13 de maio no Bembé do Mercado

Desde o século XIX, na data 13 de maio, em Santo Amaro, região do Recôncavo baiano, acontece o Bembé do Mercado, festa realizada em comemoração à abolição da escravatura. O Bembé reúne os principais terreiros de candomblé no Mercado Municipal da cidade em um momento de cantos, danças e toque dos atabaques. O objetivo não é comemorar a assinatura da Lei Áurea, mas sim a liberdade simbolizada pela livre vivência da religiosidade. Nesse sentido, os tambores que ecoam no mercado simbolizam a libertação dos negros.

Santo Amaro tem uma população majoritariamente negra/mestiça, em virtude da quantidade de engenhos instalados ali no período colonial. O Recôncavo baiano foi o principal centro produtor e exportador de cana de açúcar, responsável pelo abastecimento dos gêneros de primeira necessidade da capital e interior. Para compreender melhor a história dessa região, é importante assistir ao episódio “Recôncavo“, do  quadro Histórias da Bahiado programa Intervalo, e perceber a relação entre a composição étnica dessa região e as manifestações culturais como o candomblé, samba de roda, capoeira e o próprio Bembé do Mercado. Clique na imagem abaixo para assistir.

Recôncavo

A data 13 de maio, durante muito tempo, foi “comemorada” como  emblemática para a abolição da escravatura, pois foi nesse dia que a princesa Isabel assinou a Lei Áurea. O Movimento Negro empreendeu uma forte luta política em torno da ressignificação desse fato, tendo em vista que no dia 13 de maio não há o que comemorar senão o protagonismo da Princesa Isabel, motivada, entre outras coisas, pelo contexto econômico internacional.

O Bembé do Mercado ou candomblé do mercado, como muitos preferem chamar, significa a resistência e fé de um povo que escolhe comemorar junto a seus ancestrais, festejar com sua pertença africana, agradecer e pedir forças para se sustentar com firmeza dentro do âmbito das relações sociais tensas do período pós-abolição. No site da Biblioteca Virtual 2 de Julho,  há um importante documentário sobre essa festa: Bembé do Mercado. Clique na imagem para assistir!

Bembé

E, neste 13 de maio, nos convida a refletir sobre a abolição da escravatura na perspectiva das populações negras, como um ato de resistência; provando que os negros não tiveram um papel secundário nesse processo, mas empreenderam formas particulares de autoria em importantes manifestações culturais.

Valdineia Oliveira

Professora da Rede Pública Estadual de Ensino

 

FONTES:

Biblioteca Virtual 2 de Julho – Disponível em: http://www.bv2dejulho.ba.gov.br/portal/.

SILVA, Isadora Maria Lima da Silva.  Festejando a Liberdade no Bembé do Mercado. Disponível em: http://www3.ufrb.edu.br/lehrb/wp content/uploads/2014/07/Isadora-Silva-Bemb%C3%A9-do-Mercado-pdf.pdf.

2 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *