O caos e a vida na Terra

Há cerca de 4,5 bilhões de anos, o sistema solar já possuía os gigantes gasosos Saturno e Júpiter e, na região mais próxima do Sol, orbitavam mais 80 embriões de planetas rochosos. À medida que o sistema solar foi evoluindo, a colisão entre esses pequenos planetas foram originando os planetas rochosos que conhecemos, entre eles a terra e um gêmeo evanescente, uma espécie de planeta irmão, chamado Theia. Esse Planeta veio a colidir com a terra a bilhões de anos atrás originando um cenário de caos e destruição.

Disponível em wikipédia, acessado em 17/04/2018

Segundo essa teoria científica, Theia se originou em virtude do processo de acreção planetária e mantinha-se em harmonia com a Terra dentro da sua órbita, a 150 milhões de km de distância, numa posição denominada Lagrangiano L4, simétrica em relação à posição da Terra. Porém, com o processo de acreção, sua massa foi aumentando e ela assumiu massa e dimensões semelhantes à de Marte, o que gerou forças gravitacionais que tiraram Theia de L4 , entrando numa órbita caótica que culminaria com a colisão com a Terra.

Disponível em wikipédia, acessado em 17/04/2018

Apesar do cataclismo, a organização surge espontaneamente a partir da desordem e não parece ser orquestrada por leis físicas conhecidas, assim, os destroços oriundos da colisão entre Theia  e a Terra, pelo processo de acreção, deram origem a Lua. Esta por sua vez, com evolução do Terra, passou a governar uma série de processos no nosso planeta, entre eles, o fenômeno das marés, que entre outros, é responsável pela formação do relevo da costa, que sofre o processo de erosão provocado pelo movimento contínuo das águas, desagregando rochas e deslocando materiais. Esses sedimentos se depositam ao longo da costa e contribuem para a formação da areia da praia, restingas e manguezais. A grande colisão também deu  origem ao movimento de rotação do nosso planeta que, inicialmente era de 5h, e que nos dias atuais é de 24 h, em virtude da desaceleração provocada pelos fenômenos da marés. Graças à rotação, o calor fornecido pelo Sol é distribuído por todo o planeta, permitindo que a vida se desenvolva por toda a sua superfície.

Outro fato surpreendente, fruto dessa colisão, foi a inclinação adquirida pelo eixo de rotação da terra em 23°. Se não houvesse essa inclinação, os dois hemisférios passariam a receber a mesma quantidade de energia luminosa (calor) durante todo o ano e as estações deixariam de existir.  Caso isso ocorresse, haveria consequências catastróficas para o planeta, já que várias correntes oceânicas e ventos são oriundos dessa distribuição de calor desproporcional durante o ano.  Assim, o hemisfério norte recebe mais sol durante metade do ano e o sul na outra metade. E os polos passam seis meses, praticamente, às escuras e os outros seis na maior claridade, permitindo assim,  o aquecimento periódico dos mesmos, o que contribui para a formação dos ventos e das correntes marítimas.

Disponível em wikipédia, acessado em 17/04/2018

Caso a colisão entre Theia e Terra não tivesse ocorrido, hoje não teríamos o nosso satélite natural, a  lua e, provavelmente, a inclinação e a rotação do planeta não seriam como é hoje. Certamente, a ausência dessas condições inviabilizariam a vida na terra, já que muitos processos de manutenção da vida ocorrem graças a essas características. Enfim, em meio ao caos,  os sistemas foram se organizando e deram origem a uma rede complexa que viabilizou a vida na Terra.

André Soledade

Referências:

BBC BRASIL. Cientistas acham resquícios de planeta que colidiu com a Terra e formou a Lua. Disponível em: <http://www.bbc.com/portuguese/noticias/2014/06/140606_mundo_colisao_lua_rb>. Acesso em: 17 de abril de 2018.

WIKIPEDIA. Tese do grande impacto. Disponível em: <https://pt.wikipedia.org/wiki/Hip%C3%B3tese_do_grande_impacto>. Acesso em: 17 de abril de 2018.

EL PAIS. Terra bateu em planeta gêmeo e formou a Lua. Disponível em: <https://brasil.elpais.com/brasil/2015/04/08/ciencia/1428495111_666688.html>. Acesso em: 17 de abril de 2018.

APOLLO 11. COM. Solstício de inverno repete era Hippie e começa com a Lua Cheia. Disponível em: <http://www.apolo11.com/spacenews.php?posic=dat_20160620-101349.inc>. Acesso em: 17 de abril de 2018.

 

 

 

 

Publicações relacionadas

  • 17 de junho de 2017 às 00:04 Raios! (1)
    Chuva forte, ventos, raios e trovões compõem um cenário que inquieta muita gente! Antigamente, e ainda hoje, não é raro deparar-se com […]
  • Cem anos de Relatividade Geral18 de dezembro de 2015 às 12:00 Cem anos de Relatividade Geral (0)
    Olá, galera do PW! Vocês já ouviram falar sobre a Teoria da Relatividade Geral? Pois bem, neste ano de 2015, ela completa 100 anos! […]
  • Não desrespeite as leis de trânsito e não seja vítima das leis da Física!9 de Março de 2018 às 07:00 Não desrespeite as leis de trânsito e não seja vítima das leis da Física! (0)
    Publicitários conseguem aliar numa única campanha a importância de se respeitar as leis de trânsito e não ser vítima das Leis da Física, […]
  • Arte cinética ou o cinetismo2 de outubro de 2013 às 15:06 Arte cinética ou o cinetismo (1)
    Você já ouviu falar em Arte Cinética? A arte cinética ou o cinetismo refere-se a uma corrente na área das artes plásticas que elabora […]
  • O Brasil indígena?12 de Abril de 2018 às 08:00 O Brasil indígena? (2)
    Resumo da situação dos povos indígenas do Brasil de acordo com o Censo de 2010.
  • 10 anos do TOPA23 de novembro de 2017 às 11:45 10 anos do TOPA (0)
    Estudante-repórter: Vitória Mercês Eaaaai, meninos e meninas!! Último dia do Encontro Estudantil e hoje vamos falar de algo muito […]
O caos e a vida na Terra

Nossos Colaboradores

%d blogueiros gostam disto: