A grande aventura humana

Em 24 de julho de 1969, a cápsula Columbia retornava da maior aventura da humanidade desde as grandes navegações. O módulo de comando tripulado pelos astronautas Neil Armstrong, Buzz Aldrin e Michael Collin caiu 950 milhas a sudoeste do Havaí, após uma viagem de 8 dias pelo espaço. Os três astronautas foram resgatados por quatro helicópteros Sea, que partiram do porta-aviões USS Hornet, pouco antes do amanhecer do dia 24 de julho.  Apesar de remota a possibilidade de agentes patogênicos trazidos da lua, os astronautas vestiram roupas com isolamento biológico, como medida de precaução, durante o processo de resgate. Além disso, permaneceram durante um período de 21 dias sob quarentena. Esse procedimento foi abandonado mais tarde, a partir da missão Apollo 14. Além das inúmeras fotos da superfície lunar e das várias horas de filmagem, os astronautas trouxeram consigo mais de 21 kg de amostras de rochas da superfície da lua. 

Armstrong, Collins e Aldrin

Fonte: NASA

De fato, Armstrong estava certo quando disse: que aquele representava um grande passo para humanidade. A partir daquela data o mundo nunca mais seria o mesmo! O sucesso da Apollo 11 representaria muito mais que um pequeno passo para os homens, mas a consolidação da superioridade tecnológica dos Estados Unidos sobre outros países. As pesquisas científicas realizadas durante o período foram os grandes propulsores dos avanços tecnológicos vivenciados nos dias atuais, com destaque para os avanços em microeletrônica, que possibilitaram o desenvolvimento de microcomputadores, a criação de novos materiais e sistema de satélites responsáveis pelo sistema de GPS. Além, é claro, de simbolizar a vitória dos norte americanos sobre os soviéticos, na corrida espacial!. No entanto, mesmo com toda comoção e orgulho que este evento causou na nação americana, a continuidade do projeto Apollo provocaria questionamentos da sociedade, principalmente com o fim da guerra fria, o que provocaria sérios cortes orçamentários, o que, mais tarde, levaria  o programa ao fim. Ao todo, foram seis missões de alunissagem, sendo que uma delas, a Apollo 13, não pousou na superfície da lua devido a problemas técnicos.

Aldrin na superfície lunar; o reflexo de Armstrong pode ser visto no visor

Fonte: NASA

Pegada de Aldrin na superfície da Lua

Fonte: NASA

Cinquenta anos depois, apesar de todas as evidências existentes, ainda há um grande número pessoas que não acreditam neste fato e questionam as missões de alunissagem, dentre elas Bill Kaysing, falecido em 2005, autor do livro intitulado “We Never Went to the Moon” (“Nunca fomos à Lua”, em tradução livre). Apesar de boa parte de seus argumentos serem baseados em achismo, Kaysing apresenta alguns argumentos. O principal deles é a ausência de estrelas em todas as fotos tiradas na superfície da lua, o que já foi rebatido pela NASA. Segundo a agência espacial, como a única fonte de luz presente na lua era a do Sol, a intensidade do seu brilho ofuscava as estrelas no céu lunar, sendo necessária uma maior abertura do diafragma da câmera para captá-las. A ilustração abaixo simula a foto que teria sido obtida, caso o diafragma tivesse uma abertura suficiente para capturar as estrelas no céu lunar.

Simulação da foto da superfície lunar com uma câmera regulada para captar as estrelas no céu lunar

Fonte:  canal VideoFromSpace

Independentemente de qualquer teoria conspiratória, o fato é que fomos à lua! Por quê? Além dos mais de 400 kg de rochas trazidos de lá, das centenas de fotos e horas de filmagem, os astronautas deixaram na superfície da lua três refletores laser, chamados LRR (Laser Ranging Retroreflector). Estes refletores são constituídos de pequenos espelhos capazes de refletir um feixe do laser proveniente dos observatórios terrestres. Eles foram empregados para medir a distância entre a Lua e a Terra, e podem ser utilizados até os dias de hoje. O primeiro deles foi instalado durante a missão Apollo 11 (primeira missão tripulada a pisar na Lua). E os demais foram colocados durante as missões Apollo 14 e 15.  

Quer saber mais? Assista ao Rede em Movimento “No mundo da lua”.

 

Referências:

https://canaltech.com.br/ciencia/Tecnologias-que-voce-usa-e-foram-descobertas-pela-Exploracao-Espacial/

http://astronomiareal.blogspot.com/2016/04/voce-sabia-que-missao-apollo-instalou.html

https://gizmodo.uol.com.br/teoria-conspiracao-homem-lua-antes-internet/

Publicações relacionadas

  • O caos e a vida na Terra17 de abril de 2018 às 16:24 O caos e a vida na Terra (0)
    Há cerca de 4,5 bilhões de anos, o sistema solar já possuía os gigantes gasosos Saturno e Júpiter, e na região mais próxima do Sol […]
  • Buracos negros, o abismo do universo10 de maio de 2019 às 18:55 Buracos negros, o abismo do universo (0)
    No último dia 10 de abril, a Fundação Nacional de Ciências (National Science Foundation), revelou para a comunidade científica, pela […]
  • Não desrespeite as leis de trânsito e não seja vítima das leis da Física!9 de março de 2018 às 07:00 Não desrespeite as leis de trânsito e não seja vítima das leis da Física! (0)
    Publicitários conseguem aliar numa única campanha a importância de se respeitar as leis de trânsito e não ser vítima das Leis da Física, […]
  • Razão Celeste: mais que um jogo sobre astronomia4 de setembro de 2019 às 18:50 Razão Celeste: mais que um jogo sobre astronomia (0)
    Além do Razão Celeste (game sobre astronomia), projeto premiado, desenvolvido pelo estudante, chamam a atenção, na unidade de escolar, a […]
  • 11 de julho de 2019 às 18:27 100 anos do eclipse de Sobral (2)
    Em maio de 2019, a Teoria da Relatividade, de Albert Einstein, completou 100 anos de confirmação. E, acreditem, foi no interior do estado […]
  • 17 de junho de 2017 às 00:04 Raios! (1)
    Chuva forte, ventos, raios e trovões compõem um cenário que inquieta muita gente! Antigamente, e ainda hoje, não é raro deparar-se com […]
A grande aventura humana

Nossos Colaboradores