Arte na BNCC

Fig 01

Vamos refletir sobre o componente curricular Arte, disciplina que está dentro da área de Linguagens. O ensino da Arte é direcionado para as seguintes linguagens: Artes visuais, Música, Teatro e Dança. Essas quatro linguagens passam a se articular para a produção de saberes que compreendem a construção de fenômeno artísticos e de práticas que envolvem, ler, refletir, produzir, criar e construir.

O processo de aprendizagem em Arte se dá através das formas de expressão que envolvem a sensibilidade, intuição, pensamento crítico, dimensão social, emoções e subjetividades. Além disso, todo indivíduo precisa conhecer e respeitar a arte de outras culturas. Dessa forma, a Arte contribui para o respeito à diversidade e para que o estudante possa compreender e fazer uma análise crítica em relação à complexibilidade do mundo, bem como promover um diálogo intercultural, algo que ajude no exercício da cidadania.

A aprendizagem da Arte não deve mais ser vista, e apenas trabalhada, através de códigos e técnicas, algo que era comum dentro do componente curricular Arte na educação brasileira. A BNCC vem com a proposta de que o produto é tão importante quanto o processo. Sendo assim, o processo assume o mesmo patamar de importância de uma obra finalizada, valorizando as formas de aprendizagem e o desenvolvimento criativo e humano do aluno, tornando essa etapa tão importante quanto o resultado final. O aluno vivencia e é protagonista de um rico processo que culminará em um produto, incentivando esse aluno a perceber que pode, através do protagonismo e da criatividade, participar do desenvolvimento das diversas manifestações artísticas.

Todo esse caminho de aprendizagem artística é trabalhado através de uma prática investigativa. Quando falamos do trabalho desenvolvido pela disciplina Arte, utilizamos as 6 dimensões do conhecimento. Essas dimensões não têm ordem, nem hierarquia para acontecer e elas se inter-relacionam de forma profunda. São elas:

Criação

Voltada para a ação do aluno diante de um pensamento, onde vai atuar, dentro das sua ideias e das sua análises. Ele vai produzir algo que é próprio dele, dessa construção que foi desenvolvida junto a toda apreciação que foi feita por esse indivíduo. A dimensão da criação envolve o fazer artístico, dentro de uma intencionalidade gerada através de uma prática investigativa.

Crítica

Contempla o estudo e a pesquisa de diversas experiências e manifestações artísticas, de modo a permitir a articulação e a formação de um pensamento próprio acerca de aspectos estéticos, políticos, históricos, filosóficos, sociais, econômicos e culturais relacionados a elas.

Estesia

Envolve uma experiência sensível através do espaço, som e cores. Conhecer a si mesmo, o outro e o mundo. É a capacidade de perceber sensações; sensibilidade.

Expressão

Muito mais voltada com situações onde este aluno possa exteriorizar, de forma individual ou coletiva, todo o processo de construção do feito artístico.

Fruição

Relacionada ao deleite, a apreciação, ou entusiasmo da apreciação do fazer artístico. Essas experiências podem gerar prazer, estranhamento, entre outras tantas sensações.

Reflexão

Envolve a construção de argumentos que acontecem após a fruição. Um posicionamento sobre experiências e processos criativos, artísticos e culturais.

Museu de Arte Contemporânea de Niterói.
Fig.02

Todo o processo do ensino da arte não acontece de forma estagnada. Há um diálogo com as disciplinas gerais e com as disciplinas específicas da área, Onde através das habilidades vai permitir que esse aluno tenha um olhar mais crítico, e mais participativo diante do mundo, interagindo de forma muito mais ativa.

 

Fonte: 

http://basenacionalcomum.mec.gov.br/

https://institutoayrtonsenna.org.br/pt-br/BNCC/o-que-e-BNCC.html

https://fundacaolemann.org.br/noticias/o-que-e-a-bncc?