Cine PW: Hannah Arendt

Salve, salve turma!

Sem dúvida Hanna Arendt é uma das figuras mais importantes da filosofia do século XX. Dentre os seus trabalho destaca-se o estudo do Totalitarismo e a defesa do “pluralismo” político, conceito que potencializaria a liberdade e igualdade política entre as pessoas. Com esse pensamento, Arendt se situava de forma crítica ante a democracia representativa e preferia um sistema de conselhos ou formas de democracia direta. (saiba mais)

[youtube=http://www.youtube.com/watch?v=2SG9ZlXdUDY&w=560&h=315]

Hannah Arendt (Barbara Sukowa) e seu marido Heinrich (Axel Milberg) são judeus alemães que chegaram aos Estados Unidos como refugiados de um campo de concentração nazista na França. Para ela a América dos anos 50 é um sonho, e se torna ainda mais interessante quando surge a oportunidade dela cobrir o julgamento do nazista Adolf Eichmann para a The New Yorker. Ela viaja até Israel, e na volta escreve todas as suas impressões e o que aconteceu, e a revista separa tudo em 5 artigos. Só que aí começa o verdadeiro drama de Hannah: Ela mostra nos artigos que nem todos que praticaram os crimes de guerra eram monstros, e relata também o envolvimento de alguns judeus que ajudaram na matança dos seus iguais. A sociedade se volta contra ela e a New Yorker, e as críticas são tão fortes que até mesmo seus amigos mais próximos se assustam. Hannah em nenhum momento pensa em voltar atrás, mantendo sempre a mesma posição, mesmo com todo mundo contra ela. (fonte)