Autor: O Professor Web

Rede Anísio Teixeira e Centros Juvenis realizam oficina sobre uso de Software Livre

Professores e estudantes da rede estadual de ensino participaram da oficina “Migração para o Uso de Softwares Livres”, realizado em parceria com o Programa de Difusão de Mídias e Tecnologias Educacionais da Rede Anísio Teixeira (Rede AT), e o Centro Juvenil de Ciência e Cultura (CJCC), nesta terça e quarta-feira (28 e29/04). A oficina, realizada no CJCC – Central, em Salvador, teve o objetivo de conscientizar professores e estudantes sobre a importância do uso de softwares livres no contexto socioeducativo e, também, capacitar para o uso das ferramentas e aplicativos disponíveis. “Nós queremos que a escola tenha boas ferramentas para produção multimídia de conteúdos”, ressalta Patrícia Nascimento, colaboradora da Rede Anísio Teixeira. “A gente atribui a importância desse curso na[…]

O indígena está conectado!

Enquanto discute-se o uso de tecnologias digitais na educação, principalmente, o uso de redes sociais e tecnologias móveis, ao que parece, os povos indígenas já consolidaram o uso das TICs (Tecnologias da Informação e Comunicação). Veja como este processo está ocorrendo visitando o site da organização Povos Indígenas no Brasil, acessando o link: http://pib.socioambiental.org/pt/c/iniciativas-indigenas/autoria-indigena/sites-indigenas#1. Nesse site, você vai encontrar as principais organizações e iniciativas indígenas na rede mundial de computadores. Aqui no PW, algumas postagens também já mostraram a apropriação das TICs . Veja a postagem do dia 01/04/2015: /2015/04/01/vai-camera-vai-audio-sou-indio-acao/.E a postagem do dia 09/04/2014: /2014/04/09/povos-indigenas-do-nordeste-se-apropriam-das-tecnologias-para-afirmar-cultura-e-brigar-por-direitos/ Como você pode constatar nesses links, as comunidades indígenas usam as TICs para o resgate e a preservação da sua cultura e para lutar[…]

Das naus aos dias atuais

Quando os europeus vieram em suas naus1 adentrar as terras desconhecidas da América, eles não sabiam o que estavam prestes a descobrir.  Buscavam um novo caminho para a Índia e suas rotas eram semelhantes. A Espanha e o Portugal da época da grande expansão marítima eram as potências mundiais. Dominavam a ciência e a tecnologia2 homologaolvida por diversos sábios de outros povos (especialmente astrônomos, matemáticos e cartógrafos) e tinham um investimento alto numa política de expansão, extração de riquezas e colonização. Os portugueses eram mais flexíveis que os espanhóis quanto à religião destes sábios. Muitos dos conselheiros que D. João II reuniu para homologaolver os conhecimentos náuticos eram, em sua maioria, sábios judeus expulsos da Espanha em 1492. Se hoje em[…]

Vem aí o FLISoL!

O Festival Latino-americano de Instalação de Software Livre (FLISoL) é o maior evento da América Latina de divulgação de Software Livre. Seu principal objetivo é o de promover o uso de Software Livre, mostrando ao público em geral sua filosofia, abrangência, avanços e homologaolvimento. Para alcançar esses objetivos, diversas comunidades locais de Software Livre (em cada país/cidade/localidade) organizam simultaneamente eventos em que se instala, de maneira gratuita e totalmente legal, Software Livre nos computadores dos participantes. Além disso, paralelamente, acontecem palestras, apresentações e workshops sobre temas locais, nacionais e latino-americanos acerca de Software Livre, em toda a sua expressão: artística, acadêmica, empresarial e social. Quem é da Bahia, terá a oportunidade de participar do FLISoL neste sábado, 25 de abril, na Faculdade Área[…]

Abril Indígena na UFBA

Desde o início de abril, a Universidade Federal da Bahia está promovendo o evento Abril Indígena na UFBA. Na programação, oficinas, mostra de filmes, mesas e rodas de conversa. Veja a agenda para os próximos dias e programe-se! ||AGENDA|| Mesa Movimento Indígena na Bahia, com Aruã Pataxó e Uilton Tuxá. Mediação: Kâhu Pataxó, 23/4, às 14h. Exposição Tonã – ritual da preservação | Sarau Minha Aldeia é o Mundo – Declamação das poesias vencedoras do I concurso de poesia Abril Indígena, 23/4, às 16h. Local: Museu de Arqueologia e Etnologia da UFBA _____________ Mostra de filme II: Quando os Yãmiy vêm dançar conosco| Palestra Políticas Culturais e Povos Indígenas: diálogos interculturais, com Marina Vieira, 24/4, às 9h30 Roda de conversa com Mulheres[…]

Os Índios ou Povos Indígenas?

