Cine PW: Eldorado dos Carajás

Salve, salve turma!

O Cine PW de hoje relembra o Massacre de Eldorado dos Carajás, ocorrido no dia 17 de abril de 1996.

Essa data amarga nos faz refletir sobre a necessidade da reforma agrária no país e questionar: até quando camponeses(as) serão perseguid@s, explorad@s e violentad@s por latifundiários interessados em tomar suas terras?

É um argumento estranho esse de justificar a proteção da propriedade privada, pois toda terra, em algum momento da história (em certos casos, uma história bem recente), foi usurpada e, uma área que era coletiva, passou a ser tratada como privada. Pelo que Rousseau diz, o surgimento da sociedade civil se deu quando uma pessoa cercou um pedaço de terra e as outras acreditaram. Essa história parece incompleta. Teriam acreditado ou apenas foram coniventes ao concordar, afinal as demais pessoas poderiam cercar os terrenos ao redor e também se autodeclararem proprietárias. Talvez ele tivesse algum poder de coerção (com uso de armas ou grupos mais fortes) sobre as outras pessoas. Detalhes que a história não revela, mas que a criação das capitanias hereditárias no Brasil acaba tardiamente por quebrar a lógica romântica desses fatos acontecerem sem lutas sociais. Porém, o que os povos locais poderiam fazer contra armas de fogo e contra uma das primeiras guerras biológicas promovidas no Brasil?

Pois é, pouco se fala disso, mas alguns relatos históricos citam o uso de roupas de pessoas contaminadas por varíola na guerra contra os povos que ocupavam o território brasileiro. As roupas eram jogadas nos locais por onde os povos do território invadido passavam e esses, sem saber o risco que corriam, acabavam levando as roupas para suas aldeias. Como era o primeiro contato com a varíola, muitos acabavam morrendo por não saber o que fazer. As missões Jesuítas também contribuíram, pois além de levar a doença para as aldeias, muitos pajés foram desprezados, afinal não conseguiam contribuir com a cura e muitos morreram da doença, enquanto Jesuítas, com maior imunidade, acabavam sendo mais resistentes e tendo mais condições de contribuir com cuidados (veja mais).

Assim, aconteceram os primeiros conflitos brasileiros de luta pela terra que foram registrados nos livros de história. Uma das consequências desse processo é a permissão para a existência de grandes latifúndios a partir da justificativa da defesa da propriedade privada e da segurança alimentar, como se os maiores responsáveis por aquilo que vai para a mesa da população fossem os grandes latifundiários. Os números mostram que a maior parte dos alimentos que vai para a mesa, vem da agricultura familiar (veja mais). Ao contrário, os latifúndios são os maiores responsáveis pelo uso de veneno e agrotóxico nas plantações, por monoculturas que exterminam a fauna e a flora, pela destruição de grandes áreas de mata para pecuária ou para sustentar essa cadeia e por expulsar trabalhadores/as de suas terras.

Essa não é uma semana comemorativa, mas um importante momento para lembrar de massacres como o de Eldorado e também das simbólicas datas que referenciam o índio e a invasão do Brasil ou, como alguns acreditam, seu descobrimento.

Vejam um depoimento de Paulo Freire a respeito dos movimentos de luta por transformações sociais:

[youtube http://www.youtube.com/watch?v=qQUtkvjNhSQ]

Segue também um curta documentário sobre MST

[youtube http://www.youtube.com/watch?v=-QSnbiMTnBk]

Confiram documentário Eldorado dos Carajás 10anos

Eldorado dos Carajás 10 anos

Aproveite assista outras produções disponibilizadas pelvideoteca de luta pela terra.

Veja outros vídeos.

Fonte: Diálogos Libertários