1ª edição do Prêmio “Curta Histórias” valoriza a Educação das Relações Étnico-Raciais

Atenção, pessoal!

A 1ª edição do Prêmio “Curta Histórias”, que tem como objetivo valorizar a Educação das Relações Étnico-Raciais e a implementação da Lei 10.639/03 (que trata sobre a obrigatoriedade do ensino de História e Cultura Africana e Afro-brasileira na Educação Básica), está com inscrições abertas até o dia 5 de novembro. A promoção é do Ministério da Educação, por meio da Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão (SECADI), da Fundação Vale, da Fundação Telefônica, da Associação Casa da Árvore, do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) e da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO).

A inscrição é gratuita e apenas estudantes matriculados na Educação Básica da rede pública de ensino de todo o país, que estejam participando dos programas “Mais Educação” ou “Ensino Médio Inovador”, poderão inscrever vídeos cuja temática seja “Africanidades Brasileiras”. As imagens podem ser produzidas por celulares e câmeras domésticas. De acordo com o regulamento, só será aceito um vídeo por escola, com duração de 1 minuto. A equipe deve ser formada por um professor ou educador responsável e até cinco alunos.

Outra observação importante que o regulamento da premiação traz é a exigência de que os vídeos inscritos estejam amparados no Parecer 03/2004, que fundamenta as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação das Relações Étnico-Raciais e para Ensino de História e Cultura Afro-brasileira e Africana.

A seleção dos vídeos será feita por um Júri Técnico, um Júri Popular e uma Comissão Julgadora Final. Serão premiados o vídeo mais votado pelo público e outros dois selecionados pela Comissão Julgadora Final. A premiação para as três escolas vencedoras será:

a) alunos: 1 (uma) oficina de formação em cinema e empreendedorismo com duração de 24 horas; 1 (um) tablet, 1 (um) aparelho celular smartphone para cada participante da equipe.

b) professor: 1 (uma) oficina de formação em cinema e empreendedorismo com duração de 24 horas; 1 (um) tablet, 1 (um) aparelho celular smartphone.

c) escola: cinemateca composta de 20 filmes; 1 (um) aparelho data show; 1 (um) aparelho DVD; 1 (uma) filmadora digital e 1 (uma) câmera fotográfica semi-profissional.

Africanidades Brasileiras

Segundo a doutora em Educação Petronilha Silva, “a expressão africanidades brasileiras refere-se às raízes da cultura brasileira que têm origem africana” (p.26, 2003). Ou seja, diz respeito às influências africanas na nossa cultura e no nosso comportamento. Em seu artigo “Africanidades Brasileiras: esclarecendo significados e definindo procedimentos pedagógicos”, publicado na Revista do Professor, no primeiro trimestre de 2003, Petronilha traz uma boa introdução sobre a temática e propõe a aplicação dela em diferentes áreas do conhecimento.

O prêmio é uma ótima oportunidade para discutir e refletir sobre História e Cultura Africana e Afro-brasileira. Desejamos sucesso para todos os inscritos!

Publicações relacionadas

1ª edição do Prêmio “Curta Histórias” valoriza a Educação das Relações Étnico-Raciais

Nossos Colaboradores