19 DE AGOSTO – DIA MUNDIAL DA FOTOGRAFIA

Fala, galera!

Não importa como se vê, o importante é ver!

Hoje vivemos num mundo cada vez mais veloz e repleto de informações e é nesse sentido que a imagem vem assumindo uma importância muito grande no nosso dia-a-dia. A sociedade moderna é por si só uma sociedade orientada pela imagem, onde a TV, a internet, os dispositivos móveis como o ipod, o ipad e o tabletoutdoors e a mais antiga de todas as representações imagéticas do mundo, a fotografia, tem papel decisivo na forma como entendemos a realidade.

Imagem vem do latim imago que se refere à figura, representação, semelhança ou aparência de algo. Para Gombrich, “a imagem tem por função primeira garantir, reforçar, reafirmar e explicar nossa relação com o mundo visual: ela desempenha papel de descoberta do visual”. O humano é então, essencialmente, um ser imagético e constrói sua relação com o mundo acumulando informações socioculturais no decorrer de sua existência, elaborando seu próprio repertório de conhecimentos. De todas as produções técnico-científico-informacionais humanas a imagem é a que mais se aproxima de uma relação direta e ficcional com o mundo construído.

A humanidade, através de seu curioso poder de observação, descobriu que a imagem de um objeto poderia ser representada em um suporte físico por meio do aprisionamento da luz, donde surgiu a famosa caixa preta ou câmera escura. Foi Nicéphore Niépce quem começou essa “loucura” de querer congelar o tempo e se pôs a estudar como seria possível fixar uma imagem de uma fração de segundos em um suporte fixo – o filme. Ele registrou, em 1826, a primeira imagem congelada no tempo e no espaço em uma placa de estanho coberta com um tipo de petróleo – betume da Judeia. Em seguida outro “louco”, Louis Daguerre, através de estudos químicos criou o que pode ser considerada a primeira câmera fotográfica da história: o daguerreótipo.

Mas existe uma lacuna na “história oficial”, como na polêmica sobre a invenção do avião – claro que foi Santos Dumont, né?! Niépce e Daguerre afirmaram ser os inventores da fotografia, mas o engraçado é que eles não deram esse nome ao tal invento, chamaram-na, como vimos, de daguerreótipo.

O nome fotografia foi dado pelo então desenhista e tipógrafo francês Hercules Florence, que viveu no Brasil entre os anos de 1824 e 1879. Ele foi o primeiro cientista a utilizar o nitrato de prata para fixar uma imagem em um papel, sensibilizada pela luz, possibilitando assim o surgimento do que ele denominou fotografia, ou seja, escrever com a luz. Devemos a estes senhores o fato de hoje, através do homologaolvimento tecnológico, registrarmos as diversas formas que nos permitem entender e representar o mundo.

Todos somos representantes de nossos mundos, responsáveis pelo que construímos e registramos na nossa história. A imagem é um elemento fundamental para contarmos os nossos tempos. A fotografia deve ser encarada como elemento de escrita e o nosso olhar como a ferramenta desses rabiscos. Não importa se a foto registra arte ou documento, se a câmera é digital ou analógica, pin-hole ou de celular, cara ou barata, pequena ou grande. O importante é como você vai usar essa ferramenta poderosa, possibilitando a construção de um olhar mais crítico sobre a realidade e, assim, de um mundo melhor.

Feliz Dia Mundial da Fotografia!

Até a próxima, turma!

Texto do professor, geógrafo e fotógrafo Peterson Azevedo, colaborador da Rede Anísio Teixeira.