Enem, que História é essa?

Oi pessoal!

Os leitores do Blog da Rede, que em sua maioria pertencem à Comunidade Escolar, já perceberam que a data da prova do Enem se aproxima. Por isso, o Blog tem dedicado a maior parte, de suas publicações, ao tema. Hoje, vamos falar sobre a prova de História e o modo como ela comparece no Enem, sublinhando suas principais características, para que estudantes e professores possam ter uma ideia a respeito dos conteúdos que devem constar na prova.

 

Consultando-se os PCN´s podemos nos informar a respeito do que é exigido na prova, os textos alertam para as relações que são constituídas,  entre o fato histórico e suas implicações para a sociedade nos campos da  política, economia, cultura, legislação, o que em resumo significa dizer que um evento histórico nunca está isolado em si ele tem múltiplas implicações para  a sociedade.

Também é importante atentar para o fato de que as questões de história, muitas vezes, requerem uma interpretação tanto do enunciado quanto das imagens, como podemos ver abaixo:

Observando-se que na imagem vemos uma queda de braço entre  os Estados Unidos e a União Soviética e as siglas estão grafadas nos respetivos mísseis, e associando estas informações ao enunciado, pode-se  inferir que a resposta certa é a letra C, o fato retratado na questão  é a Crise dos mísseis em Cuba. Outros elementos da questão também apontam para a resposta: … “maiores potências do século XX”, “momento mais tenso” na relação entre as nações.

Em se tratando da redação, uma boa revisão histórica, estrutura o tratamento dado ao tema indicando que o estudante tem aprofundamento de leitura sobre o assunto proposto. Nas últimas edições do Enem, a compreensão sobre direitos humanos foi muito importante para desenvolver bons argumentos. Só para exemplificar, em 2016, os temas foram:  “Caminhos para combater a intolerância religiosa no Brasil” e “Caminhos para combater o racismo no Brasil”. Ambos os temas dizem respeito aos direitos humanos.

Para desenvolver um argumento a esse respeito precisamos retomar a Revolução Francesa  (1789-1799 ) esse foi um marco na superação do sistema feudal. O Feudalismo era caracterizado pela posição social privilegiada dos aristocratas. Ao final da Revolução, foi promulgada a Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão, de inspiração iluminista, segundo essa carta de leis, todos os homens seriam dotados de direitos, não apenas os aristocratas da corte francesa. Acontece que no textos das leis, homens, era uma categoria social restrita, aos heterossexuais, brancos e católicos. Mulheres, negros, crianças e grupos étnicos minoritários não tiveram direitos sociais garantidos. A partir desse fato é possível compreender porque há permanências de assimetria de poder entre homens e mulheres na sociedade, bem como o  racismo, machismo, preconceito religioso e tolerância quanto a tortura por exemplo.

A liberdade e igualdade que figuram, nas mais diversas constituições dos países, ainda não são uma conquista ampla,  diversos segmentos da sociedade brasileira contemporânea, não tem seus direitos respeitados, haja vista que ainda existe escravidão no mundo do trabalho, índices alarmantes de violência contra mulheres, no ranking mundial de casamento infantil o Brasil ocupa o vergonhoso quarto lugar. Além do que, religiões de matriz africana sofrem preconceito e discriminação. Como podemos ver, a discussão sobre direitos humanos é base para a compreensão sobre diversos assuntos que estruturam a sociedade brasileira, uma vez que, a desigualdade social no Brasil é um problema persistente.

Na Plataforma Anísio Teixeira, podem ser encontrados vários conteúdos que comparecem  na prova de história do Enem e discutem, tanto sobre direitos humanos quanto a luta dos movimentos sociais pela conquista de condições de igualdade com os outros segmentos sociais. Vamos assistir o episódio Ditadura Militar do quadro Histórias da Bahia para ver um momento da história do Brasil em que a garantia de direitos humanos foi suspensa.

 

Explorem os conteúdos de História da Plataforma Anísio Teixeira, especialmente, os de História da Bahia, são fontes importantes para a compreensão sobre os fatos históricos que se desenrolaram em nosso estado e que guardam uma profunda relação com a história do Brasil e do mundo. Tenham um bom aproveitamento desses conteúdos e inspirem-se para a prova.

Valdineia Oliveira

Professora de História da Rede Pública Estadual de Ensino

 

Referências:

 

Portal do MEC – http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/cienciah.pdf

Wikepedia – https://www.wikipedia.org/

 

 

 

Publicações relacionadas

Enem, que História é essa?

Nossos Colaboradores

%d blogueiros gostam disto: