APAE – Bullying: isso não tem a menor graça!

A Plataforma Anísio Teixeira, na condição de ser um espaço dialógico e, interessada em ampliar cada vez mais seus diálogos, coloca em pauta a Educação Inclusiva como essencial ao compromisso político e social no que tange o processo educativo.

Fig.1 Professores da APAE

Partindo dessa premisa, o “Rede em Movimento” abre espaço para a Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) Salvador, que consiste numa instituição sem finalidades lucrativas. A APAE oferece apoio e assistência integral às pessoas com deficiência intelectual. Para além da atuação no processo educativo, ocorre a articulação com o Serviço Social com os projetos voltados para a família, contudo, o recorte aqui será para a atuação educacional.

Alguns de seus professores apresentam suas contribuições à Instituição no Estado da Bahia, como forma de apontar sua importância política e social do atendimento aos que necessitam da modalidade de Educação Especial. O foco apresentado pelos professores foi o projeto intitulado “Bullying: isso não tem a menor graça!”, com a participação direta dos estudantes. Assista ao vídeo com os professores: Adriana Silva, Emmerson Morva, Itana Lima e Teodora Coelho e confira!

Cabe afirmar que, a APAE pauta sua regimentação em consonância com os direitos humanos,em regulamentações e marcos pautados na Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDBEN/96), Declaração de Salamanca-1994, Resolução nº 04, de 02 de outubro de 2009, Conselho Nacional de Educação e na Resolução nº 79, de 15 de setembro de 2009 e do Conselho Estadual de Educação da Bahia.

Vale ressaltar que, a Declaração de Salamanca é reconhecido, em caráter mundial, como um documento importante à inclusão social e, está em consonância, com a Convenção de Direitos da Criança (1988) e da Declaração sobre Educação para Todos (EPT) de 1990. Todavia, documentos que balizam a Educação como um direito de todos.

Os profissionais da APAE apontam em suas falas a importância de valorizar o trabalho que é composto por múltiplos atores, bem como a importância dada ao empoderamento dos estudantes como sujeitos ativos no processo educacional como forma de possibilitar o crescimento pessoal e social para garantir o direito a essa parcela da população.

Reafirmar o direito à Educação Inclusiva é um dever de todos!

 

Produção do Rede em Movimento

Mônica de Oliveira Mota – Texto e produção

Gabriel Luan – Direção e Fotografia

Thiago Vinícius – Áudio e Edição

 

Publicações relacionadas

  • 3 de abril de 2019 às 18:13 Um olhar além do que se pode ver (0)
    Olá pessoal! Vocês sabiam que dia 02 de abril é dia mundial de conscientização do autismo? Como nós professores e estudantes podemos […]
  • A2K29 de outubro de 2019 às 14:32 A2K (0)
    What’s up? You can guess it! Acha que vamos aprender sobre algum composto químico? Mas se quiser pode dar algum palpite! Não, não se […]
  • Conhecimento, cultura e poder na contemporaneidade: tecendo olhares outros30 de agosto de 2018 às 07:00 Conhecimento, cultura e poder na contemporaneidade: tecendo olhares outros (0)
    As dimensões do conhecimento, da cultura, da economia e da política ganham novos contornos na contemporaneidade, rompem e ao mesmo tempo […]
  • A Universidade Pública e suas importâncias19 de junho de 2019 às 12:00 A Universidade Pública e suas importâncias (1)
    Fala comunidade,   Para que serve a Universidade? Para produzir conhecimento? Para modificar o status quo? Para doutrinar? Ou para […]
  • Com a palavra, Ninfa Cunha29 de novembro de 2017 às 18:49 Com a palavra, Ninfa Cunha (0)
    Em conversa com o Blog da Rede, gestora do Espaço Xisto Bahia fala de acessibilidade, educação e cultura O Blog da Rede bateu um […]
  • 7 de agosto de 2019 às 13:46 Geografia da fome e suas implicações – Revisitando Josué de Castro (2)
    Fome, segundo o dicionário, “é o desejo e/ou a necessidade “urgente de alimento” ou também o estado de fragilidade provocado pela falta […]
APAE – Bullying: isso não tem a menor graça!

Nossos Colaboradores