apresentaremos o projeto da professora Gilbene Esquivel – O prazer do conto. O projeto consiste na utilização da literatura de cordel como ferramenta cultural e identitária para o ensino de história. A professora Gilbene Esquivel leciona no Colégio Estadual Germano Machado Neto, localizado no bairro de Marechal Rondon. Ela realiza um trabalho que alia os conteúdos de história à poesia, utilizando como metodologia o cordel como instrumento de ensino e aprendizagem. Esse trabalho se inicia com oficinas, ministradas pela arte-educadora Gilbene Esquivel, com duração de 10 horas: 4 horas para o ensino do cordel, 2 horas para conhecerem a[…]

Ser Professor: Urânia Viana

Ser Professor: Urânia Viana

Fala, galerinha! O episódio em destaque de hoje, do quadro Ser professor, do programa Intervalo, fala de literatura e música. Apresentaremos o projeto da Professora Urânia Vianna – De onde vêm…Grandes Ideias? As muitas faces de Vinícius de Moraes. A professora Urânia é uma inovadora no que se refere à metodologia de projetos. Professora do Colégio Estadual Rotary, localizado no bairro artístico de Itapuã, Urânia propõe a prática de leitura e criação de trovas e cordéis, com o objetivo de familiarizar o aluno do 1º. Ano do Ensino Médio com a arte da poesia, bem como estabelecer ligação com a poesia medieval portuguesa. O projeto tem como foco a criação de trovas e cordéis a partir da leitura e estudo[…]

Nossos Colaboradores