ArteFicialmente

 

Up and Down! Esse é o movimento que tem girado em todo o planeta. Upcycling, downcycling, recycling o que essas palavras têm em comum? Será que é tão somente o sufixo ou elas trazem alguma novidade? Bem, vamos por parte! Primeiramente, o que elas significam e, em seguida, aprender como podemos utilizar o sufixo “-ing” tão comum na Língua Inglesa.

A criatividade aliada ao consumo consciente é o que as expressões nos dizem a seguir, para atingir um modelo de produção sustentável que garanta ao consumidor, uma ótima alternativa na  busca da qualidade de vida.

Recycling como muitos já sabem, na sua definição mais exata, consiste na coleta e processamento de coisas que seriam descartadas e são transformadas em outros produtos novos que podem ser iguais ou diferentes.

E aí? Quer descascar um abacaxi?

Fig.1 Pineapple                                    

Aqui, a reciclagem entra em ação. O que poucos sabem: couro e tecidos ecológicos feitos de fibras da folha do abacaxi. São soluções que geram menos impacto ambiental na produção de produtos. Outra alternativa vem de longe,  do Mediterrâneo, que oferece a fartura das folhas das oliveiras utilizadas na indústria que tem o couro como matéria-prima tratado organicamente e, com uma cadeia de produção, que não agride a saúde dos trabalhadores. E os sapatos veganos  feitos no Brasil? Já pensou?

Fig.2 Sapatos veganos

O mundo da arte já ganhou adeptos como o artista Bordalo II que transforma o lixo das ruas em esculturas de animais. Sua street art ou urbanografia como também é conhecida, já ganhou exposição pelo reconhecimento dos seus “Big Trash Animals“. Assim, sua arte é repleta de imaginação e upcycling.

                                          Fig.3 Suzanne Jongmans

Tudo pode ser “ARTEficial” mesmo! As releituras se integram na arte contemporânea. Suzanne Jongmans é outra artista que tem o plástico como matéria-prima para suas criações. Com embalagens descartáveis, ela recria cenas de renomados da pintura, cuja intencionalidade é dialogar sua história com a arte clássica e poder transpor sua imaginação a partir de materiais que, certamente, viram lixo e provocam a morte de milhares de animais marinhos, como pode ser visto no vídeo de campanha lançada pela ONU.

 

 

Por fim, o downcycling propõe material para reuso para a transformação em um produto de um valor menor, por isso “down”. A matéria gerada pelo downcycling não pode ser utilizada na produção do produto que o gerou, mas  em produtos secundários.

Essas palavras são expressões cada vez mais recorrentes em tempos hodiernos que apresentam valor semântico e dialogam entre si. Elas revelam um processo cíclico de produção que gera uma cadeia em prol da sustentabilidade e tem ganhado amplitude, em caráter global, por artistas, empresas e todos os interessados por um mundo melhor. Isso, ao fato da produção de lixo ser uma grande preocupação que tem convocado tanto a sociedade civil quanto ações de políticas públicas para o diálogo necessário na tentativa de mitigar o problema. Bem, para fecharmos essa pauta, precisamos ,urgentemente, repensar nossa relação com o planeta. Vamos para o próximo ponto?

Por que algumas palavras são terminadas com o sufixo -ing? Vejamos algumas situações:

Esse sufixo pode estar presente em :

1. Formação do Present Continuous:

It is raining in Salvador.

2. Formação do Past Continuous:

She was dancing Axé music when the phone rang.

3. Formação de substantivo:

Alguns verbos são transformados em substantivos com o acréscimo do -ing:

Read- reading / Hire- hiring / swim -swimming

4. Após o uso de proposição

Are you good at cooking?

5. Apontar uma proibição :

No smoking!

6. Quando o verbo assume função de sujeito:

Reading is amazing!

7. Após alguns verbos como :

I don’t like trying exotic food.

Pay attention! Nem sempre o ing é sufixo, mas parte da composição da palavra. Como apontam os exemplos:

Amazing / boring / challenging / thing / during

Esse texto não deve ser tido como única fonte de informação, por essa razão, amplie seu aprendizado com outras pesquisas!

That’s all for today! See you later!

Referências

https://www.dinamicambiental.com.br/blog/curiosidades/as-15-campanhas-publicitarias-mais-criativas-e-impactantes-a-favor-do-meio-ambiente/

https://www.youtube.com/watch?v=FojjcHUFk-Y

https://www.funverde.org.br/blog/conceitos-recycling-downcycling-e-upcycling/

https://www.funverde.org.br/blog/conceitos-recycling-downcycling-e-upcycling/

https://www.audaces.com/divergencias-entre-os-conceitos-de-upcycling-downcycling-e-recycling/

Mônica de Oliveira Mota

Professora da Rede Pública do Estado da Bahia

Publicações relacionadas

  • 17 de abril de 2019 às 10:09 What’s up? Let’s have fun! (1)
    Isso mesmo! Vamos nos divertir com algumas expressões idiomáticas! Que tal, chutar o balde? Calminha! Em inglês, não é bem assim! Essa […]
  • 8 de dezembro de 2016 às 07:00 GREENpense (0)
      Hi there! “We will move ahead!” Essa foi a frase que ambientalistas de vários países apresentaram com o término da COP 22. Do […]
  • 20 de maio de 2019 às 10:41 Harry up! (2)
    E aí, galera do ENEM? Nada de deixar para última hora os conteúdos de inglês! O ENEM e os vestibulares focam nas questões de Língua […]
  • Phubbing e WhatsAppinite: problemas do mundo contemporâneo!23 de março de 2018 às 07:00 Phubbing e WhatsAppinite: problemas do mundo contemporâneo! (1)
    Uma situação bastante comum nos dias de hoje, seja numa saída entre amigos, reunião de família, reunião de trabalho ou coisa do gênero, […]
  • 9 de julho de 2018 às 14:19 Start what? (0)
    Start what? Hello, folks! Vamos “startar” uma conversa? Você já deve ter ouvido alguém pronunciar esse neologismo, não? Bem… mas o que […]
  • Para além do verbo To Be11 de março de 2019 às 08:00 Para além do verbo To Be (0)
    Olá, pessoal! Tudo bem? Como anda o ensino da língua inglesa nas escolas públicas? Quais os desafios a serem superados? Quais […]
ArteFicialmente

Nossos Colaboradores