Será que a humanidade ainda tem chance no Planeta? A esperança pode estar nos Manguezais.

Aos líderes mundiais.

Traição”. É assim que os jovens de todo o mundo descrevem o fracasso dos nossos governos em reduzir as emissões de carbono. E não é surpresa nenhuma.Não é mais um cenário hipotético. A Terra está em situação de emergência. Milhões vão sofrer à medida que nosso planeta for devastado — um futuro aterrador que será consequência das escolhas que vocês fizerem, ou que poderá ser evitado por elas. Vocês têm o poder de decidir.” (Greta Thunberg, 2021, na CP 26)

Você sabe o que são mudanças climáticas? Você já ouviu falar no Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas, mais conhecido como IPCC? O IPCC é uma organização criada em 1988 por cientistas de todo o mundo ligados às ciências humanas e às ciências naturais. A organização é chancelada pela Organização das Nações Unidas – ONU e “tem como objetivo principal sintetizar e divulgar o conhecimento mais avançado sobre as mudanças climáticas que hoje afetam o mundo, especificamente, o aquecimento global, apontando suas causas, efeitos e riscos para a humanidade e o meio ambiente, e sugerindo maneiras de combater os problemas.” (Royal Society 2002).

Desde da década de 70, os cientistas atentam para as transformações ocorridas no clima e no tempo, de maneira acelerada e anômala, o que chamou a atenção para a intensificação das catástrofes ambientais, como o aumento de vulcões, tsunamis, terremotos, queimadas, degelos e furacões. Ao pesquisar esses fenômenos, os cientistas então resolveram constituir um grupo de pesquisa, colocando a Climatologia associada às produções e as relações humanas, no centro das discussões. O último relatório do IPCC, a COP26, foi publicado em 09 de Agosto de 2021, pela ONU, e o que se percebeu é que a humanidade vem acelerando suas emissões de gases do efeito estufa e a emissão de CO² , ao invés de reduzir essas produções e emissões. Hoje deveríamos capturar esse carbono da atmosfera e termos um pacto mundial na redução desses gases, que destroem a camada de ozônio e deixam o Planeta cada vez mais quente. Segundo o presidente da COP26, Alok Sharma “Não podemos nos permitir esperar dois anos, cinco anos, 10 anos”, completou, ao destacar que ainda temos tempo, “mas nos aproximamos perigosamente do momento em que será muito tarde”. Você conhece os objetivos para o Desenvolvimento Sustentável, do mundo? OS países se reuniram para acabar com a fome, a pobreza, a miserabilidade, e discutir os rumos das mudanças climáticas no mundo, esse são os principais motivos, para os 17 objetivos do desenvolvimento sustentável, ou seja, são metas que todos devemos, juntos combater, com o intuito de diminuirmos as desigualdades sociais no Planeta. A conferência mundial sobre o clima global, está acontecendo em novembro de 2021, na cidade de Glasgow, na Escócia.

Figura 1 – Fonte Organização da Nações Unidas

Como podemos observar, o relatório não nos dá um olhar de esperança para o futuro da humanidade. Mas será que a Gaia (a mãe terra) pode se ressignificar e se proteger contra o ataque direto da humanidade? Sim, gerando as catástrofes que abordamos nesse texto, e acabar por extinguir a humanidade, como a conhecemos. Podemos ter esperança? Sim! Se compreendermos nossos domínios morfoclimáticos, principalmente o domínio Amazônico e para além dos domínios, entendermos as importâncias ambientais do ecossistema manguezal e seus potenciais ecológicos. Pode haver um fio de esperança para revertermos essa realidade.


Figura 2 – Foto Peterson Azevedo

O ecossistema manguezal é o bioma de transição entre o mar e o continente. É o berçário da vida marinha que foi onde se originou a vida na terra. Os Manguezais são hospedeiros de uma fauna rica, povoada principalmente por moluscos e crustáceos. Este tipo de vegetação é de fundamental importância, tanto biológica quanto social para a coexistência da humanidade no meio natural. Os manguezais são ecossistemas vitais para o equilíbrio ecológico da zona costeira, por serem ricos em nutrientes e por serem um bioma de transição, além de ser um grande captador de carbono. É lá que a vida marinha se alimenta e se reproduz, e onde muitas espécies de aves encontram alimento em abundância e refúgio natural para se reproduzirem. Toda essa riqueza favorece a piscosidade dos recursos hídricos da região, garantindo também a sobrevivência de muitas colônias de pescadores e comunidades ribeirinhas.

Ainda pode haver esperança para a humanidade, basta respeitarmos seus tempos, suas lógicas, seus biomas, suas estruturas naturais, construirmos políticas públicas mais eficientes e que promovam o bem estar social no mundo, respeitarmos todas as diversidades ambientais, étnicas e de territorialidades!

Peterson Azevedo – Professor da Rede Anísio Teixeira.

PARA IR ALÉM!

Mudanças Climáticas. Disponível em: https://publications.parliament.uk/pa/ld200506/ldselect/ldeconaf/12/12we24.htm. Acesso em 29 de Out de 2021.

Greenpeace e as Mudanças Climáticas. Disponível em: https://www.greenpeace.org/brasil/blog/falar-de-mudancas-climaticas-e-falar-sobre-a-sua-vida/ utm_term=mudan%C3%A7as%20climaticas&utm_campaign=%5BMAIO/. Acesso em 29 de Out de 2021.

AMORIM, Peterson Azevedo, JUNIOR, Aristides Oliveira Braz, CARVALHO, Eric George dos Santos. ESPAÇO, TERRITÓRIO: ANÁLISE DAS RELAÇÕES ETNOGRÁFICAS DE POPULAÇÕES TRADICIONAIS NO ECOSSISTEMA MANGUEZAL – A EXPERIÊNCIA DA COMUNIDADE DO ANGOLA, MARAGOJIPE-BA.Disponível em: http://ri.ucsal.br:8080/jspui/handle/prefix/3883. Acesso em 29 de Out de 2021.

COP26: relatório do IPCC é a “advertência mais séria já feita” sobre o clima. Disponível em: https://www.em.com.br/app/noticia/internacional/2021/08/08/interna_internacional,1293841/cop26-relatorio-do-ipcc-e-advertencia-mais-seria-ja-feita-sobre-o-clima.shtml. Acesso em 29 de Out de 2021.

ONU – Objetivos de desenvolvimento sustentável. Disponível em: https://brasil.un.org/pt-br/sdgs. Acesso em 29 de Out de 2021

Discurso de Txai Suruí na COP26. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=1gnUH7HNBAU. Acesso em 29 de Out de 2021