Já é carnaval cidade, acorda pra ver!

A maior festa popular de rua do mundo já começou. Muitas músicas e ritmos embalam as emoções; milhões de foliões nas ruas e avenidas enchendo de alegria a praça e o poeta. É o carnaval de Salvador. Que este ano homenageará os blocos afros com o tema “40 anos de Blocos Afro – É diferente. É de Salvador”. Então, vamos nessa conhecer essa história.

Os blocos afros são instituições carnavalescas composta majoritariamente pela população negra e afrodescendente. Surgidas ainda no final do século XIX, em Salvador desde os anos trinta, com o Afoxé Pai Burocô – 1935, criado por Mestre Didi, e o Filhos de Ghandy, em 1945, que até hoje estende o seu “tapete branco” por onde passa.

20140203041548_marca-carnaval

Você pode estar se perguntando, mas são quarenta anos de quê?’ E a resposta é simples. Na verdade, são quatro décadas de exaltação dos traços africanos, próprios da cultura, compondo a folia. Uma vez que, há quarenta anos, os blocos afros e afoxés passaram a fazer parte do circuito oficial do carnaval de Salvador; ou “mais que isto, a presença dos blocos afros no carnaval da Bahia foi um importante elemento na ampliação do combate ao racismo, valorização da cultura de origem negra, bem como da autoestima da sua juventude.” como relatou em seu artigo Zulu Araújo – Diretor da Casa da Cultura da América Latina/UnB. Logo estes blocos integrando o carnaval simbolizam a resistência dessa gente.“Lá vem a negrada que faz o astral da avenida, mas que coisa tão linda quando ela passa mim faz chorar”(Daniela Mercury).

Algumas destas instituições são bem conhecidos pelo povo, inclusive fora do Brasil. Estes blocos afros promovem atividades que se estendem para além do carnaval. A exemplo do Ilê Aiyê, Cortejo Afro, Olodum, Timbalada e Didá, que mantém em seus espaços projetos sociais em arte, cultura e educação atendendo a população de bairros periféricos do seu entorno, utilizando de metodologias que valorizam e empoderam integrantes e sociedade como um todo, quanto as riquezas afro-brasileiras.

É isso aí, bom carnaval, divirta-se e até mais!

Publicações relacionadas

  • FioJovem – A ciência vista com novo olhar!21 de janeiro de 2013 às 10:30 FioJovem – A ciência vista com novo olhar! (0)
    Olá, pessoal! Difusão prática e contextualizada da ciência e tecnologia entre os jovens. Essa é a proposta do projeto FioJovem, iniciativa […]
  • Juventudes indígenas e o Ensino Superior29 de abril de 2014 às 19:37 Juventudes indígenas e o Ensino Superior (0)
    Olá, pessoal! Reforçando nossas abordagens sobre a Cultura e Historia dos Povos Indígenas, falaremos sobre a realidade de jovens indígenas […]
  • II Conferência Estadual Infantojuvenil pelo Meio Ambiente2 de agosto de 2013 às 17:58 II Conferência Estadual Infantojuvenil pelo Meio Ambiente (0)
    Oi, turma! Vamos todos contribuir para um planeta melhor! A II Conferência Estadual Infantojuvenil pelo Meio Ambiente está voltada para […]
  • Paulo Freire – Sensibilidade e sabedoria20 de setembro de 2012 às 14:26 Paulo Freire – Sensibilidade e sabedoria (0)
    Alô, galera! Tudo joia? Ontem foi dia de homenagear um dos maiores ícones na luta em prol da educação. Estamos falando do Patrono da […]
  • Cine PW: Dossiê Jango10 de julho de 2013 às 17:48 Cine PW: Dossiê Jango (0)
    Salve, salve turma! O Cine PW indica “Dossiê Jango”, documentário que levanta as questões sobre as duvidosas circunstâncias da morte do […]
  • Dinheiro: da moeda ao bitcoin25 de maio de 2017 às 08:00 Dinheiro: da moeda ao bitcoin (0)
    Olá, pessoal! Escambo. A moeda, como hoje a conhecemos, é o resultado de uma longa evolução. No início, não havia moeda. As transações […]
Já é carnaval cidade, acorda pra ver!

Nossos Colaboradores