Radiola PW: Ilê Pérola Negra

Oi! Tudo bem? Estamos no mês de novembro e, neste período do ano, todas as nossas publicações abordam aspectos da História e Cultura Africana. Assim, fortalecemos as ações do Novembro Negro, que acontece em todo o estado e será aberto oficialmente amanhãNa Radiola PW de hoje, o destaque vai para a música Ilê Pérola Negra, dos compositores Miltão, Renê Veneno e Guiguio. A canção foi gravada pela cantora e compositora Daniela Mercury, em 2000, no CD Sol da Liberdade.

Fig. 1: Ilê Aiyê. Foto: reprodução do site oficial do bloco afro

Fig. 1: Ilê Aiyê. Foto: reprodução do site oficial do bloco afro

Ilê Pérola Negra traz no seu discurso uma forma evidente de exaltação. Exalta a cultura negra em todos os seus aspectos: sociais, artísticos e religiosos. Os versos carregam um alerta para que toda a população perceba que a cultura negra é uma das bases da cultura brasileira e, por isso, todos deveriam conhecê-la e, obviamente, respeitá-la. Isso se confirma nos seguintes trechos:

[…]

Eu quero penetrar no laço afro que é meu e seu

Vem cantar meu povo

Vem cantar você

[…]

O mote da música é o desfile do bloco afro Ilê Aiyê, durante o Carnaval. Os autores fazem reverência àquele que é considerado “o mais belos dos belos” e reafirmam, durante todo a canção, a importância do cordão para a negritude. Por isso, o Ilê é uma pérola negra:

Lá vem a negrada que faz o astral da avenida

Mas que coisa tão linda, quando ela passa me faz chorar

Tu és o mais belos dos belos, traz paz e riqueza

Tens o brilho tão forte por isso te chamo de pérola negra

Um dos objetivos da obra é negar a política de assimilação, estrategicamente construída para fazer com que os negros não tenham orgulho de seus traços e de sua cultura. De acordo com BERND (1988, p. 35), tal política diz respeito à “tendência dos povos americanos, sobretudo dos negros, de assimilar a cultura européia (processo de aculturação) e a conseqüente perda da memória das culturas de origem indígena e africana (processo de desculturação) [sic]”.

Ilê Pérola Negra é, por si só, uma política de exaltação. É importante considerar o seu discurso, principalmente para que todas as pérolas brilhem de forma igual, mas mantendo as suas características próprias.

Raulino Júnior

Professor da Rede Pública Estadual de Ensino da Bahia

Referência:

BERND, Zilá. O que é negritude. São Paulo: Brasiliense, 1988. (Coleção Primeiros Passos).

Publicações relacionadas

  • 11 de abril de 2016 às 19:57 Radiola PW: Música Sem Pesquisa Brasileira (MSPB) (0)
    No mês de abril, a história e cultura dos povos indígenas fica em evidência por causa do dia 19 de abril. Na verdade, isso não passa de um […]
  • Radiola PW: Pra Que2 de maio de 2016 às 17:07 Radiola PW: Pra Que (0)
    Oi! Tudo bem com você? Hoje, na Radiola PW, a dica de música é Pra Que, de autoria de Luiz Melodia e Ricardo Augusto. Ela foi lançada por […]
  • Radiola PW: Acorde, Brasil13 de setembro de 2016 às 18:43 Radiola PW: Acorde, Brasil (2)
    Oi, turma! Tudo bem? A dica de hoje da Radiola PW é a música Acorde, Brasil, do cantor e compositor Julinho Marassi. Embora tenha sido […]
  • 23 de maio de 2016 às 11:00 Radiola PW: Aos Meus Heróis (0)
    Oi, galerinha! Tudo bem? A dica de hoje da Radiola PW é a música Aos Meus Heróis, do compositor Julinho Marassi. A canção foi composta em […]
  • 28 de novembro de 2016 às 18:41 Resenha PW ⇨ Riachão: o cronista do samba baiano (0)
    Oi! Tudo bem? Ontem, 27 de novembro de 2016, completaram-se cem anos do registro do samba Pelo Telephone (assim mesmo, com “ph”, […]
  • Exposição “Simplesmente Mulher” – Biblioteca Pública7 de março de 2012 às 09:36 Exposição “Simplesmente Mulher” – Biblioteca Pública (0)
    Pessoal! Vejam só essa dica da  Biblioteca Pública: No mês em que se destaca o Dia Internacional da Mulher, a Subgerência de Periódicos da […]
Radiola PW: Ilê Pérola Negra

Nossos Colaboradores

%d blogueiros gostam disto: