Dia Nacional da Poesia

Praça Castro Alves - Salvador, Bahia, Brasil

O dia 14 de março é o Dia Nacional da Poesia. Este também é o dia do nascimento do poeta Castro Alves, a quem a data homenageia. Uma das principais obras desse autor é “Navio Negreiro”. Ficou conhecido como “o poeta dos escravos” por se dedicar à abolição da escravidão.

Conheça mais sobre a história dessa grande personalidade baiana e brasileira, que foi o poeta Castro Alves e leia mais sobre o Dia Nacional da Poesia.

Para você que gosta da história da cidade do Salvador e de todo o estado da Bahia, veja também sobre a Praça Castro Alves e o Teatro Castro Alves, ambos em Salvador-BA, além do município Castro Alves.

Você curti poesia e sites de redes sociais? Que tal conhecer a Rede Social dos Poetas Vivos? Você pode divulgar as suas obras e conhecer muitas pessoas que também admiram este gênero literário.

rede social poetas vivos

Como nós adoramos tecnologia, vamos finalizar com uma poesia sobre o tema?

tecnologia

Antes da criação da internet,foi criado o computador
Esse composto de mouse,teclado e monitor
Monitor do qual nos lembra a televisão
Criada para nos trazer as imagens,que antes imaginávamos
Ao escutar a tele-novela na radio da capital
O radio que grande invenção, podia ser movido a pilha ou energia elétrica
Energia elétrica que sem ela não haveria tevê,computador e você
Sim você,que só existe por que faltou energia e seus pais não tinham nada pra fazer
Antes que fosse criado o computador e a tevê,as pessoas costumavam a conviver
As famílias se uniam para celebrar o casamento da prima,meia gorda que acabara de casar
Falavam durante horas,isso sim é que era viver
As famílias tinham vida própria,sem se importa com o que vai acontecer
No mais novo antigo programa da tevê
Mas voltando um pouco mais no tempo,muito antes do radio
Houve uma época que a fala era o único meio de comunicação
E a única maneira de saber o que acontecia lá fora era lendo as enciclopédias
Que chegavam com muito tempo de atraso
E antes de existir a fala,ouve um grande silêncio
Silêncio
Silêncio
Que não volta mais,não volta mais
Nem quando durmo eu fico em paz
Radio relógio me desperta aos sons de animais
Então eu me levanto,e ligo o computador 

Emerson Marks
15/01/2008