Fórum Social Mundial 2018: Salvador sedia a diversidade de ideias sobre o mundo.

O Fórum Social Mundial (FSM) é um evento que teve início em 2001, na cidade de Porto Alegra (Brasil) como contraponto às perspectivas centradas na importância maior da Economia do Fórum Econômico Mundial, que acontecia em Davos, na Suiça. O FSM desde sempre é organizado por movimentos sociais de diversos países e busca fomentar o debate livre sobre temáticas que afetam a vida humana, sobretudo a partir dos efeitos das constantes crises econômicas que assolam o mundo.

O FSM já teve edições em Mumbai, Caracas, Karashi, Bamako, Nairobi, Belém, Dacar, Tunis e Montreal.  Segundo os organizadores,  O Fórum Social Mundial é um espaço aberto de encontro para o aprofundamento da reflexão, o debate democrático de idéias, a formulação de propostas, a troca livre de experiências e a articulação para ações eficazes, de entidades e movimentos da sociedade civil que se opõem ao neoliberalismo e ao domínio do mundo pelo capital e por qualquer forma de imperialismo, e estão empenhadas na construção de uma sociedade planetária orientada a uma relação fecunda entre os seres humanos e destes com a Terra (Carta de Princípios do FSM, disponível em https://wsf2018.org/carta-de-principios-do-forum-social-mundial/).

Nesse sentido, o FSM propõe pensar o mundo de uma maneira alternativa à lógica capitalista liberal, ou seja, propõe que pensemos a realidade também  com um olhar mais coletivista e social, nos levando a perceber como podemos ajudar a construir um mundo melhor. Ao longo dos anos, sua realização colaborou com discussões importantes, como as condições do trabalho no mundo, as questões de classe social, etnia, gênero. Os participantes não apenas conversaram sobre os temas, mas propuseram encaminhamentos coletivos para que as lutas sociais ganhassem força e se mantivessem acesas.

Posto de Credenciamento para o FSM 2018, na Universidade Federal da Bahia

O FSM 2018 aconteceu na cidade de Salvador, entre 13 e 17 de março em pontos variados da cidade. Universidade Federal da Bahia e Universidade do Estado da Bahia foram dois pólos importantes onde as atividades ocorreram. Mostras artísticas e culturais, junto a debates sobre meio ambiente, desenvolvimento e sociedade, convivência cultural, entre outros temas permearam o evento, que buscou também abordar a Democracia como transversal aos outros assuntos em foco.

O debate sobre a situação dos povos indígenas no Brasil também foi abordado no FSM2018

Uma atividade interessante e problematizadora que teve o FSM como palco foi o chamado “Jogo dos Privilégios” em que pessoas vão andando para frente ou para trás baseados em perguntas que definem posições sociais e como essas ajudam ou dificultam o movimento na vida. A cultura popular baiana também marcou presença com grupos que levaram força e alegria para os ambientes do Fórum.

 

Lançamentos de livros, encontros com intelectuais brasileiros e de outros países e moções de repúdio a atos que ferem os Direitos Humanos foram a tônica do FSM 2018. Vale ressaltar que o assassinato da vereadora Marielle Franco, na quarta-feira, 14 de março, além de ter levado muitas pessoas à extrema comoção, também gerou atos políticos nos dias seguintes. O FSM 2018 trouxe o mundo para Salvador e proporcionou o encontro de pessoas que buscam outras formas de pensar a realidade com atenção maior aos clamores sociais.