Castro Alves – O poeta do povo

Antônio Frederico de  Castro Alves, baiano conhecido como “o poeta dos escravos” ( 14 de março de 1847 – 06 de   julho de 1871),  nasceu  na fazenda Cabaceiras, próximo a Curralinho, cidade que hoje leva o seu nome. Fez parte da terceira  geração  romântica,  que antecede o realismo.

Sempre muito atuante nas questões relacionadas  aos aspectos  políticos e sociais da sua época, ele expressava através dos seus versos, críticas ferrenhas  ao regime escravista no Brasil, defendia a República, a liberdade e a igualdade entre os povos.

Seu  posicionamento  a favor da abolição da escravatura fez dele uma das figuras  mais importantes desse processo.

Apesar de ter morrido no auge da sua juventude com apenas 24 anos, Castro Alves deixou uma vasta biografia (como Navio Negreiro), contribuição imprescindível  tanto para a literatura, quanto para melhor compreendermos a sociedade do século XIX.

Por tudo que foi citado acima, podemos dizer que Castro Alves é um poeta único, que soube tão bem compreender, criticar e sugerir mudanças sociais que atendessem as necessidades de um povo sofrido, muitas vezes lançado à margem da sociedade.

Hoje, quando nos aproximamos da comemoração do 141º ano de seu falecimento, queremos deixar nossa homenagem a esse grande  poeta que tão bem representou o povo, e que permanece vivo em nossa memória através dos inúmeros versos.

“Bendito aquele que semeia livros e faz o povo pensar”.

Castro Alves.

Confiram a programação da Biblioteca Pública do Estado da Bahia para prestigiar o poeta. Cliquem aqui!

Valeu, galera!!