Bembé de Mercado é o mais Novo Patrimônio Imaterial Da Bahia

 

 

Uma das mais importantes festas religiosas do calendário baiano e que se repete desde 1889 em Santo Amaro da Purificação, no Recôncavo, para comemorar a abolição da escravatura, o ‘Bembé do Mercado’ está agora inscrito no Livro do Registro Especial dos Eventos e Celebrações como Patrimônio Imaterial da Bahia.

Na sexta-feira passada, dia 14 de setembro, o governador Jaques Wagner assinou o decreto, que foi publicado na edição deste sábado e domingo (15 e 16) do Diário Oficial do Estado, acatando a proposta aprovada pelo Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia (Ipac), autarquia da Secretaria de Cultura (Secult), e o Conselho Estadual de Cultura.

Considerado o único candomblé de rua do mundo, o ‘Bembé de Mercado’ representa o momento em que os africanos, crioulos escravizados e libertos se organizaram para celebrar suas lutas pela liberdade. Mais que uma festa, constitui-se hoje um movimento de afirmação.

Segundo a tradição oral, a festa começou quando João de Obá – negro escravo de origem Malê e pai de santo – reuniu os filhos e filhas de santos e armou um barracão de pindoba, enfeitando-o com bandeirolas para agradecer aos santos e comemorar o aniversário da abolição. Assim, os adeptos dos terreiros de candomblés continuaram realizando os festejos do Bembé.

Fonte: http://www.sepromi.ba.gov.br/modules/noticias/item.php?itemid=571