Rotina familiar em tempos de quarentena

A sociedade contemporânea é caracterizada pela produtividade e desempenho, como informa Byung- Chul Han, em seu livro Sociedade do Cansaço (2017). Fomos transformados em  “indivíduos de desempenho e produção”. Nesse contexto, em que, não raro, as pessoas passam de oito a doze horas fora de casa,  é comum ouvir  pais se queixando por não conseguir  ficar mais tempo com os filhos. Então, eis que o inusitado aconteceu: A pandemia do novo coronavírus impôs uma quarentena e fez com que muitas famílias vivessem uma situação atípica: passar o dia todo juntos em casa.

Pais e filhos antes  multiatarefados com trabalho, aulas, exercícios e cursos, agora se sentem atônitos sobre o que fazer confinados em casa, compartilhando um cotidiano com os pequenos, que estão ávidos por alguma atividade que dê sentido a essa nova realidade. Um dado positivo sobre a quarentena é que o convívio diário fortalece os vínculos familiares, isso quando os familiares estão dispostos a investir seu tempo nessa aproximação e cuidado uns com os outros. O lado triste desse quadro pandêmico são as famílias disfuncionais  em que o conflito é a regra, nesse caso, o aumento do convívio causa ainda mais tensões, culminando até, em situações de violência.

As pessoas expostas ao isolamento social podem desenvolver diferentes estados emocionais, pois tratam-se de  indivíduos se confrontam com a incerteza sobre quando tudo terá fim e se poderão manter a si mesmos e sua família a salvo da contaminação e da fome. A sensação de instabilidade freqüente e de que nada está sob controle causa grande desconforto psíquico. A Fiocruz elaborou um documento sobre a saúde mental durante a pandemia, vale a pena consultar para perceber como andam as nossas emoções nesses tempos áridos.

Toda essa contingência caótica pode desencadear ansiedade, stress, apatia, letargia, isolamento, falta de apetite, dificuldade para dormir, ou excesso de sono como negação da realidade. O contexto da pandemia é novo e nossas emoções precisam de tempo para ser organizar, para que tudo faça sentido, não se cobrem muito, é difícil ser produtivo quando sua cabeça está focada em sobreviver. Psicólogos concordam que o ideal é desenvolver uma rotina que funcione para preencher e organizar o tempo da família em casa.

Pensando nisso, o Instituto Anísio Teixeira elaborou e disponibilizou através da Plataforma Anísio Teixeira, rotinas de estudo que podem ajudar pais e filhos na organização do cotidiano de interação e estudos em casa, os conteúdos estão separados para cada tempo escolar e dia da semana.

Na Plataforma, também é possível acessar muitos conteúdos para compartilhar em família. A carta às meninas e aos meninos em tempos de covid-19 ajuda a explicar, de forma lírica, aos pequenos, o que está acontecendo o motivo das escolas estarem fechadas e porque tudo mudou em nosso entorno.

Também o guia tempo junto traz atividades para pais e filhos possam ajustar suas rotinas em casa com brincadeiras e atividades lúdicas e está organizado de acordo com a idade. Nós, do Instituto Anísio Teixeira, Sabemos que não está fácil passar por esse momento, por isso, estimamos que as rotinas de estudo auxiliem, no que for possível, para que tenham momentos de bem estar,  paz e segurança em casa com sua família.

 

Valdineia Oliveira

Prof. de história da Rede Estadual de Ensino

 

Fontes:

 

Guia Tempojunto  Covid-19 – O que fazer com as crianças em casa em tempos de coronavírus –    https://www.tempojunto.com/2020/05/09/tempojunto-em-casa-brincadeiras-e-atividades-para-os-filhos-em-tempos-de-coronavirus/

HAN, Byung-Chul. Sociedade do Cansaço. Petrópolis, RJ: Vozes, 2017.

Saúde Mental e atenção Psicossocial na Pandemia de Covid-19 – https://www.fiocruzbrasilia.fiocruz.br/wp-content/uploads/2020/04/Sa%c3%bade-Mental-e-Aten%c3%a7%c3%a3o-Psicossocial-na-Pandemia-Covid-19-recomenda%c3%a7%c3%b5es-gerais.pdf

 

Rotina familiar em tempos de quarentena

Nossos Colaboradores