Paulo Freire – Sensibilidade e sabedoria

Alô, galera! Tudo joia?

Ontem foi dia de homenagear um dos maiores ícones na luta em prol da educação.

Estamos falando do Patrono da Educação Brasileira, Paulo Reglus Neves Freire. Pernambucano nascido em 19/09/1921.

Referência nas transformações pedagógicas do nosso país, ele homologaolveu através de suas obras novas formas de abordagens que favorecessem o processo de aprendizagem, buscando sempre chamar a atenção para a importância do(a) educador(a) agregar prática e teoria, no sentido de possibilitar a construção do conhecimento junto com os(as) estudantes.

Para Freire, o aprendizado não é algo que se transfere de quem ensina para quem aprende,defendia que, na verdade, o(a) educador(a) deve auxiliar o(a) educando(a) no homologaolvimento dos saberes práticos somados ao senso crítico que possa resultar num efeito que vá para além do simples ato de aprender e sem o qual a teoria por si só, não passaria de discurso repetitivo.

Compreendia que o(a) educador(a) é um(a) agente transformador(a), onde suas ações podem garantir transformações positivas de forma sistematizada, no sentido de garantir uma ampla compreensão participativa que perpassasse o cotidiano da vida escolar. Sugeria que se buscassem formas de observação do exercício da educação, que conduzisse a um refletir das práticas pedagógicas no intuito de ressignificá-las.

Por tudo que foi dito acima, não poderíamos deixar de prestar nossa homenagem a quem fez da educação a causa mais nobre de sua vida.

Saibam mais sobre a vida de Paulo Freire – Cliquem aqui!

Abraços e até a próxima!