Acervo Multimídia das Línguas Indígenas da Amazônia

Um acervo multimídia disponível para estudantes, professores e pesquisadores interessados em conhecer um pouco mais sobre a história e cultura dos indígenas. Esse é o predicado de um sujeito chamado Museu Paraense Emílio Goeldi. A instituição é vinculada ao Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação. Foi fundada em 1866 e, desde então, realiza pesquisas científicas. Emílio Goeldi era zoólogo de origem suíça, viveu uma época no Brasil e publicou trabalhos relacionados à questão racial, à relação entre natureza e cultura e  à etnologia.

AcervoDigital
Captura de tela feita em 16/4/2015. Clique na imagem para acessar o site.

No site do acervo digital, é possível encontrar um vasto material sobre a diversidade linguística e cultural da Amazônia brasileira e também sobre outras práticas culturais. O acervo é constituído de textos, filmagens, músicas, gravações de áudio, atividades e fotografias. Além disso, há seções de línguas por família linguística, por ordem alfabética e por estado. É importante destacar que grande parte do conteúdo é documentada por pesquisadores indígenas. Ou seja, pessoas que estão diretamente ligadas aos aspectos culturais desses povos. Isso é muito bom.

Outra dica

Outra dica bem bacana é o site Povos Indígenas no Brasil. Nele, há uma seção de línguas que fala sobre multilinguismo e o trabalho dos linguistas. A seção sobre troncos e famílias é bem rica em dados. De acordo com informações constantes na página, “mais de 150 línguas e dialetos são falados pelos povos indígenas no Brasil”. Interessante, não é?

Raulino Júnior

Professor da Rede Pública Estadual de Ensino