Série Você já foi: A feira de São Joaquim.

Ola, pessoal! Você já conhece o quadro “Você já Foi?da Radio Anísio Teixeira? O quadro oferece dicas culturais, trazendo lugares, sites e filmes que tenham relação com o tema do episódio do programas Nas ondas da Rede. As pautas de cada episódio são oriundas de pesquisas realizadas pela equipe de educadores da Rede Anísio Teixeira para uma produção transmídia. A partir de documentos pedagógicos, são produzidos conteúdos audiovisuais, radiofônicos e textos para o blog. Confira a série Você já foi? no blog da rede.

Você já foi a Feira de São Joaquim em Salvador?

A Feira de São Joaquim é considerada a maior e mais importante feira popular da Bahia. Está localizada na rua Frederico pontes, na enseada de São Joaquim. A feira, que ocupa uma área de mais de 34 metros quadrados, é uma referência cultural para a cidade de salvador, e foco de atração do turismo alternativo. Nela percebemos  as mazelas e a beleza peculiar de uma feira que abastece a maior parcela da população soteropolitana de baixa renda. Cerca de 10 mil consumidores passam diariamente por ali, e são atendidos por 75 mil feirantes.

Iniciada na década de trinta, quando ainda se chamava Feira do Sete, não se imaginava que São Joaquim se tornaria um patrimônio cultural de Salvador. Nos anos sessenta era chamada de Feira de Água de Meninos por causa do bairro onde fica. Após ser destruída por um incêndio, passou a ser chamada de Feira de São Joaquim. Hoje ela ocupa mais de 10 quadras, com cerca de 4 mil boxes nas suas 22 ruas.

A movimentação de pessoas e o burburinho de cada oferta gritada transforma a Feira de São Joaquim em um palco onde os conflitos diários e reais traduzem a diversidade das relações humanas neste ambiente, sem distinção de cor ou renda. Ela também possui um labirinto de cor e variedade que já foi cenário para livros e filmes, como:

  • Como Capitães Da Areia (Jorge Amado);
  • O Documentário: Água De Meninos, A Feira do Cinema Novo(Fabíola Aquino);
  • A Grande Feira (Roberto Pires,1961);
  • Sol Sobre A Lama (Alex Viany,1963);
  • Cidade Baixa (Sérgio Machado 2005).

Caminhando pela feira é possível encontrar,  por todo lado, muito da cultura baiana, tais como:  discos, artesanato, objetos de decoração, artigos religiosos, vestuário, tecidos africanos e, como não poderia faltar nesse ambiente, frutas, raízes, ervas, carnes, animais vivos e abatidos. Diversas cores compõem o rico cenário popular da Feira de São Joaquim, e só quem visita consegue entender as peculiaridades que lhe dão uma vida própria e única.

O lugar tem um ambiente original e tradicional de feira livre, na beira do mar da Baía de Todos os Santos. De lá é possível ver  as gigantescas balsas atracadas no porto e a ilha de Itaparica no horizonte. Não há quem não fique maravilhado com sua diversidade de cores e sua vitalidade. Se você ainda não conhece a Feira de São Joaquim, não perca essa oportunidade, vá lá!

Ouça:

http://pat.educacao.ba.gov.br/radio-anisio-teixeira/conteudo/exibir/id/9897

Veja:

http://pat.educacao.ba.gov.br/tv-anisio-teixeira/programas/exibir/id/3325

https://revistas.unifacs.br/index.php/sepa/article/download/20/15

Publicações relacionadas

Série Você já foi: A feira de São Joaquim.

Nossos Colaboradores