Os Índios ou Povos Indígenas?

Você usa a expressão  “os Índios” para se referir aos povos indígenas? Saiba que o uso desse termo não está correto e reflete uma visão carregada de preconceito. As culturas indígenas são múltiplas, portanto, não existem expressões culturais singulares que possam identificar todas as etnias indígenas. Dizer “os índios” significa reduzir as culturas indígenas a um bloco único, essa atitude reflete uma visão estereotipada de povos, que são caracterizados, exatamente, pela diversidade de suas culturas. No episódio “Povos indígenas“, do programa Intervalo, vemos que cada grupo étnico indígena  apresenta características específicas, também aprendemos que eles são sujeitos contemporâneos, que vivem de acordo com as mudanças propostas pela sociedade. Assim, existem povos que vivem mais próximos ao litoral e assimilaram alguns[…]

Secretaria da Educação lança projeto de formação para estudantes e educadores

  Com o objetivo de incentivar a produção de vídeos por estudantes e educadores da rede estadual de ensino, a Secretaria de Educação do Estado da Bahia, por meio do Instituto Anísio Teixeira e dos Centros Juvenis de Ciência e Cultura (CJCC), realiza, até 29/04, as inscrições para o projeto Memórias e Identidades: produção formativa de vídeos educacionais. Realizado pela Rede Anísio Teixeira (Rede AT), em parceria com o CJCC e a Faculdade de Comunicação da Universidade Federal do Estado da Bahia (Facom-Ufba), a formação busca fazer com que o estudante tenha o olhar voltado para a valorização das suas culturas e das realidades das comunidades onde moram ou estudam, através da oferta de formações práticas para a produção de[…]

Índio!

Olá! Especialmente neste mês de abril, estamos discorrendo sobre a história e a cultura dos Povos Indígenas. Deixo o poema abaixo para sua leitura e descoberta do enredo nele contido. Qualquer dificuldade, clique no link abaixo e conheça o significado das palavras.   Índio!   No fiapo de uberaba, poti pula de animação Homem grande e jururu, na cabeça seu ujá Leva seu bocó no ombro,atravessa paraná Fica preso na tijuca, ele quer pegar pirá   Homem sergipe, avista ré! Avista membira descendo morumbi Grita alto,pede ajuda,movimenta sua ubá Ubá grande,da tijuca, homem quer se livrar.   Ré desce o Tatuapé, fumando seu kaoki Encontra membira kugnatim Juntam o povo para um motirõ. Homem grande apreensivo espanta Grajaú.   Sente[…]

Física Tupiniquim

Um olhar mais atento ao cotidiano dos povos indígenas nos mostra, de forma bem peculiar, a aplicação de várias ciências no dia a dia desses povos, que vai desde a construção de suas moradias até a caça. Por sinal, é uma verdadeira arte o ato da caça que começa desde criança, passado de pai para filho. A escolha da madeira correta para a confecção do arco e flecha, que deve apresentar características peculiares, vai desde a combinação de algumas propriedades da matéria, como a elasticidade e resistência. Álias, falar em elasticidade no mundo contemporâneo é lembrar das várias aplicabilidades dessa propriedade da matéria em diversos objetos do nosso cotidiano, que vai desde o simples arco produzido pelos índios, aos dispositivos[…]

LSKB e Índios Surdos

Português, Libras, japonês, francês, inglês ou alemão. Qual dessas línguas você conhece? E a LSKB? (Língua de Sinais Urubu-Kaapor). Ainda não? Então vão aí algumas informações: LSKB é a língua de sinais criada e utilizada cotidianamente pela tribo indígena Urubu-Kaapor que, para @s não índi@s, existe há mais de trezentos anos. O antropólogo e ex-senador Darcy Ribeiro homologaolveu estudos com essa tribo, a partir de 1949, evidenciando um histórico pouco amistoso entre @s kaapor e não índios, muitas vezes relacionado à demarcação do território indígena em relação a posseir@s, madeireir@s e outr@s. Kaapor, que em tupi-guarani significa povo da mata (ka’a= povo e por= mata) é considerado um dos povos muito resistentes à aculturação. Esses indivíduos concentram-se ao sul do[…]

Nossos Colaboradores