Palácio Rio Branco exibe Artes Visuais Estudantis

Os estudantes da rede estadual da Bahia inauguram na quinta-feira (1º/12) a 4ª Mostra de Artes Visuais Estudantis (AVE). O vernissage acontece às 17 horas, no Palácio Rio Branco, na Praça Thomé de Souza, em Salvador, onde as obras permanecem expostas à visitação pública e gratuita até 15 de dezembro. As 99 obras, entre elas pinturas, esculturas, gravuras e desenhos foram criadas por estudantes da 6ª série do ensino fundamental ao 3º ano do ensino médio e equivalentes.

Das obras finalistas exibidas no Palácio Rio Branco, cinco serão premiadas pela Secretaria da Educação do Estado da Bahia, responsável pela execução do projeto. Elas serão apreciadas durante o vernissage por um corpo de jurados composto pelos artistas plásticos Fernando Obrlaender, Ângelo Roberto, Graça Ramos e Edvaldo Gato, pelo pesquisador Luiz Freire e pelo crítico de arte Aldo Tripodi, todos baianos.

As peças da exposição estadual foram selecionadas em mostras regionais promovidas pelas Diretorias Regionais de Educação (Direc) no decorrer do ano letivo de 2011. As obras expressam realidades e sonhos a partir do olhar, sensibilidade e desejo dos estudantes. Destaque nacional – Desenvolvido há quatro anos pela Secretaria da Educação, o AVE é um dos cinco projetos de arte-educação mais importantes do país, segundo avaliação dos ministérios da Educação e da Cultura, e da Organização dos Estados Ibero-americanos e Caribenho. Em 2011, as artes visuais estudantis movimentaram mais de mil escolas estaduais em Salvador e no interior do estado.

AVE 2010 – No ano passado, foram premiadas as obras “Fome de educação”, de Alberto Gomes Monteiro Júnior (Colégio Estadual Moisés Boana – Ilhéus/BA); “Esperança nordestina”, de Emanuel Maciel e José Adilson (Colégio Estadual Wilson Pereira – Paulo Afonso/BA); “Mulher negra bebendo água de coco”, de Roberto Nascimento (Colégio Estadual de Cachoeira – Cachoeira/BA); “Missão cumprida. E agora?”, de Pablo Brito da Silva (Colégio Estadual Jubilino Cunegundes – Morro do Chapéu/BA) e Obra sem título, de Flávio Kaic (Colégio Estadual Normal São Pedro – Macarani/BA).

“É uma realização. Aquela sensação de missão cumprida. Você começar fazendo um esboço e chegar a ter a sua obra final reconhecida é formidável. O AVE é excelente, uma porta aberta. É como eu digo aos meus colegas, um ser humano sem arte é como um macaquinho com o polegar opositor. A arte é essencial”, declarou Flávio Kaic.

Fonte:http://www.educacao.ba.gov.br/