Cine PW: A guerra do fogo

Salve, salve turma!

Constantemente utilizamos a palavra cultura no nosso dia a dia, para designar uma inter-relação dos fatores sociais, políticos e econômicos.

Mas quando foi que o homem começou a produzir cultura?

Rousseau no livro “Do contrato social” afirma que “a palavra distingue os homens entre os animais” (…) “não é a fome ou a sede, mas o amor, o ódio, a piedade, a cólera, que lhes arrancaram as primeiras vozes”. E é a necessidade de comunicar suas subjetividades que o homem produz cultura.

Para mostrar a gênesis desse processo o filme “A guerra do fogo” apresenta os conflitos culturais, tecnológicos, a relação do homem com a natureza e transformações ocorridas fruto dessas relações no período agrafo da história.

[youtube=http://www.youtube.com/watch?v=xsXWm1DLzwo&w=560&h=315]

2 Comentários

  • Prezados (as), gostei bastante da formatação deste veículo relacional, de extrema utilidade docente, que possibilita aos educadores traçar caminhos fundantes para que possamos gerar aprendizagens significativas. Contudo, sentir falta de temáticas/assuntos mais técnicos na área de filosofia, isto é, propostas reveladoras dos problemas específicos do ensino de filosofia.

    Att.,
    Ramires.

    Resposta
    • Olá, ficamos muito felizes com seu retorno e sugestões. É verdade que o blog ainda tem um longo caminho a trilhar em alguns conteúdos específicos das diversas disciplinas, pois, durante muito tempo, nosso foco ficou voltado para os temas transversais e para compartilhar notícias com professoras/es e estudantes. Hoje, temos direcionado mais esforços para compartilhar conteúdos sobre produção autoral de mídias e focado em temas específicos das disciplinas. Na área de filosofia temos tratado de alguns temas de maneira mais genérica para discussão em sala de aula, mas ficaríamos contentes caso pudesse sugerir temas que considere prioritários ou indicar textos e mídias que podem contribuir para ampliar de maneira significativa essas discussões.
      Forte abraço e obrigado por contribuir com esta rede.

      Resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *