O Enem e o Modernismo

Oi, pessoal! Tudo beleza?

O Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), que acontece no próximo sábado (26) e no domingo (27), costuma trazer muitas questões sobre o Modernismo, importante movimento literário que teve o seu ápice, no Brasil, na segunda década do século XX, especificamente a partir da Semana de Arte Moderna, em 1922.

Modernismo foi uma manifestação cultural que tinha em sua essência buscar a ruptura, em termos artísticos, com o que estava estabelecido na sociedade. Para os modernistas, o artista tinha que ter liberdade de criação, não se fechando a nenhum método e sempre tendo a identidade brasileira como norteadora. Artistas como Manuel Bandeira, Mário de Andrade, Anita Malfatti, Di Cavalcanti, Menotti del Picchia, Oswald de Andrade, Tarsila do Amaral, Graciliano Ramos, Jorge Amado, Carlos Drummond de Andrade, Cecília Meireles e Vinicius de Moraes são alguns dos expoentes do nosso Modernismo.

O movimento teve duas fases: a primeira, que ocorreu de 1922 a 1930, caracterizou-se pelas tentativas de solidificar a proposta renovadora e divulgar suas obras e os seus ideais; e a segunda, de 1930 a 1945, em que os artistas tinham uma intenção mais clara de denúncia social e engajamento político. Contudo, alguns estudiosos classificam o período após 1945 de 3ª fase do Modernismo. Já alguns livros didáticos costumam chamar esse mesmo período de Pós-Modernismo.

As questões sobre o Modernismo que figuram na prova do Enem têm o intuito de mostrar as características mais importantes da escola literária, bem como fazer com que os estudantes associem tais características com aspectos dos dias atuais. Nesse sentido, o exame associa textos de autores daquela época com os de artistas da contemporaneidade, como Chico Buarque. Provocar a reflexão é a tônica dos questionamentos.

Portanto, fique atent@ e pesquise informações sobre o Modernismo para que você possa ter um bom desempenho na prova!