A Luta dos Movimentos Negros na Tela do Cinema

Olá, galerinha do PW! No mês de novembro, celebramos o Dia Nacional da Consciência Negra, e não posso deixar de recomendar dois filmes que me inspiraram a escrever este texto: “Até o Fim” e “Selma”. Esses dois filmes são fascinantes e abordam, dentro de um contexto histórico, a luta dos negros afro-americanos pelos direitos civis nos Estados Unidos. Sei que muitos  leitores devem achar irrelevante falar sobre a história de outro país, enquanto poderíamos exaltar a nossa, no entanto, esses filmes tratam, dentro de um contexto social e político, a vida de  Martin Luther King. Conhecendo um pouco da sua trajetória, vejo a influência de seus ideais no movimento negro no Brasil e no mundo.

martin

Martin Luther King – Disponível em Wikimedia, acessado 04/11/16

Os negros americanos foram escravizados de 1619 a 1863, todavia, mesmo com o fim da escravidão, os negros americanos permaneceram segregados por um longo tempo, apesar de a Constituição americana garantir os direitos fundamentais a todos os cidadãos. Nesse período, uma doutrina jurídica chamada “Separados, mas iguais”  permitia que o governo deixasse que os setores públicos ou  privados como de serviços, instalações, acomodações, moradia, cuidados médicos, emprego e transporte pudessem ser separados baseados na raça. Assim, os negros eram obrigados a frequentar escolas só para negros, tinham banheiros em repartições públicas e privadas destinados somente a eles e em muitos estados americanos eram obrigados a ceder o lugar num coletivo caso um branco estivesse de pé.  Outro direito civil regulamentado pela Constituição desde 1870 e negado aos negros por quase cem anos após o fim da escravidão, principalmente nos estados do sul, foi o voto. Para conter a participação dos negros pobres nas eleições, alguns estados passaram a instituir taxas ou a exigir que o eleitor passasse por uma avaliação escrita antes de votar. Essa situação é muito bem retratada no filme ”Selma”. Além disso, grupos violentos denominados Ku Klux Klan ameaçavam os negros, tentando desencorajá-los de chegar às urnas.

Muitos negros não aceitavam esse tipo de tratamento e destaco, entre eles, a atitude de Rosa Parks, mulher negra que se negou a ceder seu lugar num coletivo para uma mulher branca e, por essa atitude, foi presa. A partir da década de 60, indivíduos como Martin Luther King ,  Malcolm X, Rosa Parks  e outros passaram a lutar pelos diretos civis dos negros nos Estados Unidos. O ativista Malcolm X conduziu parte do movimento negro com o princípio da violência como forma de autodefesa. Ou seja, a violência não era uma forma de barbárie, mas um meio legítimo de conquistas, afinal as grandes mudanças na história da humanidade se deram dessa forma. Ao contrário de Malcolm X, o pastor protestante Martin Luther King conduziu o movimento negro inspirado em  Mahatma Gandhi, que tinha como princípios: coagir as autoridades através da desobediência civil e a prática da não violência. Ele organizou diversas marchas com o propósito de pôr um fim na segregação racial e de assegurar o voto a toda comunidade negra, que mais tarde teria os direitos assegurados com a Lei dos Direitos Civis (1964) e a Lei dos Direitos Eleitorais (1965), ambas fruto desses movimentos e abordadas no filme “Até o Fim”.  Por obra da sua liderança e resistência não violenta e pelo fim do preconceito, em 1964, King recebe o Prêmio Nobel da Paz. A postura e os ideais de igualdade de King incomodaram a muito segmentos da sociedade americana, dentre eles o FBI, que, representado na pessoa a John Edgar Hoover, considerou-o um radical e comunista e por isso investigou sua vida, através de grampos telefônicos. Anonimamente, ameaçava sua vida através de cartas, que, apesar de tudo, nunca o intimidou.

