Percussão com Sotaque Francês

Aula de percussão com George Sopa (Cri Levada), no Projeto Férias in Bahia

 

Olá, pessoal!

Vocês conhecem o termo interculturalidade?

Pois é! A interculturalidade ocorre quando duas ou mais culturas interagem de forma horizontal, igualitária. Nos dias de hoje, a interação com culturas diversas está cada vez mais comum, devido, principalmente, ao processo de globalização, sem falar dos inúmeros refugiados espalhados pelo planeta que fugiram das guerras em seus países de origem.

A equipe da Rádio Anísio Teixeira, para um episódio do programa Nas Ondas da Rede, teve a oportunidade de vivenciar uma experiência intercultural, quando acompanhou um grupo de mulheres percussionistas, da cidade de Lyon na França, chamado Timbahia, que veio conhecer de perto a cultura afro-baiana.

Já faz algum tempo que mestres baianos levaram a nossa capoeira, reconhecida pela Unesco como Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade,  para vários países da Europa, Américas e Ásia. Agora, é a nossa percussão que vem conquistando o mundo.

A ideia do projeto Férias in Bahia, que trouxe as meninas da França para esse intercâmbio, foi do mestre de capoeira, dançarino e percussionista Luciano Sousa, fundador e professor do grupo Timbahia. Clo Chette, Colette, Steph, Amandine, Brigitte, Elo, Tacko e Bella tiveram aulas intensivas de percussão com o professor e músico George Sopa, do Projeto Cri Levada.

 

Aulas de percussão com George Sopa (Cri Levada), no Projeto Férias in Bahia

 

Sopa desenvolve um belo trabalho em sua comunidade, no bairro da Boca do Rio, em Salvador, ensinando percussão a crianças e jovens carentes. A linguagem universal da música rompeu as barreiras linguísticas e o som aconteceu. Confira o vídeo:

 

[embedyt] https://www.youtube.com/watch?v=uivSLeQ95uk[/embedyt]

 

Quando a cultura do Outro é valorizada, a nossa passa a ser vista com os olhos da admiração e, assim, cultivamos o respeito às diversidades. Que tal pesquisar mais sobre a diversidade cultural? Pode ser uma boa sugestão para treinar a redação para o ENEM. Fica a dica!

 

 

Joalva Moraes

Professora da Rede Estadual de Ensino da Bahia

2 Comentários

  • Bacana, Jô!

    Muito bom saber que a Bahia, neste caso, a cidade de Salvador, continua estabelecendo e fortalecendo esses diálogos interculturais. “Interculturalidade”, “diversidade cultural” são temas sempre relevantes para se discutir dentro e fora da escola.

    Abraço!

    Força e sensibilidade sempre!

    Marcus Leone

    Resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *