Mais Educação deve ter presença dobrada nas Escolas Públicas

O Programa Mais Educação já é uma realidade para 2,8 milhões de estudantes em todo o Brasil. Até 15 de abril, escolas e secretarias municipais e estaduais de educação pré-selecionadas podem fazer a adesão no portal do MEC. O Mais Educação foi lançado em 2008 e hoje está em 15 mil escolas públicas. Este ano, a meta é incluir mais 15 mil escolas, sendo 5 mil da zona rural.

As escolas que integram o programa passam a adotar jornada diária com no mínimo sete horas. Entre os 10 macrocampos de conhecimento oferecidos pelo programa, a escola pode escolher seis, sendo um deles obrigatório, que é o acompanhamento pedagógico. Em geral, as escolas escolhem uma atividade educativa complementar na área de artes e cultura ou esportes.

“Nós não queremos ampliar o tempo das crianças da escola para que outros saberes povoem a vida delas e encubram o não aprendizado daquilo que é fundamental, que é o aprendizado da leitura, da escrita, de cálculos”, ressalta Jaqueline Moll, diretora de currículos e integração integral da Secretaria de Educação Básica (SEB) do MEC.

Podem fazer a adesão as escolas que atendam estudantes de famílias de maior vulnerabilidade social e estejam na lista das pré-selecionadas pelo MEC. A adesão é feita na internet pelo Sistema de Informações Integradas de Planejamento, Orçamento e Finanças do MEC (Simec).

Vantagens – O Mais Educação é realidade desde 2009 na Escola Estadual de Ensino Fundamental e Médio Ruth Rosita de Nazaré Gonzales, em Belém, no Pará. Duas vezes por semana, os alunos têm três horas a mais de atividades na escola, incluindo acompanhamento pedagógico em matemática e português.

Estudantes das universidades estadual e federal do Pará são responsáveis pelas aulas de reforço, orientadas pelos professores regulares. “O Mais Educação trouxe grandes vantagens para a escola, como por exemplo, mais recursos pedagógicos. E já observamos melhoria no processo de ensino-aprendizagem, com menos repetência e redução da evasão escolar”, afirma a diretora Márcia Ruiz. Entre as atividades extras, há aulas de futebol, de coral e de banda escolar.

“Estamos vivendo o trânsito de uma educação centrada em turnos para uma educação de dia inteiro, que é o modelo de países que tanto admiramos. É preciso pensar em um tempo alargado de permanência das crianças na escola como um legado do país para as próximas gerações ”, afirma Jaqueline Moll.

Fonte: http://www.educacao.escolas.ba.gov.br/node/3248