Lyndon_Johnson_signing_Civil_Rights_Act,_July_2,_1964.jpg

Assinatura da lei dos Direitos Civis – Disponível na Wikimedia, acessado em 04/11/16

A postura de King culminou no seu assassinato em 04 de abril de 1968, momentos antes de uma marcha. Nos anos seguintes, contudo, muitos líderes dos direitos civis continuaram a trabalhar pela igualdade racial nas instâncias políticas.

A luta e os ideais de King e de seus contemporâneos repercutiram e influenciaram movimentos similares em todo o mundo, levando as comunidades negras a reivindicar por direitos de igualdade e oportunidade. Nos anos que sucederam a sua morte, o número de negros em repartições públicas, na política e mais tarde com a eleição de Barack Obama na própria presidência se tornaria marcos na história dos Estados Unidos.

Até a próxima!

Referências:

Enciclopédia Livre, Wikipedia. Disponível em: https://pt.wikipedia.org/wiki/Martin_Luther_King_Jr. Acesso em 2 de outubro de 2016.

Enciclopédia Livre, Wikipedia. Disponível em: https://pt.wikipedia.org/wiki/Malcolm_X. Acesso em 2 de outubro de 2016.

Enciclopédia Livre, Wikipedia. Disponível em: https://pt.wikipedia.org/wiki/Loyd_Jowers. Acesso em 2 de outubro de 2016.

Enciclopédia Livre, Wikipedia. Disponível em: https://pt.wikipedia.org/wiki/Dia_da_Consci%C3%AAncia_Negrahttp://escola.britannica.com.br/article/480991/Movimento-pelos-Direitos-Civis. Acesso em 2 de outubro de 2016.

Enciclopédia Livre, Wikipedia. Disponível em: https://pt.wikipedia.org/wiki/Mahatma_Gandhi. Acesso em 2 de outubro de 2016.

Publicações relacionadas

  • Homenagem à Martin Luther King Jr4 de abril de 2012 às 11:29 Homenagem à Martin Luther King Jr (0)
    Olá, pessoal! Vocês já devem ter ouvido falar muito sobre Martin Luther King Jr, não é mesmo? Pois é! Hoje fazem 44 anos do seu […]
  • Educação não é privilégio! É direito!8 de julho de 2016 às 13:49 Educação não é privilégio! É direito! (1)
    Há algumas instituições que levam o nome de um grande filósofo e educador baiano nascido em 1900. Na sua cidade natal, Caetité é feriado […]
  • Documentário Janelas do Curuzu estreia em novembro no Cine Teatro do Irdeb/TV Educativa da Bahia27 de novembro de 2012 às 18:00 Documentário Janelas do Curuzu estreia em novembro no Cine Teatro do Irdeb/TV Educativa da Bahia (0)
    Como se sente um aluno negro ou afrodescendente que — ao abrir o seu livro didático, não se vê ali representado? Essa é uma das reflexões […]
  • Cine PW: O Contador de Histórias13 de novembro de 2013 às 18:41 Cine PW: O Contador de Histórias (0)
    Salve, salve, galera! Mais uma sessão do Cine PW, especial Novembro Negro! Hoje, trazendo a obra 'O Contador de Histórias', um filme de […]
  • CINE PW: Quanto vale ou é por quilo?6 de novembro de 2013 às 18:48 CINE PW: Quanto vale ou é por quilo? (0)
    Salve, salve, galera! Em mais uma edição do Novembro Negro, espaço em que nos propomos a dialogar com vocês sobre as várias temáticas que […]
  • CENTENÁRIO DO SAMBA24 de novembro de 2016 às 12:31 CENTENÁRIO DO SAMBA (1)
    Olá, galera! Entre sons e rimas, atabaques e agogôs, danças e rituais, músicas e filmes, dramaturgias e palestras, o mês de novembro vem […]
A Luta dos Movimentos Negros na Tela do Cinema

Nossos Colaboradores

%d blogueiros gostam disto: