Arquivo Público Mineiro disponibiliza acervo online

Salve, Turma!

Para quem gosta de história essa é uma ótima noticia: o Arquivo Público Mineiro iniciou a publicação de seu acervo no site da instituição. Até o fim do ano serão mais de 350.000 páginas entre manuscritos e impressos, mapas, plantas, fotografias, gravuras, filmes, livros, folhetos e periódicos.

O acervo abrange documentos desde o século XVIII até o século XX. Fazem parte do acervo publicações técnicas de arquivos e bibliotecas, anais e anuários de órgãos públicos estaduais e federais, mensagens e relatórios do governo mineiro, legislação estadual e federal, biografias, genealogias, bibliografia e um número relevante de livros, periódicos e folhetos sobre a história de Minas Gerais, do Brasil e do Império Português.

Sobre a publicação do acervo, Pedro Brito Soares, diretor de conservação de documentos do Arquivo Público Mineiro, afirma: “Não estamos selecionando, vamos colocar todos os documentos. Agora não será mais preciso vir até o arquivo para pesquisá-los”.

Tarcísio de Souza Gaspar, professor de História do Instituto Federal Sul de Minas Gerais parabeniza a iniciativa do APM: “Para mim vai ser ótimo, porque essa documentação é fundamental. Ficou muito tempo esquecida, mas nos últimos 20 anos a historiografia começou a dar valor à documentação administrativa, que inclui, por exemplo, o pagamento de foro, um imposto para os proprietários de terra”, afirma o professor.

Os(as) maiores beneficiados(as) em iniciativas como estas são a educação e os(as) estudantes, que de diferentes escolas podem, através da internet, ter acesso a documentos que contam a história de sua cidade e de seu país.

Portanto, professores(as), que tal incrementar sua aula sobre movimentos separatistas, revoltas no período colonial, Revolução de 30 e tantos outros assuntos utilizando esses documentos históricos?

Conheçam também o acervo digital da Biblioteca Nacional e da Biblioteca Virtual 2 de Julho, e os museus virtuais do projeto Era Virtual!

Até a próxima, pessoal!

Fontes: Arquivo Público MineiroRevista de História da Biblioteca Nacional