Estudantes da Educação Profissional são finalistas da Febrace

Três projetos homologaolvidos por estudantes da rede estadual de Educação Profissional estão entre os finalistas da Mostra de Talento e Inovação da 10ª  Feira Brasileira de Ciências e Engenharia (Febrace). O evento será realizado de terça-feira (13/03) até sábado (17/03), na Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (USP), em São Paulo. Os projetos selecionados, homologaolvidos usando  tecnologias sustentáveis, de baixo custo, foram escolhidos entre 1.505 inscritos de todo o país.

Os estudantes do 2º ano do curso Técnico em Edificações, do Centro Territorial de Educação Profissional do Semiárido Nordeste II, em Ribeira do Pombal, concorrem com a “Casa Ecológica, construída utilizando materiais reaproveitados como garrafas pet, cordas e madeiras. Os estudantes envolvidos no projeto são Fernando Souza dos Santos, Maria Aparecida Freire Santos e Thainá Alves dos Santos Santa Rosa.

Os estudantes do curso Técnico em Agroindústria, do Colégio Estadual Pio XII, em Jaguaquara, apresentarão o “Secador Econômico” feito à base de papelão, folhas de jornais, plástico e outros materiais reaproveitáveis, como embalagem de alimentos composto por papel laminado. Serve para desidratação de produtos como tomates, transformando-os em tomates secos. Foi homologaolvido pelos estudantes Rafael Costa, Josenira Marques e Cleriston Santos de Jesus.

O outro projeto também dos estudantes do Técnico em Agroindústria, do Pio XII, Maílson Silva Santos, Alana Araújo Rodrigues e João Pedro Sena Santos, é o biodigestor que é ativado por esterco bovino, água e vegetais, gerando o biogás. Maílson explica que a ideia surgiu para evitar o descarte inadequado dos legumes, frutas e hortaliças, oriundos do setor hortigranjeiro do município.

Formação Integral – Na rede estadual, a Educação Profissional tem o trabalho como princípio educativo, a intervenção social como princípio pedagógico e visa à formação integral dos estudantes, articulando as diferentes formas de educação, trabalho, ciência e tecnologia. A professora Valéria Maria Souza Brito, orientadora do projeto “Secador Econômico”, ressalta que incentivar os estudantes na participação de atividade de extensão como a Febrace é um dos papéis da Rede objetivando essa formação. “Temos a obrigação de incentivar nossos estudantes para a construção de um mundo melhor. A formação que recebem, pautada na Educação Profissional, possibilita que tenham um aprendizado interdisciplinar visando à melhoria da sociedade em que vivem”, disse.

Maria José Silva Almeida, orientadora do projeto, explica que a Casa Ecológica é o modelo ideal para corresponder às necessidades de uma sociedade que tanto prega a sustentabilidade. “Reaproveitar garrafas pet na construção de casas é uma alternativa sustentável por dar utilidade a todo esse material usado indiscriminadamente pela sociedade de consumo. O nosso projeto demonstra que existe a possibilidade de reduzir o lixo nos aterros sanitários, além de apontar as suas consequências nos processos de decomposição de materiais orgânicos. É um processo econômico, pois consome apenas 30% da energia necessária para produção da maneira prima”, justifica.

Fonte: http://www.educacao.estudantes.ba.gov.br/node/3162