Educação – direito de todos, responsabilidade de muitos

Olá, pessoal!

No dia 28 de abril , último domingo, foi comemorado o Dia Mundial da Educação. Porque instituir um dia para Educação? Quando surgiu essa ideia? E qual a importância da família no processo de formação do sujeito?

Então, vamos começar respondendo as perguntas anteriormente apresentadas, pois esses questionamentos podem nos direcionar para um bom processo de reflexão…

Essa data serve para incentivar e conscientizar as pessoas sobre a importância da educação, sobretudo na construção de uma sociedade mais justa e igualitária. É importante destacar que o processo de formação de um cidadão não é responsabilidade somente da escola, precisamos inserir, principalmente a família e a sociedade como um todo.

Em seu artigo 205, a Constituição Federal reconhece a educação como um direito a ser compartilhado entre Estado, família e sociedade , “[…]a educação, direito de todos e dever do Estado e da família, será promovida e incentivada com a colaboração da sociedade, visando ao pleno desenvolvimento da pessoa, seu preparo para o exercício da cidadania e sua qualificação para o trabalho” (BRASIL, 1988, pg. 123).

De acordo com Mario Sérgio Cortella,

“As famílias estão confundindo escolarização com educação. É preciso lembrar que a escolarização é apenas uma parte da educação. Educar é tarefa da família. Muitas vezes, o casal não consegue, com o tempo que dispõe, formar seus filhos e passa a tarefa ao professor, responsável por 35, 40 alunos.”

A formação educacional de um ser humano tem como base a família, principalmente no que tange a construção de valores fundamentais para um convívio saudável entre as pessoas em uma sociedade. Assim, faz-se necessário que pais e/ou responsáveis devem atentamente se preocupar e participar de forma ativa na formação das crianças e adolescentes.

https://pixabay.com/pt/illustrations/fam%C3%ADlia-frente-casa-960452/

A escola e família podem juntos fortalecer a formação dos jovens para o exercício pleno da cidadania, seguindo os princípios essenciais para o convívio na sociedade contemporânea, respeitando a diversidade social econômica e cultural.

Vejam o que António Nóvoa aborda no vídeo a seguir sobre a formação para a humanidade, de forma acessível, esclarecendo o dilema da educação entre como se respeitar o território, a cultura sem fechar as crianças em seu mundo.

Precisamos educar as nossas crianças e adolescentes para enfrentar os desafios da sociedade como um todo, e para isso é importante que escola e família  estejam juntas nessa nobre caminhada da formação do ser.

Até mais!

 

Camila Amorim – Professora da Rede Pública Estadual de Ensino da Bahia

Educação – direito de todos, responsabilidade de muitos

Nossos Colaboradores